Planejamento Financeiro

Planejamento financeiro: 6 dicas para cortar gastos desnecessários

Confira esse artigo que preparamos para você começar a cortar gastos desnecessários e começar a realizar seus sonhos!

Nenhum objetivo é alcançado sem planejamento, tanto no âmbito profissional quanto nos projetos pessoais. E para tudo que se planeja, é recomendável ter uma estratégia, além de métodos eficientes para chegar ao alvo desejado. Com o dinheiro não é diferente: é preciso cortar gastos desnecessários para ver os objetivos serem alcançados.

Às vezes, o dinheiro simplesmente não sobra, apesar do orçamento ser aparentemente folgado, e fica aquela sensação de que não sabemos onde ele foi gasto e de que não fizemos nada efetivamente útil com nossas receitas. O fato é que os pequenos gastos do dia a dia somem com o nosso saldo e, quando menos se espera, a conta zerou.

Se você está se preparando para planos e objetivos e não tem ideia por onde começar a poupar, confira esse artigo: nele, reunimos algumas dicas práticas para ajudar você a definir estratégias e opções para melhorar a administração do seu dinheiro.

1. Defina seus objetivos

A primeira coisa a fazer é especificar o que você quer conseguir. Quem não sabe para onde vai, não chega a lugar nenhum, não é mesmo? Seja prático quanto a isso e terá objetivos bem claros a tratar. Siga os seguintes passos:

- Anote os seus desejos para os próximos meses ou anos. Começar uma graduação, comprar um novo carromorar sozinho. Seja o que for, comece tomando nota;

- Analise seus gastos e veja quanto terá disponível por mês para destinar à reserva financeira;

- Pense no prazo em que será possível alcançar esse objetivo. Cada qual deve ter seu prazo definido e realista. Pense quanto precisará ter em mãos e calcule, a partir da sua disponibilidade mensal, quanto tempo levará para alcançar esse total.

Por exemplo, se você quer comprar um novo notebook, que custa R$ 2.000,00, e pode contar com R$ 400,00 por mês, o prazo para esse objetivo é de cinco meses. Faça isso para todos os itens anotados e você terá, claramente, a lista de seus sonhos ou suas metas e o prazo em que cada um deverá ser realizado.

2. Estabeleça prioridades financeiras

É claro que juntar dinheiro para realizar tudo ao mesmo tempo fará com que cada objetivo demore mais para ser alcançado. Logo, essa não é uma das melhores maneiras de organizar suas conquistas.

Ao invés disso, verifique qual a ordem de prioridade de todas elas. Se pergunte quais as mais urgentes e mais fáceis de serem alcançadas. Agora, basta que organize sua lista de maneira temporal: quando um dos objetivos for alcançado, o outro será o foco da vez.

Uma dica importante é priorizar o que facilitará o alcance dos demais e ajudará a minimizar seus custos. Por exemplo, se você precisa de um novo carro porque o atual está gerando muitos gastos com manutenção, então pode ser que essa substituição resulte em um saldo remanescente maior. Pense com cuidado e não se deixe levar apenas pelos desejos: é preciso tomar decisões estrategicamente!

3. Determine limites de gastos

Para ter um bom planejamento financeiro, não é preciso se privar de todas as diversões e atividades fora de rotina. Basta que você limite, previamente, quanto deixará disponível para essa importante área da sua vida que é o lazer.

Faça um cálculo baseando-se nas atividades que gostaria de manter durante o mês: happy hour, cinema, praia; seja o que for, o importante é estabelecer o máximo que gastará com isso.

Lembre-se que não é preciso privar, mas sim, equilibrar, cortando os excessos que ocorrem quando não planejamos previamente o quanto podemos gastar.

4. Separe cada parte do orçamento

Um dos erros mais comuns de quem se planeja financeiramente é deixar todo o saldo disponível junto na conta. Assim fica fácil escorregar no planejamento e acabar utilizando mais do que se deve.

Uma sugestão muito simples e prática é separar o valor reservado para cada gasto. Por exemplo:

- Guarde o saldo de reserva — na poupança ou em outro investimento que esteja acessível quando você precisar — para cada item de seu planejamento. Se seu próximo objetivo tem que ser alcançado em seis meses, só invista em alternativas cujo prazo de resgate seja inferior a esse período;

- Pague todas as contas fixas mensais para que fique disponível para movimentação apenas o valor livre para sua manutenção mensal. Assim, você não corre o risco de esquecê-las e achar que tem mais dinheiro disponível do que realmente tem;

- Você pode, ainda, separar em envelopes semanais o saldo residual, para que você limite o teto de gastos por semana com alimentação, deslocamento, lazer e etc.

Por exemplo, se depois de pagar todas as contas e separada a reserva mensal para seus objetivos, sobram R$ 800,00, seu limite de gastos semanais será de R$ 200,00, que podem ser separados e guardados em um local seguro para que você gaste somente o valor reservado para cada semana. E, nessa separação, você ainda pode fazer outro fracionamento, considerando o total disponível para o lazer.

5. Opte por se alimentar em casa

Alimentar-se em restaurante é uma das formas mais rápidas de se gastar mais que o planejado. Comer fora é mais caro e, por vezes, acompanha bebidas e sobremesas, que encarecem ainda mais a refeição.

Se você trabalhar perto de onde reside, tente fazer suas refeições em casa. Caso seja possível, prepare todas as refeições necessárias para o período de trabalho. Frutas e outros alimentos leves para o lanche, além do almoço, podem ser acondicionados e levados com você diariamente.

Você ainda agrega o benefício de se alimentar de forma mais saudável, já que pode preparar sua própria comida, conforme sua vontade.

6. Busque opções de lazer gratuitas

Se a reserva para o lazer for curta, não desanime! Há muitas opções de diversão gratuitas. Inclusive, existem sites especializados em divulgar essas alternativas.

Passeios entre amigos, reuniões em casa, praia e eventos culturais podem ser ótimas opções de saídas com custo muito próximo de zero, que servem para relaxar um pouco, sem provocar nenhum dano no orçamento!

Lance mão de alternativas para se divertir em casa, com a família e entre amigos, como jogos de tabuleiro ou filmes.

Os filmes podem ensinar muito sobre dinheiro e sobre a importância do controle das finanças. Veja nossas sugestões!