Meu Primeiro Imóvel

Como comprar meu primeiro imóvel através de um consórcio?

Este artigo traz tudo sobre essa modalidade e como conseguir as chaves do seu primeiro imóvel.

Ter um imóvel próprio é o sonho de boa parte dos brasileiros, já que significa nunca mais se preocupar com aluguel e ter um bem que é seu. Esse sonho é ainda mais forte quando se fala do primeiro imóvel.

primeiro imóvel é, para muitas pessoas, a primeira grande conquista materializada. Também é uma ferramenta importante para começar a formar uma família ou então para motivar uma melhora cada vez maior na carreira.

O problema é que quando se trata de primeiro imóvel, muitas vezes, não há reservas para dar entrada no financiamento, tampouco para comprá-lo à vista. Além disso, por ser o primeiro imóvel, muitos não desejam se comprometer por 30 anos com uma propriedade que talvez não atenda às expectativas desse período.

Nesse cenário, surge como opção o consórcio. Mas você sabe como fazer para comprar o seu primeiro imóvel por meio do consórcio? Este artigo traz tudo sobre essa modalidade e como conseguir as chaves do seu primeiro imóvel. Continue acompanhando e confira!

O que é um consórcio e quais as vantagens de adquiri-lo?

Um consórcio de imóveis é uma forma de aquisição de imóvel parcelada que é feita de maneira coletiva. Várias pessoas com o objetivo de adquirir um bem se reúnem e formam um grupo de consórcio, que é gerenciado por uma administradora.

O pagamento é feito mensalmente, você participa das assembleias mensais onde ocorrem contemplações por sorteio e lances e, sendo que até o final do consórcio, todos terão o bem desejado — neste caso, o imóvel.

As vantagens de adquirir um imóvel por meio de um consórcio incluem o fato de ele tornar mais fácil o acesso à aquisição da casa própria. É, normalmente, uma opção mais conveniente e mais flexível, já que há diferentes planos de consórcios para atender a necessidades distintas.

Há estratégias para se beneficiar ainda mais do consórcio. Se você tiver um dinheiro já separado, pode utilizá-lo para dar lances e obter a carta de crédito antes do prazo.

Para quem não consegue poupar, o consórcio também é uma ótima forma de adquirir o imóvel, porque faz com que você economize. Os consórcios de imóveis também oferecem a possibilidade de utilizar o FGTS para adiantar a contemplação, pagamento de parcelas ou complemento da carta crédito.

Outra vantagem muito importante é que ao receber a carta de crédito, você terá em mãos o valor do imóvel. Como o pagamento à vista possui muita liquidez, você ganha poder de negociação e pode comprar o imóvel até mesmo por um valor mais barato ou com condições melhores.

O que é melhor para você: consórcio ou financiamento?

Quando se fala em comprar um imóvel, é muito comum que o financiamento apareça entre as opções principais. O financiamento é uma forma de pagamento que funciona como um empréstimo, mas com destino definido — nesta situação, o imóvel.

Ele é contratado junto a um banco ou instituição financeira e exige uma intensa análise de crédito para que você seja aprovado e o financiamento, concedido. É preciso dar uma entrada — que pode variar de 10 a 50% — relativa ao valor do imóvel. Já quanto à duração, ele normalmente dura entre 20 a 35 anos, sendo o período de 30 anos o mais comum.

O consórcio, por sua vez, tem algumas vantagens em relação ao financiamento. A inexistência de taxas de juros estão entre as principais vantagens, já que no consórcio é cobrada apenas a taxa de administração do grupo, cujo valor é menor do que as taxas praticadas pelo mercado no financiamento.

Além disso, o consórcio é uma opção mais curta e dura entre 10 a 15 anos. Com isso, o seu orçamento fica comprometido por menos tempo e mais cedo você se torna um proprietário sem dívidas.

