Meu Primeiro Carro

Quais documentos são necessários para transferência de veículos?

Dúvidas sobre transferência de veículos? Veja aqui tudo o que você precisa saber para não ter dor de cabeça!

compra de um veículo é um momento especial para qualquer pessoa. Saber que em breve você terá independência para ir aonde quiser com conforto e tranquilidade é algo único. Porém, como tudo relacionado ao trânsito é regido por uma legislação, ao adquirir um veículo usado é preciso passar por certos processos burocráticos.

Tanto para motos quanto para carros, no momento da venda é necessário fazer a transferência do veículo para o novo proprietário. Por isso, comprador e vendedor devem obedecer aos processos definidos pela legislação para deixar a documentação do automóvel em dia.

Para tirar definitivamente suas dúvidas, mostraremos aqui quais são os procedimentos obrigatórios para a transferência de veículos e as responsabilidades de cada um dos envolvidos na compra e venda em questão. Confira!

Entenda o processo de transferência de veículos

Todo automóvel possui um registro em que são encontrados todos os dados sobre ele, desde sua fabricação até os dias de hoje — ou até sair de circulação. Este registro fica localizado na Base de Dados do Detran e no Registro Nacional de Veículos Automotores (RENAVAM).

O objetivo é que se tenha um controle dos veículos que circulam pelas ruas e suas características, podendo identificar casos de irregularidades e até mesmo crimes nos quais um automóvel foi utilizado.

A transferência do veículo no ato da compra ou venda é importante para, junto com a posse do mesmo, passar as responsabilidades legais sobre ele, além de atualizar as informações do Detran e do RENAVAM sobre suas as características atuais.

Mudança da responsabilidade legal

É muito importante, para quem compra um veículo, passá-lo para o próprio nome. Só assim você poderá, por exemplo, utilizar de serviços como seguro de automóveis. As seguradoras não fornecem contrato de cobertura para carros em nome de terceiros, por isso é interessante que você faça a transferência no ato da compra.

Porém, esse procedimento é fundamental também para quem acaba de vendê-lo. Ao deixar de garantir a transferência, o ex-proprietário fica sujeito a receber eventuais multas que o dono atual leva sem ser identificado, como no caso de radares e estacionamento em local proibido.

É claro que deve haver um bom senso entre as partes para resolver tal situação, mas não dê chance para o azar. Se você vender um carro, acompanhe o processo de transferência e certifique-se de que tudo foi feito corretamente.

Obrigações do vendedor e do comprador

O processo é basicamente todo de responsabilidade do comprador do veículo. O que o vendedor deve fazer é assinar o Certificado de Registro de Veículo (CRV), reconhecer firma em cartório e informar uma unidade regional do Detran sobre a venda realizada.

Essa comunicação de venda deve ser realizada no máximo 30 dias após a venda e não tem custo algum, tornando desnecessário envolver despachantes na tramitação.

É interessante que o vendedor guarde uma cópia de todos os documentos envolvidos para ter melhor controle sobre os prazos a serem seguidos pelo comprador.

Quanto ao comprador, é interessante saber realizar a transferência por conta própria. Fazendo isso, você pode economizar de R$ 200,00 a R$ 400,00 com serviços de despachante.

O procedimento predefinido pelo Detran necessita da apresentação de alguns documentos e pagamento de uma taxa. Mostraremos, a seguir, um passo a passo para que você saiba de tudo que você precisa ter consigo na hora de fazer a transferência.

Documentos necessários para a transferência de veículos

Você vai precisar reunir alguns documentos para passar pela parte burocrática da tramitação. Por isso, anote tudo. É a melhor forma de garantir que você não está esquecendo nada.

Veja a seguir a lista dos documentos que você deve ter em mãos:

- original e cópia de sua Carteira Nacional de Habilitação ou documentos equivalentes (RG, CPF, etc);
- cópias dos comprovantes de residência dos últimos 3 meses em nome do comprador ou de parente de primeiro grau;
- o Certificado de Registro do Veículo (CRV) original preenchido pelo proprietário anterior, com firma reconhecida em cartório tanto do vendedor quanto do comprador;
- original e cópia do Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo (CRLV), junto com os comprovantes de pagamento do Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), licenciamento e multas quitadas, todos fornecidos pelo proprietário anterior;
- duas cópias do formulário do RENAVAM;
- dois decalques do número de chassi do veículo, tiradas em etiquetas que serão colocadas atrás do formulário do RENAVAM;
- certidão ou Pesquisa do RENAVAM, que comprovam não haver nenhum débito administrativo em relação ao veículo — podem ser solicitadas em qualquer unidade do Detran sem custo algum.

Com os documentos em mãos, você deve comparecer a uma agência de qualquer banco conveniado ao Detran. Lá, você realizará o pagamento da taxa de transferência, que é de R$181,34. (Fonte: Detran SP).

Coloque o comprovante de pagamento juntamente aos outros documentos e vá até uma unidade do Detran de seu município para dar entrada nos documentos de transferência veicular.

