Meu Primeiro Imóvel

Aprenda a planejar a compra do primeiro imóvel a dois

A compra de um imóvel a dois exige planejamento! Veja como ele pode ser feito nesse post da Racon.

A compra do primeiro imóvel é um dos fatos mais importantes que ocorrem na vida de um casal. Além da realização do sonho e da solução da questão da moradia, existem os fatores relacionados à segurança financeira e à formação de um patrimônio conjunto, que pertencerá a duas pessoas que se uniram para levar uma vida em comum.

Tudo isso tem significados práticos e simbólicos muito especiais, uma vez que eles representam a estabilidade do relacionamento e o sucesso que a união é capaz de promover.

Porém, para alcançar esse objetivo, é conveniente fazer um planejamento detalhado de cada etapa. Entenda neste post o como esse planejamento pode ser feito.

Estabeleça um objetivo

Uma grande diferença que existe entre um objetivo que pode ser alcançado e outro que permanecerá apenas no campo da imaginação está na proximidade que o primeiro mantém com relação à realidade.

De fato, na maior parte das vezes, a frustração é a única coisa que as pessoas conseguem, quando estabelecem ambições que vão muito além da capacidade imediata de realização.

Nesse sentido, é claro, devemos considerar que o que as pessoas podem realizar ao longo da vida está vinculado a um determinado tempo, necessário para que as oportunidades possam ser construídas e aos passos que esse processo exige.

Afinal, algo que pareça inalcançável no momento pode se tornar muito simples de ser adquirido no futuro. Tudo vai depender da forma como os planos são elaborados e seguidos.

Portanto, no lugar de pensar em um imóvel com valor muito acima daquele que o casal reconhece que é capaz de manter atualmente, defina um tipo de imóvel que atenda às necessidades atuais e que, de fato, esteja ao alcance.

Partindo desse ponto, então, é possível definir o tipo do imóvel, a localização e outros detalhes.

Organize as finanças do casal

A compra do primeiro imóvel a dois assim como a vida de casado implica em uma série de compromissos conjuntos e a outros que são individuais. Independentemente de quais sejam as origens das despesas, elas devem ser mantidas de forma a equilibrar com o objetivo estabelecido.

Isso não significa que os dois tenham que abrir mão de tudo e fazer sacrifícios imensos para conseguir comprar o imóvel. Por outro lado, se ambos não perceberem que devem compreender plenamente como o orçamento mensal é utilizado e como ele pode ser administrado, a possibilidade de realização do objetivo se torna cada vez mais difícil.

Sendo assim, elabore uma lista que contenha todas as despesas conjuntas e todas as despesas individuais e abra o diálogo sobre os pontos que podem ser eliminados e os que podem ser reduzidos para que a economia se torne viável.

É preciso sempre ter em mente que a compra do imóvel faz parte de um ideal que pertence ao casal e não a apenas um dos dois. Assim, o compromisso de economia deve ser assumido também pelos dois.

Analise as alternativas de pagamento

Quem não possui o dinheiro para fazer um pagamento à vista, tem algumas alternativas para comprar um imóvel. Por um lado, é possível recorrer ao crédito imobiliário, obtendo os recursos junto a um banco.

No caso dos empréstimos bancários é preciso considerar os altos juros que os bancos cobram. Portanto, vale a pena considerar um investimento mensal que permita economizar o suficiente para fazer a compra ou um consórcio.

Defina um investimento mensal

Com base na organização das despesas do casal e na renda que ambos têm, então é possível definir um valor mensal que poderá ser investido na compra do imóvel. Naturalmente, quanto maior for a folga no orçamento, mais dinheiro poderá ser reservado mês a mês e mais rápido o pagamento poderá ser feito integralmente.

Para o investimento mensal, podem ser consideradas duas possibilidades. Na primeira, o dinheiro será aplicado no pagamento das parcelas do financiamento. Na segunda, ele será destinado a alguma aplicação financeira.

Escolhendo a aplicação mensal, é preciso pensar no grau de risco do investimento. Os investimentos que oferecem grande rentabilidade têm risco elevado. Por outro lado, investimentos que pagam juros mais baixos são mais seguros. Na categoria dos investimentos seguros a Caderneta de Poupança está entre os mais populares.

Mantenha a disciplina

Todavia, qualquer que seja o tipo de investimento escolhido pelo casal, é preciso ter em mente que ele requer extrema disciplina, uma vez que nenhum dos dois jamais poderá ceder à tentação de utilizar as economias para outra finalidade que não seja a de pagar o imóvel.

Afinal, é muito comum alguém iniciar uma poupança para comprar um apartamento e acabar gastando o dinheiro com a troca do carro ou mesmo com uma viagem de férias não planejada, por exemplo.

Para ficar livre desse risco, uma boa alternativa seria investir em um consórcio imobiliário, que pode ser vistos como uma forma programada de poupança, na qual a pessoa tem que fazer um pagamento todos os meses, em uma data predeterminada. Com esse condicionamento, a pessoa economiza e fica protegida das tentações.

Ainda, vale salientar que, ao contrário dos financiamentos, os consórcios não cobram juros. Por isso mesmo eles são uma forma interessante de parcelar um pagamento.

Não se esqueça das outras despesas

Não se esqueça de que a compra de um imóvel implica também em despesas adicionais, com pagamento de taxas, mudança, compra de imóveis, decoração, etc. Portanto, faça uma previsão de todos os extras que também precisarão ser considerados na aquisição, incluindo-os no orçamento.

Faça da compra uma satisfação e não um sacrifício

Por fim, vale ressaltar que toda aquisição feita pelo casal deve ser vista como uma satisfação e não como um sacrifício. Portanto, não vale a pena encher a vida de restrições, tornando-a sem graça e estressante no dia a dia.

De maneira equilibrada, mantenha as viagens, as saídas e os outros prazeres que tornam a vida a dois tão especial e transforme a compra da casa própria em mais um desses momentos, que merecem ser curtidos.

Agora que você já conhece os passos para fazer um bom planejamento que permitirá a compra do primeiro imóvel a dois, que tal ler nosso post Conheça as regras para quem vai comprar um imóvel na planta!