O consórcio é menos burocrático e também não exige entrada em relação ao valor. Para quem deseja comprar o primeiro imóvel, isso se torna ainda mais relevante já que, normalmente, à época dessa compra, não se tem ainda uma grande reserva financeira.

Como funciona o consórcio de imóveis?

O consórcio de imóveis começa com a entrada do participante em um grupo formado por determinada administradora. Para manter a regularidade de todo o processo de consórcio, é necessário que os consorciados assinem um contrato junto à administradora. Nesse contrato, são estabelecidas as principais condições referentes ao pagamento das parcelas, contemplações, obrigações e direitos.

Cada participante adquire o que é chamado de cota e deve pagar um determinado valor de parcela mensal. Todo mês, ocorrem as assembleias, nas quais um participante é contemplado por meio de um sorteio.

Quem for contemplado recebe a carta de crédito, que fornece o valor contratado. Mesmo após a contemplação, o pagamento de todas as parcelas continua sendo feito até o final do prazo estabelecido, pois, assim, todos receberão seus imóveis.

Também é possível aumentar as chances de ser contemplado. Se um participante der um lance e ele for o lance vencedor, ocorre a contemplação. Também é possível adiantar algumas parcelas como forma de concorrer a um sorteio paralelo, com menos pessoas e, com isso, com mais chances de ser contemplado.

Como falamos anteriormente o consórcio não possui taxas de juros cobradas, apenas a taxa de administração da empresa que cuidará de todo o processo. Uma vez que todos tiverem sido contemplados, o consórcio se encerra.

Como é feito o pagamento das parcelas do consórcio?

Geralmente, o pagamento das parcelas do consórcio é feito de maneira mensal, mas isso pode variar de acordo com a característica de cada grupo. Em geral, cada participante paga um valor que é determinado pelo fundo comum, fundo reserva, seguro e taxa de administração.

A parte da parcela que é referente ao fundo comum serve para que o grupo possa acumular os recursos necessários para que haja uma contemplação todo mês. Já a parte do fundo reserva é feita para que o grupo possa se manter e cobrir possíveis custos com inadimplências, por exemplo.

O valor referente à taxa de administração é como ocorre a remuneração da administradora. Quanto ao seguro, normalmente é um seguro de vida ou de invalidez permanente ou temporária, por exemplo.

É a administradora que estabelece em contrato o prazo de pagamento que deve ser cumprido por todos os participantes para que o grupo tenha a chance de se manter. O pagamento pode ser feito à vista, por boleto bancário ou débito automático, em alguns casos, ou também utilizando cartões de crédito.

E se ocorrer atraso no pagamento?

Caso ocorra atraso no pagamento e o participante se torne inadimplente, é necessário observar as condições do contrato. Normalmente, o atraso na parcela faz com que sejam cobradas taxas de juros e multas percentuais sobre o valor da parcela.

Além disso, a inadimplência também pode impedir a concessão da carta de crédito. Uma carta de crédito inadimplente e não utilizada para a compra do bem, por exemplo, pode ser descontemplada, sendo necessário que o participante seja sorteado novamente.

Se o participante já estiver de posse do bem, então as garantias previstas em contrato podem ser executadas. Isso significa, inclusive, tomar o bem adquirido como garantia diante da inadimplência do participante.

Dependendo do que é previsto em contrato, o atraso no pagamento pode levar à exclusão do participante do grupo. Neste caso, ele é mantido no sorteio para que receba o dinheiro já pago, mas pode ter que realizar o pagamento de uma multa por quebra contratual.

No geral, entretanto, o atraso de uma parcela apenas não exerce todos esses efeitos. Caso você faça um consórcio e note que vai atrasar as parcelas, o melhor a fazer é procurar regularizar a sua situação o quanto antes e não deixar que mais de uma parcela fique atrasada.

Caso encontre dificuldades para realizar o pagamento, é necessário procurar a administradora para conversar sobre a sua situação. No geral, ela fará tudo o que puder para ajudá-lo, sem que ocorram prejuízos para o grupo.