Vistoria

Ao realizar o pagamento da taxa de transferência, o comprador deve agendar uma vistoria do veículo. Informe-se sobre os locais para realização de vistoria de acordo com seu Estado. Em Minas Gerais, por exemplo, você deve procurar a Divisão de Registro de Veículo (DRV), ou o Ciretran.

Em alguns outros Estados essa vistoria pode ser feita por uma empresa especializada. Essas informações você pode obter no Detran ou no RENAVAM, quando for solicitar os documentos para transferência.

Faça um planejamento para a transferência

Fique atento aos prazos e gastos envolvidos na transferência. Como dito anteriormente, você tem 30 dias a partir da data de venda para realizar a transferência para seu nome. Por isso, é interessante que antes de fechar a compra, você coloque tudo no papel e calcule os gastos para não ficar no vermelho.

Lembre-se de considerar os gastos que você terá com as taxas de transferência e também os primeiros custos exigidos por um carro. É sempre bom garantir que a documentação está toda em ordem e fugir de dores de cabeça desnecessárias.

Exija do vendedor todos os comprovantes de pagamento referentes a taxas como IPVA e licenciamento, assim como multas. Seguindo essas dicas, você poderá desfrutar de seu veículo novo com tranquilidade.

Transferência de veículos de um estado para outro

Assim como quando o indivíduo muda de residência deve atualizar endereço de correspondência, transferir o título de eleitor, atualizar os dados junto aos serviços de fornecimento, tais como água, luz, telefone e internet, entre outros, a transferência de veículos não é exceção.

Todavia, no caso de essa mudança ocorrer de um estado para o outro, há ainda outra atualização a ser realizada: a transferir o CRV do carro para outro estado.

Na verdade, o que acontece é a emissão de um novo documento CRV (Certificado de Registro de Veículo), contemplando o novo endereço residencial.

Como estabelece o artigo 123 do Código de Trânsito Brasileiro, essa alteração deve ser feita imediatamente, do contrário o condutor fica sujeito a uma infração leve e mais 3 pontos na sua carteira nacional de habilitação.

Entretanto, convém destacar que se a mudança de endereço ocorrer dentro do mesmo município, o tempo que o próprio tem para efetuar essa transição é de 30 dias.

Como fazer a transferência para outro estado?

É importante deixar claro que o Detran de cada estado possui as suas próprias diretrizes de atuação para cada procedimento realizado. Ou seja, a documentação pode diferir entre os estados, contudo, aquilo que está previsto pelo CTB é o seguinte:

- CRV original;
- Certificado de Licenciamento Anual (em alguns casos, o documento original já consta o licenciamento e é chamado de CRLV);
- comprovante de liquidação de dívidas (impostos, encargos ou multas em aberto, se existirem).

Antes de comparecer ao Detran, o proprietário deve se assegurar que dispõe da documentação mais recente, não se esquecendo também do comprovante do novo endereço e da CNH, é claro.

Se for o caso de veículo estar em financiamento, também será necessário transferir o respectivo gravame para o Estado da nova documentação. Para tanto, basta procurar uma agência bancária ou instituição financeira para solicitar essa transferência.

Os custos envolvido na emissão do CRV variam de acordo com o Detran de cada região. Por isso, é interessante consultar com antecedência as taxas e também a lista de documentos requisitados para não ser surpreendido.

Alteração da placa devido à mudança de estado

A alteração do CRV não é tudo, é preciso ainda alterar a placa do veículo. A depender do estado, o proprietário pagará entre R$ 100 e R$ 200 pelo novo emplacamento.

Entretanto, somente a cidade e o estado exibidos na placa serão trocados, mantendo a mesma combinação de letras e números da placa anterior.

Negociando veículos de outros estados

Ao considerar a compra de qualquer veículo, o comprador deve verificar qual é o estado e a cidade que consta no CRV.

Caso seja um estado diferente do que o futuro proprietário reside, será preciso realizar todo este processo de transferência.

E não existe problema algum nesse trâmite, a questão é que vale a pena considerar os custos envolvidos no momento de negociar a compra.

Tenha cautela com os intermediários

Ainda que seja comum recorrer aos serviços de despachantes para facilitar e agilizar o processo, o próprio comprador pode cuidar do procedimento de transferência do veículo.

Mas se mesmo assim o comprador resolver contar com serviços de terceiros, é essencial que busque por uma empresa séria, se possível, que tenha boas referências de pessoas de confiança.

Além dos riscos associados quando se fornece informações e documentos pessoais, há também um custo para essa intermediação que poderia ser evitado quando todo o processo fica por conta do comprador.

E então? Percebe como nem tudo é tão complicado quando o assunto é a transferência de veículos? Então, siga-nos nas redes sociais (FacebookTwitterLinkedIn e YouTube) e fique por dentro de outras dicas e novidades!
Guia Completo De Aquisicao Via Consorcio De Veiculos