Meu Primeiro Imóvel

Pensando em casar: avalie iniciar um consórcio

Se você está pensando em casar, leia o nosso post e avalie a possibilidade de adquirir um consórcio de imóvel.

O casamento é um dos passos mais importantes que duas pessoas podem dar na vida. Afinal, além de representar a união afetiva do casal, o matrimônio também significa o compartilhamento de interesses, de sonhos e de projetos comuns, que pedem uma boa dose de dedicação para que possam ser realizados.

Nesse ponto, vale considerar que a compra de um imóvel próprio, onde a nova fase da vida possa ser iniciada e desenvolvida, figura entre as maiores realizações de um casal. Por isso, é interessante que quem está pensando em casamento também comece a avaliar a necessidade de aquisição da casa própria, o que poderá ser feito de maneira facilitada e vantajosa por meio de um consórcio.

Uma ajuda no planejamento

É claro que, desde a cerimônia, passando pela festa e pela lua de mel, tudo em um casamento precisa ser muito bem planejado. Contudo, depois das celebrações e quando a vida em comum começa efetivamente a existir, é preciso seguir um planejamento ainda mais consistente e de longo prazo.

Nesse planejamento, o consórcio se insere como um compromisso saudável para a economia do casal e que pode ser iniciado antes mesmo do casamento acontecer.

Disciplina para poupar

Naturalmente, pensar na economia para a realização dos desejos e das necessidades dos noivos é um dos aspectos essenciais para quem planeja casar. Nesse sentido, o consórcio se encaixa perfeitamente.

Considere que quando uma pessoa adere a um consórcio, automaticamente, ela também adere a uma disciplina de pagamentos das prestações mensais, o que representará uma verdadeira poupança a ser formada com o objetivo específico de comprar o imóvel.

Aliás, essa é uma das grandes vantagens que o consórcio oferece. Afinal, é bastante comum as pessoas iniciarem uma economia com determinado objetivo e, depois, acabarem se desviando daquele propósito inicial, gastando o dinheiro com outras necessidades ou mesmo com despesas não tão necessárias.

Se você nunca teve uma experiência pessoal como essa, provavelmente já ouviu falar de alguém que iniciou uma poupança para comprar um imóvel, por exemplo, e acabou desviando o dinheiro para trocar o carro ou para fazer uma viagem. Com o consórcio, essa possibilidade se torna bastante reduzida.

Economia na hora da compra

O casal inteligente sabe que o orçamento da nova família precisará ser bem calculado e que qualquer economia representará uma ótima vantagem para a realização dos planos que ambos têm. Nesse sentido, o consórcio se insere como uma alternativa que permite a compra de um imóvel com um gasto menor do que haveria se a aquisição fosse feita por meio de um empréstimo bancário.

Afinal, os custos de administração de um consórcio, mesmo somados aos seguros que o sistema prevê, são bastante inferiores aos custos dos juros dos financiamentos imobiliários. Em outras palavras, quem compra um imóvel utilizando o consórcio paga menos pelo bem adquirido.

Perspectivas de curto, médio e longo prazo

De fato, o consórcio é uma alternativa muito interessante para quem está pensando em comprar um imóvel, mas não tem pressa para a aquisição. Por isso, ele é perfeito para os casais que planejam o casamento para daqui a alguns anos. Contudo, isso não significa que não sirva para quem deseja casar mais brevemente.

É preciso considerar que as cartas de crédito no consórcio podem ser recebidas de duas formas: na contemplação por sorteio ou por lance, o que pode ocorrer do início ao fim do plano.

No primeiro caso, é claro, é preciso contar com a sorte de ter o número da cota sorteado no momento mais apropriado para a compra. Por outro lado, se houver algum dinheiro disponível, suficiente para dar um lance vencedor durante as assembleias do consórcio, a carta de crédito poderá ser recebida antecipadamente.

Há ainda a possibilidade de aquisição de cotas em grupos já em andamento, o que pode reduzir bastante o tempo de duração do consórcio e, consequentemente, abreviar o recebimento da carta de crédito.

Aluguel x consórcio

Muitas vezes, quando os noivos resolvem se casar sem condições de comprar a casa própria de imediato e sem a disponibilidade de outro imóvel para morar, o aluguel surge como única solução para a moradia. Contudo, sempre vale considerar que o dinheiro que é pago na locação de um imóvel soluciona a questão urgente, mas jamais será recuperado.

As prestações do consórcio, por sua vez, serão convertidas em um patrimônio sólido, que servirá ao casal por muitos e muitos anos. Essa também é uma consideração que merece bastante atenção por parte de quem está pensando em casar.

A partir dela, o planejamento da compra do consórcio pode ser feito de maneira apropriada. Numa situação ideal, talvez seja possível combinar o recebimento da carta de crédito e, por consequência, da compra do imóvel, com a data do casamento, evitando assim que o casal tenha que pagar aluguel por qualquer período que seja.

Por outro lado, também é indicado prever outra situação menos confortável, na qual esta coincidência não seja possível. Se for este o caso, o planejamento do casal deve prever tanto o pagamento das prestações do consórcio quanto o pagamento do aluguel, o que exigirá uma atenção especial com relação ao orçamento.

Uma reserva segura

Todo bom planejamento deve considerar as exceções que podem impedir ou adiar a realização dos objetivos para os quais eles foram criados. Por exemplo, suponha que, antes da compra do imóvel, surja uma boa oportunidade de investimento em um negócio qualquer que, no momento, seja mais vantajoso para o casal do que a compra do imóvel.

Ora, ainda que o planejamento inicial para a aquisição do consórcio vise a aquisição do imóvel, isso não significa que o dinheiro da carta de crédito não possa ser utilizado para outros fins.

Na realidade, a carta de crédito é um documento que tem um valor financeiro que, inclusive, pode ser resgatado em espécie junto à administradora (após a quitação do plano). Isso significa que, além de proporcionar os meios para a aquisição do imóvel, o consórcio também pode ser visto como uma reserva segura de dinheiro.

Aliás, a segurança é total, uma vez que uma administradora de consórcio só pode atuar no mercado mediante autorização do Banco Central, órgão que também fiscaliza as empresas responsáveis por esse tipo de negócio.

Agora que você já tem informações suficientes para avaliar a compra de um consórcio, leia também o nosso post e entenda quais são os documentos necessários na compra de imóveis!