Planejamento Financeiro

Como calcular a rentabilidade de um investimento? Entenda!

É fundamental saber calcular a rentabilidade dos seus investimentos, você sabia? Descubra como fazer isso aqui!

Muito se fala em investimento e rentabilidade. Mas você sabe o que rentabilidade significa e como calculá-la? Rentabilidade é a renda líquida gerada por qualquer tipo de investimento.

Em tempos de inflação em alta, é importante buscar investimentos atrelados aos indicadores de inflação como o Índice Geral de Preços do Mercado (IGPM) e o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), ou ainda investimentos que paguem acima da inflação.

O consórcio também é uma possibilidade de investimento, já que se configura como uma maneira segura de fazer seu patrimônio crescer.

Neste post, você aprenderá como calcular a rentabilidade de um investimento. Confira:

Como calcular a rentabilidade de um investimento?

Um ativo pode ser medido pela relação entre o lucro líquido gerado (após a incidência do Imposto de Renda) e o valor investido. De uma forma simples, é preciso calcular o quanto se recebe em relação ao total investido.

É fundamental saber calcular a rentabilidade de um investimento por duas razões: para gerir os riscos envolvidos e para garantir que os rendimentos sejam satisfatórios em relação à estratégia de investimento.

Exemplo

Foram investidos R$ 1.000 que rendem R$ 15,00 no mês. Portanto, o valor total é de R$ 1.015. A conta pode ser feita de forma direta simplesmente dividindo o rendimento pelo capital R$ 15,00 ÷ R$ 1.000 = 0,015 (ou 1,5%) = rendimento.

Perfis de investidores

O mercado costuma dividir os perfis em: conservador (muito avesso ao risco), moderado (pouco ou médio risco) e arrojado (risco elevado).

Para cada perfil, há investimentos mais aconselhados: para o conservador o mais recomendado são os títulos públicos, para o moderado indica-se o Certificado de Depósito Bancário (CDB), as Letras de Crédito Imobiliário (LCI) e os fundos de renda fixa.

Já para o arrojado, outra possibilidade, além de todas as opções anteriores são os fundos multimercado, que têm por objetivo diversificar os investimentos. Renda fixa, moedas, ações e commodities, tanto no Brasil como no exterior, são algumas das possibilidades.

Como escolher onde investir?

Para escolher onde colocar seu dinheiro, o investidor deve, antes de mais nada, analisar o risco do investimento. Fundos de renda fixa têm, em geral, obrigação de manter, em média, 90% dos seus ativos em renda fixa. A rentabilidade dele será, em geral, mais baixa, porém sempre positiva.

Fundos de risco moderado e alto são fundos que aplicarão em taxas cambiais e bolsas de valores, por exemplo. Esses podem apresentar rendimentos bem mais altos, porém há o risco de perdas.

Depois de analisado o perfil do fundo e do investidor, deve-se analisar a rentabilidade dos papéis nos quais o fundo investe, pois isso refletirá diretamente o rendimento do fundo.

Lembrando que rendas passadas não são garantia de rendas futuras, mas é sempre interessante analisar o histórico do fundo. Nesse momento é importante aplicar as análises de rentabilidade conforme os cálculos acima demonstrados para comparar os retornos de cada.

Outra possibilidade a ser considerada é investir em consórcios. Pode ser interessante para aqueles que têm uma renda mensal assegurada, para aqueles que já têm uma parcela do seu patrimônio aplicada em investimentos tradicionais, como os mencionados anteriormente, ou ainda para aqueles que querem comprar imóveis como investimento, mas não desejam ficar descapitalizados.

Entender melhor como o consórcio de imóveis funciona, e os seus benefícios, é importante para tomar essa decisão.

A atual crise econômica gerou uma grande desvalorização das empresas brasileiras pela falta de perspectiva de geração de lucros futuros e pela desvalorização do Real. O investidor deve estar atento a essa situação porque a crise sempre gera ótimas oportunidades para se ganhar dinheiro, mas também são decisões para quem tem "nervos de aço".

Agora que você já sabe como calcular a rentabilidade de um investimento, analise com calma suas opções e arrisque-se! Alcançar todos os seus objetivos requer se organizar financeiramente. Veja dicas para conquistar suas metas!