Como acontece a contemplação?

A contemplação acontece, normalmente, de maneira mensal, nas Assembleias Gerais realizadas com todos os participantes, por meio do sorteio de um dos participantes. Uma vez sorteado, o participante tem direito à carta de crédito.

O uso dessa carta, entretanto, não precisa ser feito tão logo ocorra a contemplação. Se você participa de um consórcio e é contemplado, você pode escolher, por exemplo, deixar a carta de crédito contemplada até o período máximo de encerramento do consórcio para, aí sim, utilizá-la. Para receber a carta de crédito, é preciso estar adimplente, ou seja, sem dívidas.

Também é possível adiantar a contemplação ao realizar lances. As condições para realizar lances e quais são os critérios de desempate e contemplação são descritas no contrato e, por isso, é importante manter-se atento a esse documento para conhecer quais são as suas possibilidades.

5 dicas para escolher o melhor consórcio

Para aproveitar todas as vantagens de um consórcio, a primeira tarefa é escolher muito bem onde você depositará o seu sonho do primeiro imóvel. Esse processo deve ser criterioso e muito bem informado. As seguintes dicas são importantes:

Faça um planejamento financeiro

Como estará presente em até 180 meses da sua vida, a escolha do consórcio deve começar com um bom planejamento financeiro da sua parte. Sendo o primeiro imóvel, é possível que você esteja no começo da vida profissional, então você precisa levar em consideração o quanto você ganha hoje e qual é a projeção para o futuro.

Considere questões como estabilidade no emprego, possibilidade de crescimento e ganhos maiores e também quais podem ser os imprevistos no meio do caminho. Entenda melhor o seu orçamento e planeje como as parcelas do consórcio vão se encaixar nele.

Ao fazer isso, você identificará exatamente o quanto pode pagar por mês com segurança e reduzirá, ao mínimo possível, as chances de ficar inadimplente com o pagamento das parcelas.

Em relação à escolha do consórcio, isso será de grande valia porque permitirá que você determine qual deve ser o valor máximo da parcela, qual o prazo esperado do consórcio e quais outras condições devem ser oferecidas.

Avalie os planos e condições do consórcio

Cada consórcio oferece planos e condições diferentes. O prazo, por exemplo, precisa ser escolhido adequadamente por você. Enquanto um prazo menor faz com que você se torne proprietário definitivo mais rapidamente, ele também aumenta as parcelas. Por outro lado, um consórcio mais extenso exige mais planejamento, mas também oferece parcelas menores.

Por falar nelas, as parcelas também podem variar de acordo com as condições do consórcio.

Avaliar todas essas condições, portanto, ajuda você a definir o que faz mais sentido para a aquisição do seu primeiro imóvel.

Faça simulações e compare

Somente avaliar as condições de cada consórcio pode não dar a você a ideia de qual será a sua realidade após a contratação. Isso só é conseguido se você fizer simulações em diferentes administradoras e comparar os resultados.

Para um mesmo valor de carta de crédito e para um mesmo prazo, observe nas simulações qual é a administradora que oferece as menores parcelas ou qual oferece mais flexibilidade, por exemplo.

Avalie a quantia que cabe no seu bolso e qual simulação se mostra mais adequada para a sua situação financeira atual e futura. Fazer isso é importante porque você evita surpresas após a contratação.

Garanta que a administradora é de segurança

Muita gente tem receio em realizar consórcio porque falta confiança na administradora. Por isso, é muito importante assegurar que a administradora está autorizada pelo Banco Central a operar e realizar novas vendas.

Leia o contrato antes de assinar

Mesmo depois de seguir esses passos, ainda é preciso tomar cuidado e prestar muita atenção no contrato. É ele que estabelece quais são as obrigações e direitos do consorciado e como ocorrem contemplações, sorteios e pagamentos.

