Meu Primeiro Imóvel

Alugar ou comprar um imóvel? Leitura obrigatória para tirar sua dúvida

Decidindo sobre a compra ou aluguel de um imóvel? Ajudamos você a comparar as vantagens e desvantagens das duas opções!

Ter um imóvel próprio é um dos sonhos de grande parte dos brasileiros. Nossa sociedade é permeada pela ideia de que sucesso na vida está diretamente vinculado a ter um carro e uma casa própria.

É compreensível: são esses os primeiros itens na construção do patrimônio pessoal. Claro que, nos passos seguintes, pensamos em ter um segundo carro, investir em imóveis, mas não se pode negar que as primeiras conquistas são como ritos de passagem para a idade adulta: a maioria das pessoas calcula passar por isso depois de se estabelecer profissionalmente.

Entretanto, fatalmente precisamos nos fazer perguntas importantes na hora de decidir se vamos ou não sair do aluguel:

· Eu preciso fazer isso AGORA?
· É mais vantajoso investir na minha casa própria neste momento?
· O financiamento cabe no meu bolso? As condições valem a pena?
· Eu tenho certeza da escolha de onde quero morar?

Essas são algumas das questões mais importantes quando se precisa tomar a decisão sobre algo tão importante.

Alugar tem suas vantagens, o que vai depender do seu momento e das suas condições para comprar imóvel. Vamos fazer um comparativo das principais vantagens entre um e outro, para ajudar você de forma definitiva a decidir o que é melhor.

Quais as vantagens de alugar imóvel?

A primeira vantagem do aluguel é que os contratos são curtos. Normalmente, entre um e três anos, no máximo, o que permite que você – quando decidir sair – se programe sem ter que pagar nenhuma multa por rescisão de contrato.

A segunda vantagem é que as despesas com problemas estruturais são do proprietário (geridas pela imobiliária), a não ser que sejam problemas causados pelo morador. Algumas pragas, como cupim ou problemas de mofo, além de rachaduras ou infiltrações, devem ser comunicadas ao administrador, que cuidará disso. Em um imóvel próprio, tudo é responsabilidade do dono.

Se você não tem certeza de onde quer se estabelecer de forma definitiva ou pelo menos por um longo prazo, o aluguel é uma solução temporária, que permite inclusive que você conheça o ambiente, como bairro ou cidade, antes de definir onde pretende comprar um imóvel.

Quais as vantagens de comprar imóvel?

A compra do imóvel é financeiramente recompensadora, ao contrário do aluguel: a prestação mensal é semelhante ao pagamento de uma locação, mas é um benefício que volta para você, uma vez que estará pagando por um bem que fará parte do seu patrimônio.

Reformas e melhorias valem a pena. Toda melhoria no imóvel pode se converter em aumento do valor de mercado do bem. Em um imóvel alugado, não se pode investir em melhorar muito, ainda que essa melhoria venha a beneficiá-lo. Primeiro, porque o imóvel não é seu. Você estará contribuindo para uma valorização que futuramente pode pesar no próprio aluguel. Segundo, porque mesmo se negociar o desconto do valor pago na melhoria parceladamente no aluguel, isso pode gerar um período de desconto no qual você não quer mais permanecer no imóvel, mas se sentirá preso ao acordado.

Imóvel próprio gera renda: mesmo que você não deseje morar de imediato no seu imóvel, pode optar por locá-lo a outras pessoas. Isso traz vantagens: se o imóvel ainda estiver sendo pago, o valor do aluguel pode cobrir a parcela mensal de pagamento, anulando esse gasto do seu orçamento. Caso contrário, se o imóvel já estiver quitado, melhor: é uma renda extra considerável.

Certeza frente a imprevistos: ter um imóvel próprio dá a segurança de não perder seu teto em momentos de crise. Diante do desemprego ou de dificuldade, é difícil manter o equilíbrio, ainda mais se preocupando com uma pesada dívida como um aluguel. Também é difícil manter o contrato sem uma renda formal, pois nem administradoras nem proprietários querem correr o risco de lidar com inadimplência.

Quais as formas de aquisição de um imóvel?

O argumento de muitos a favor do aluguel é que o custo do financiamento de um imóvel é muito alto e os juros não valem a pena. Contudo, esse argumento não é tão sólido quanto se pensa: as opções para financiar são variadas e o valor do aluguel pode ser superior ao da prestação de um consórcio ou financiamento.

De acordo com o site do Banco Central do Brasil, o financiamento de imóveis com taxas de mercado está variando entre 0,94% e 1,75% a.m.. Isso gera uma taxa de 11,87% a 23,17% ao ano (Abril – 2016). Investir o dinheiro em alguns fundos de renda fixa é mais vantajoso, já que gera lucro em vez de juros a pagar. Entretanto, há outras opções.

O financiamento com taxas reguladas, subsidiado pelo Sistema Financeiro de Habitação (SFH), tem juros inferiores: de 0,57% a 0,9% ao mês (Abril – 2016), fixados pela TR (taxa referencial de juros, a mesma que regula o rendimento da poupança). Para o consórcio, o custo efetivo é muito mais baixo que os juros de financiamento. Analisando o crédito de R$ 380 mil em 180 meses da Racon Consórcios, com a parcela mensal de R$ 2.575,56, o custo da taxa de administração é de 0,11% ao mês (Tabela de preços abril/17).

Para fazer o cálculo do custo efetivo do aluguel, divida o valor do aluguel pelo valor do imóvel e multiplique por 100. Por exemplo, para um imóvel com valor semelhante ao da simulação do consórcio (R$ 380 mil), para o aluguel ser mais vantajoso que o consórcio teria que ser inferior a R$ 456,00 (o valor do aluguel dividido pelo valor do imóvel precisaria ser menor que 0,12% a.m., um aluguel bem difícil de encontrar nas principais cidades brasileiras.

Segundo matéria do G1 veiculada em janeiro de 2016, o valor médio por metro quadrado do aluguel nas principais cidades brasileiras é de R$ 32,28, o que - para fins de entendimento - se refletiria num aluguel de quase R$ 1.300,00 para um imóvel pequeno, de 40 m², fora o seguro-fiança e outros custos decorrentes da locação.

A vistoria de imóveis é importante na aquisição ou na locação de imóveis. Leia nosso post e entenda os motivos.