Meu Primeiro Imóvel

Com que idade é melhor comprar meu primeiro imóvel?

Você sabe qual é a melhor idade para comprar seu primeiro imóvel? Confira nosso post e descubra!

Ao adentrar na fase adulta, começar a trabalhar e passar a ter o próprio dinheiro, muitas pessoas já começam a fazer planos de sair da casa dos pais e alcançar a independência morando sozinho. Além disso, a cobrança de que o tempo está passando e a constante pressa pela estabilidade faz surgir a seguinte questão: será que já está na hora de comprar um imóvel próprio ou é melhor esperar um pouco mais?

Essa dúvida fica ainda mais forte para aqueles jovens que namoram e já possuem planos de se casar e formar uma família. Mas será mesmo que comprar um imóvel nessa idade é realmente fundamental? Ao mesmo tempo, aqueles que ainda não atingiram essa conquista a essa idade devem se sentir frustrados? Quais devem ser os fatores analisados para se decidir pela compra ou não de um imóvel nessa idade? Vale a pena uma pessoa que ainda tem muito a crescer no mercado profissional se comprometer em um financiamento de longo prazo? Afinal, qual é a melhor idade para comprar meu primeiro imóvel?

Como decidir qual o melhor momento?

Apesar de os jovens já estarem inclinados cada vez mais a já conquistar o sonho da casa própria, diversos especialistas afirmam que isso pode não ser a melhor alternativa a se tomar. Tudo irá depender de uma série de fatores, como a quantia disponível para dar entrada no imóvel, se o nível de renda é o suficiente para pagar as parcelas do financiamento, se eles são casados ou solteiros, se estão estabilizados e bem colocados no mercado profissional, entre outras coisas.

Em média, o brasileiro adquire seu primeiro imóvel aos 32 anos. Essa idade pode ser um pouco precoce, pois se trata de uma fase na vida onde se está em plena ascensão profissional. O aconselhável é que pessoas jovens evitem ao máximo imobilizarem seu patrimônio e se prenderem a um único lugar. Assumir o compromisso de se fixar em um local pode afastar a pessoa de várias oportunidades melhores para o seu futuro.

Ou seja, comprar uma casa nesse momento pode significar abrir mão de uma situação melhor em alguns anos, pois com um salário maior no futuro a chance de ter um apartamento maior ou mais bem localizado é significativa. Nessa fase da vida, a melhor coisa a se fazer é investir em sua própria formação, seja em faculdades, cursos, em viagens, enfim, na aquisição de experiência de vida. Manter certo nível de flexibilidade também pode auxiliar a pessoa em uma eventual mudança de rumos.

É melhor esperar do que se precipitar

Por mais que a vontade de conquistar esse sonho seja grande, segure um pouco a empolgação e seja cauteloso. Pesquise bastante antes de decidir e analise todas as alternativas que aparecerem, até encontrar aquela se se encaixe em suas necessidades. Muitas vezes é melhor continuar no aluguel ou na casa dos pais, ainda que temporariamente, até que exista a oportunidade real de comprar o imóvel de uma forma mais tranquila e sem dor de cabeça. 

Além disso, o gasto em se assumir um imóvel próprio poderá consumir até metade da renda familiar, engessando financeiramente quem é mais novo. O ideal é apenar fazer esse tipo de negócio quando se está estabilizado profissionalmente e é possível planejar com clareza o futuro.

Como se preparar para o primeiro imóvel

Mesmo que essa ainda não seja a hora certa para se comprar o primeiro imóvel, você precisa estar pronto para quando o momento chegar. Em alguma fase de sua vida essa necessidade irá aparecer, pois sempre vamos precisar residir em algum lugar, e depender de aluguel ou moradias de favor na casa de outras pessoas não é a melhor das alternativas. Ter um lugar próprio onde morar traz independência e segurança para você e sua família.

Por isso, é importante se preparar, desde o início da vida profissional, para fazer essa compra um dia. Quanto mais cedo se começar o planejamento para essa conquista, mais fácil ela será. É melhor chegar aos 30 anos com um volume financeiro grande o suficiente para dar entrada em um financiamento do que já com um imóvel próprio comprado em circunstâncias não tão vantajosas.

Durante esse tempo, o importante é que se economize parte de sua renda para realizar a aquisição, focando em acumular uma quantia maior para a hora da entrada, reduzindo assim o peso das parcelas futuras.

Considere fazer um consórcio

O consórcio imobiliário pode ser uma boa opção para quem está começando a vida profissional agora e já pensa no primeiro imóvel. Ele funciona como um meio termo entre os financiamentos e o pagamento a vista, já que a compra é feita de forma parcelada, porém sem a cobrança de juros (apenas taxa de administração). Como o comprador não desfrutará do imóvel imediatamente (pois precisa ser sorteado), essa modalidade é indicada para quem quer comprar a casa própria, mas não tem pressa nisso e pode esperar por um tempo.

Além disso, o consórcio poderá funcionar como uma espécie de disciplinador financeiro para quem não consegue guardar dinheiro e poupar por conta própria. Ao adquirir o consórcio, o comprador é obrigado a depositar a quantia todo mês, o que o força a se planejar para isso.

Então, se você está pensando em comprar seu primeiro imóvel, reflita bem e avalie todas as situações. Saiba que não existe uma hora certa para tomar essa decisão, e que isso dependerá dos objetivos e da condição pessoal de cada um. O importante, nesse caso, é se sentir confortável e estar financeiramente preparado, e entender que cada pessoa fica pronta para dar esse passo tão importante em um momento diferente da vida. O principal é analisar bem o momento e pesar sempre os prós e contras que isso trará.

Está certo de que chegou a sua hora de adquirir o seu primeiro imóvel? Qual a melhor opção: novo, usado ou na planta? Leia nosso post e conheça as vantagens e desvantagens de cada um deles.