Planejamento Financeiro

Orçamento pessoal: 8 passos para organizar o seu!

Está sempre sem dinheiro? Então descubra como organizar seu orçamento pessoal em 8 passos e conquiste seus sonhos!

Você tem sonhos ou objetivos que gostaria de realizar, mas parece que nunca sobra dinheiro? Se sua resposta for sim, talvez o problema esteja na má administração de seu orçamento pessoal. Isso pode ser resolvido com algumas atitudes simples para organizar melhor suas finanças.

Você tem sonhos ou objetivos que gostaria de realizar, mas parece que nunca sobra dinheiro? Se sua resposta for sim, talvez o problema esteja na má administração de seu orçamento pessoal. Isso pode ser resolvido com algumas atitudes simples para organizar melhor suas finanças.

Afinal, conquistar o equilíbrio financeiro é a maneira mais fácil de fazer com que suas receitas sejam aproveitadas da melhor forma possível. Assim, é possível pagar todas as contas e ainda construir uma reserva para alcançar objetivos, como uma viagem, cursos, comprar um carro e, até mesmo, conquistar a casa própria.

Por isso, neste artigo, falaremos sobre a importância de organizar o orçamento pessoal e daremos dicas para que você possa melhorar sua saúde financeira e realizar seus sonhos. Confira!

A importância de organizar seu orçamento pessoal

Organizar seu orçamento pessoal permitirá que você tenha uma melhor compreensão sobre suas receitas e despesas. Isso é importante para ter uma noção real de sua situação financeira e elaborar planos e metas realistas para o futuro.

Ou seja, conhecendo seus hábitos de consumo é possível planejar melhor seu dia a dia, para otimizar suas receitas sem que seu padrão de vida seja comprometido. A ideia é eliminar desperdícios e superfluidades que, somados, acabam pesando no orçamento.

Dessa forma, será possível economizar todo mês e guardar dinheiro para criar um fundo para emergências. Além disso, permitirá a você poupar para realizar seus sonhos e objetivos de vida, seja pensando em longo prazo, como a compra de um imóvel, por exemplo, ou em um futuro próximo, como completar seus estudos.

Como organizar seu orçamento pessoal em 8 passos

Muitos casos nos quais a pessoa tem problemas financeiros ocorrem por falta de organização do orçamento pessoal. Assim, muita gente deixa de realizar seus sonhos e melhorar de vida por conta da falta de dinheiro.

E não é difícil começar a controlar suas finanças. Com algumas pequenas atitudes é possível cortar gastos desnecessários e desperdícios, fazendo com que sua renda seja melhor aproveitada e sobre dinheiro para seus objetivos de vida.

Quer saber como? Confira abaixo nossas dicas de 8 passos para melhor organizar seu orçamento pessoal e comece já a planejar seu futuro!

1. Crie uma planilha de orçamento

O primeiro passo para se organizar financeiramente é criar uma planilha, discriminando todas as suas despesas e suas receitas. Essa planilha deve ser alimentada com os números exatos de cada entrada e saída de dinheiro, separadas por categorias, para poder entender onde está ocorrendo o desequilíbrio nas contas.

Na internet é fácil conseguir o modelo de uma planilha de controle financeiro ou mesmo aplicativos para celular que ajudam a organizar suas finanças.

2. Classifique os gastos de acordo com a importância

Após identificar cada item de suas despesas, o ideal é classificá-las de acordo com a importância. Assim, separe primeiro as essenciais, como os gastos com moradia (aluguel ou prestação do imóvel, condomínio), impostos, contas de consumo (água, luz e gás), educação, saúde (planos de saúde e remédios), supermercado e transporte.

Depois, as importantes, mas que podem ser cortadas em uma emergência, como vestuário, internet, telefone e celular, televisão paga e seguros (do carro, da casa). E, por último, as supérfluas, como bares e restaurantes, cinema, academia, salões de beleza, entre outros.

3. Avalie e corte despesas

O controle orçamentário é fruto de um estudo de seus hábitos de consumo. Assim, é importante avaliar cada gasto de acordo com a importância para seu padrão de vida.

Portanto, veja se todas as despesas são mesmo necessárias, como pontos adicionais de tevê a cabo, idas ao salão de beleza, academia e clube. Se algum desses serviços for pouco utilizado, é melhor cortá-lo.

4. Diminua nas contas de consumo

Avalie se os planos de internet e televisão são necessários ou se podem ser substituídos por pacotes mais baratos. Confira, também, se o plano de celular está adequado ao seu perfil. Se houver despesas frequentes com dados avulsos para uso da internet, por exemplo, vale a pena pagar um mais completo, pois sairá mais barato no final.

Além disso, é importante conseguir reduzir os gastos com energia elétrica, diminuindo o tempo no chuveiro, passando somente as roupas necessárias e trocando as lâmpadas por modelos mais econômicos.

5. Evite fazer refeições na rua

As refeições fora de casa saem muito mais caras do que fazer sua própria comida. Assim, optar por levar marmitas para o serviço e comprar petiscos e lanches no supermercado em vez de bares e padarias pode representar uma economia grande no final de cada mês.

6. Torne suas dívidas mais baratas

Se você tem dívidas com cartões de crédito ou cheque especial, o melhor a fazer é quitá-las, mesmo que para isso seja preciso contratar um empréstimo pessoal no banco. Essa troca geralmente compensa bastante, pois os juros de um empréstimo costumam ser bem mais baratos (em relação aos cobrados pelo cartão de crédito), especialmente se for consignado.

7. Reduza os gastos com tarifas e seguros

Deve-se, também, rever produtos contratados, como seguros e cartões de crédito, além de tarifas bancárias, negociando com as instituições ou buscando na concorrência por preços mais baratos, sem que haja perda de benefícios.

Com uma ligação é possível negociar as anuidades do cartão de crédito, por exemplo. Já as tarifas de contas-correntes variam bastante de um banco para outro.

Para os seguros, deve-se conferir no contrato os serviços e coberturas adicionais incluídos e avaliar suas necessidades. Se precisar trocar de empresa, não tem problema: a classe de bônus é pessoal e seguirá você não importando qual seguradora seja escolhida.

8. Comece a poupar dinheiro

Por fim, o dinheiro que sobrar precisa ser poupado de forma segura e constante para que não sejam criados novos gastos desnecessários. Assim, fazer um investimento pode ser uma boa escolha — mas deve-se ter cuidado com a liquidez de cada produto para não perder dinheiro em impostos.

Para quem já possui um objetivo em mente, como comprar um carro, uma casa própria ou até uma viagem, contratar um consórcio faz bastante sentido, pois torna-se uma contribuição mensal para si mesmo e para seu sonho.

Como vimos, uma boa parte das pessoas deixa de conquistar seus sonhos por não terem um controle financeiro, desconhecendo os reais valores e importâncias de suas despesas. Assim, organizar o orçamento pessoal é uma maneira simples e fácil de economizar e fazer com que sua renda seja otimizada, sobrando dinheiro para a realização de seus objetivos!