Planejamento Financeiro

8 erros que derrubam o seu planejamento financeiro pessoal

Não sabe mais o que fazer para melhorar as finanças e comprar seu carro ou imóvel? Veja se está cometendo algum desses erros.

O assunto planejamento financeiro pessoal, para muitos, ainda é um campo desconhecido, mesmo depois que se chega à vida adulta.

Esse tema deveria ser debatido desde a infância para que a criança já começasse a entender o valor do dinheiro e, ao chegar na vida adulta, conseguisse se organizar para realizar os seus sonhos, como comprar o primeiro carro ou um imóvel. Porém, a realidade é bastante diferente e a maioria das pessoas não tem nenhum controle sobre o dinheiro, o que resulta em muitas dívidas.

Visando mudar isso, deve-se aprender a usar o dinheiro a seu favor e não viver em função dele. Acima de tudo, é necessário entender onde estão seus maiores erros para que eles possam ser corrigidos. Para ajudar nessa etapa, separamos os erros mais comuns do planejamento financeiro pessoal e como fazer para evitá-los. Veja abaixo:

1 - Não conhecer os seus gastos

É fato que a maioria das pessoas que tem dinheiro na carteira acaba gastando-o e, muitas vezes, nem sabe com o quê. Apesar desse valor parecer pequeno, se somar esses “pequenos gastos”, ao final do mês poderá perceber que não são assim tão insignificantes.

Anotar tudo o que gasta é fundamental para começar a organizar o planejamento financeiro pessoal.

Marque tudo que gastar. Faça isso em uma planilha ou até mesmo em aplicativos específicos para esse fim, que ajudam a colocar as contas em dia.

2 - Achar que os gastos fixos não mudam

Os gastos fixos são aquelas contas que devem ser pagas todos os meses, como água, luz, aluguel, telefone e outras. Apesar de não ter como se livrar delas, os valores podem mudar de um mês para o outro.

Deve-se saber que esses gastos podem sofrer variações e estabelecer uma média para conseguir fazer um planejamento adequado, mas sempre ciente de que eles mudam.

3 - Deixar de acompanhar as contas

Não acompanhar as contas com frequência faz com que gastemos mais por não sabermos exatamente quanto ainda temos. Por isso, muito mais do que anotar todos os gastos é preciso fazer um acompanhamento pelo menos duas vezes por semana.

Ao fazer isso se sabe o quando do salário já foi empregado no pagamento de contas ou em outros gastos e quanto se tem até o próximo mês. Dessa maneira, fica mais difícil contrair dívidas.

4 - Querer comprar tudo de imediato

Ao comprar por impulso, muitas vezes, acaba se pagando mais caro por um produto porque a pesquisa de preço não ocorreu e não se pode fazer uma comparação dos valores. Principalmente quando estamos falando de bens de maior valor, a pesquisa se faz fundamental, além, é claro, da calma na hora de comprar, sempre aguardando o momento certo.

Vale lembrar que não são apenas as compras de bens que devem ser feitas com cuidado, mas os passeios e jantares fora também precisam fazer parte do planejamento financeiro pessoal, com valores estipulados por mês.

5 - Comprar tudo parcelado

Bastou falar que a compra pode ser feita parcelada e sem juros que as pessoas logo correm para comprar, afinal, só precisam pagar depois. O problema é que se não tem dinheiro agora, terá no futuro?

Por mais que a parcela seja pequena, se todas as suas compras acabam sendo parceladas, a soma dessas pequenas parcelas pesará muito no orçamento. Isso sem falar que, mesmo não tendo juros, uma negociação à vista pode render um bom desconto.

Use o parcelamento somente após incluí-lo no seu planejamento financeiro e se for extremamente necessário. Para os demais casos, sempre opte por pagar à vista.

6 - Não saber como funciona o cartão de crédito

O cartão de crédito parece a solução mágica para todos os seus problemas, pois permite parcelar as contas e pagar só daqui a 40 dias em alguns casos. E o melhor: se não tiver dinheiro para pagar toda a fatura, pode-se pagar apenas o valor mínimo.

Se tudo isso fosse assim as mil maravilhas não haveria tantas pessoas endividadas por conta do cartão de crédito. Deve-se entender que ele pode ser bastante útil, desde que se conheça o seu funcionamento. O cartão é uma ótima solução para parcelar as contas desde que se tenha dinheiro para pagar o valor total da fatura, pois, caso contrário, acabará gerando cobrança de juros que deixarão a sua dívida muito maior no curto prazo.

Lembre-se de que essa forma de pagamento deve ser usada apenas em casos de emergência e somente quando se sabe muito bem quais encargos podem ser gerados.

7 - Não incluir uma reserva de emergência no planejamento financeiro pessoal

Planejar as finanças significa pensar em todas as possibilidades que envolvem o seu dinheiro para conseguir atingir as suas conquistas. Se quer comprar um carro, precisará juntar dinheiro ou se organizar para pagar as parcelas, mas no meio do caminho pode surgir um imprevisto, como ser demitido, por exemplo. E então, como fará para arcar com os compromissos?

A reserva financeira é fundamental para ajudar nesses momentos. O ideal é destinar cerca de 10% dos ganhos todos os meses para formá-la, lembrando que esse valor não deve ficar disponível na conta corrente para não se misturar com o restante do dinheiro.

É indicado que ele seja aplicado em algum investimento a curto prazo, pois assim renderá e também poderá ser usado em casos de emergência.

8 - Querer um padrão de vida pelo qual não consegue pagar

Quem não gostaria de esbanjar dinheiro sem se preocupar com isso? Mas é preciso adequar a sua realidade e padrão de vida aos seus ganhos. Não adianta querer comer fora todos os dias, ter o carro do ano e morar em um lugar nobre se não pode pagar por isso.

Deve-se ser realista em relação as suas possibilidades. Isso não quer dizer que precisará abrir mão de tudo, mas sim adequar suas contas para que não fiquem negativas todos os meses. Fazendo seu planejamento financeiro pessoal corretamente é possível usufruir de alguns mimos dentro das suas possibilidades e ainda comprar o carro ou a casa dos seus sonhos.Confira como o planejamento e organização financeira podem ajudá-lo a alcançar seus objetivos pessoais!