Por isso, leia o contrato completo antes de assiná-lo e entenda cada parte para ter a certeza de que você está de acordo com tudo o que está disposto. Se tiver alguma dúvida, pergunte à administradora e esclareça todos os pontos antes de realizar a assinatura.

Caso assine o contrato sem antes fazer essa avaliação, correrá o risco de terminar em um consórcio que não tem exatamente as características que você espera ou precisa, então tenha cautela nesse momento.

3 dicas para escolher o imóvel ao ser contemplado

A contemplação é um momento importante e geralmente significa o uso da carta de crédito. Com o dinheiro em mãos, chegou a hora de escolher em qual imóvel utilizar o dinheiro. Mas como escolher o primeiro imóvel? Confira a seguir:

Pense nas suas necessidades atuais e futuras

Na hora de escolher o imóvel, você precisará pensar em quais são as suas necessidades atuais e futuras, ao menos em médio prazo. Ao levar isso em conta, você garante que não será necessário mudar de imóvel tão cedo, além de assegurar o máximo de conforto em seu lar.

Por isso, pense em questões como localização, tamanho do imóvel e facilidades oferecidas. Tudo isso deve estar de acordo com o seu momento atual e também com parte do seu futuro.

Se você pretende começar uma família em breve, por exemplo, não adianta comprar um imóvel com apenas um quarto. Já se você pretende receber muito amigos, é melhor pensar em um imóvel com layout mais aberto e com, pelo menos, um cômodo extra.

Assim, a compra se torna uma atitude certeira e que ainda vai valer a pena por mais tempo.

Considere o preço

A sua carta de crédito tem um valor limitado, então é natural que você leve em consideração o preço do imóvel antes de adquiri-lo. Se a sua carta de crédito é de R$ 300 mil, não caia no erro de pesquisar imóveis de R$ 500 mil. Isso prejudicará os seus parâmetros de comparação e encontrar o imóvel certo se tornará muito mais difícil.

Apesar disso, você pode pesquisar por imóveis que tenham um pouco de variação em relação à sua carta de crédito. Se a sua carta de crédito é de R$ 300 mil e o imóvel custa R$ 305 mil, por exemplo, você pode tentar negociar o valor, já que o pagamento será à vista.

De qualquer forma, é muito importante que você se atenha ao valor da carta de crédito, a menos que você tenha um dinheiro guardado para complementar esse valor.

Pesquise com muita calma

Por se tratar do seu primeiro imóvel, é natural que você esteja ansioso para adquiri-lo de uma vez e, finalmente, se tornar um proprietário. A inexperiência, entretanto, pode fazer com que você compre um imóvel que parece uma ótima opção, mas que termina sendo uma verdadeira dor de cabeça ou um grande arrependimento.

Em vez de adquirir o primeiro imóvel que surgir à sua frente, pesquise com calma para que o seu dinheiro seja bem aplicado. Compare diversas opções, avalie as características de cada um e pondere a sua decisão para fazer a melhor escolha possível sobre como usar a sua carta de crédito.

O consórcio é uma possibilidade se você deseja comprar o seu primeiro imóvel de uma maneira fácil, conveniente e adaptada. Para isso, o funcionamento do consórcio precisa ter a ver com as suas necessidades e objetivos.

Depois de entender sobre o funcionamento do consórcio em si, é preciso escolher uma boa opção e isso significa escolher o consórcio que oferece o plano certo e que também traz segurança em relação à administradora.

Com a carta de crédito já em mãos após ser contemplado, basta escolher o imóvel que se adapte às suas necessidades e condição financeira, garantindo que você se torne, enfim, o feliz proprietário do seu primeiro imóvel!

E então, preparado para entrar em um consórcio? Comente aqui quais são as suas intenções e se ainda tem alguma dúvida sobre essa modalidade!
A Historia Do Consorcio Como Economia Colaborativa Artigo Blog