Sustentabilidade

Conheça 7 estratégias para colocar o consumo sustentável em prática

Cuidar do planeta ou realizar seus sonhos? Com o consumo sustentável, você pode fazer os dois! Descubra como!

Houve um tempo em que possuir muitos bens de consumo era praticamente sinônimo de êxito pessoal e profissional. Assim, quem tinha mais provava para a sociedade que havia chegado ao topo da escada do sucesso.

No entanto, hoje, o indivíduo é valorizado por atributos bem menos superficiais. Em vez de ter um milhão de itens, ser uma pessoa consciente e praticar o consumo sustentável está na moda.

Sim, é possível que você ainda conheça pessoas que meçam os outros pelo antigo padrão do ter / consumir. No entanto, a visão mais humana e consciente tem obtido cada vez mais espaço, para a felicidade de quem valoriza a essência e para o bem do planeta.

E você, já pratica o consumo sustentável? Sabe quais são as pequenas atitudes que fazem toda a diferença na hora de comprar produtos e lidar com resíduos? Pois agora nós vamos contar como é possível fazer economia e ainda ajudar o meio ambiente por meio de 7 estratégias simples. Quer saber quais são elas? Então, continue a leitura!

1. Analise o seu dia a dia

O primeiro ponto fundamental é analisar as pequenas atividades do cotidiano. Existem coisas que fazemos de determinada forma porque simplesmente fizemos assim a vida inteira — ou, às vezes, porque nossos ancestrais faziam.

E isso vale para tudo: o costume de comprar certos produtos com um tipo específico de embalagem (mesmo que ela seja péssima para o ambiente), jogar o papelzinho da bala na rua e justificar essa atitude dizendo que a prefeitura não coloca lixeiras suficientes nas ruas, deixar a torneira aberta durante a lavagem da louça ou escovação dos dentes.

São essas pequenas atitudes que, quando realizadas por todos nós, se tornam uma solução para os problemas ou uma somatória de agravantes. Portanto, se queremos um planeta preservado e limpo, precisamos começar a nos responsabilizar por esses hábitos simples em primeiro lugar.

2. Faça uma lista de compras

Sair de casa sem uma lista de compras predefinida, e ainda mais com fome, é uma verdadeira armadilha. O impulso da maioria das pessoas, nesse caso, é pegar tudo o que vê pela frente — um problema para o orçamento que dificulta o controle dos gastos e também uma forma de desperdício.

Segundo o Instituto Akatu, 1/3 daquilo que compramos vai direto para o lixo. Em outras palavras, rasgamos 30% do nosso salário comprando itens que não vamos consumir. Não é assim que se conquista a prosperidade financeira, certo?

Além disso, os produtos desperdiçados poderiam ser melhor aproveitados por outras pessoas ou seu consumo reduzido evitaria a extração de matéria-prima da natureza, ajudando a preservar o ambiente.

Portanto, fazer uma lista antes de partir para o mercado e a feira vai ajudar a manter sua saúde financeira. Essa atitude é uma estratégia para comprar apenas o necessário. Isso vai contribuir, inclusive, para que você entenda como funciona o fluxo de produtos na sua casa: o que dura mais ou menos, com que frequência comprar etc.

3. Instale equipamentos para otimização dos recursos

Atualmente, muitas empresas têm se esforçado para produzir equipamentos que permitem a otimização de recursos. Assim, você pode instalar painéis solares, por exemplo.

Esse tipo de equipamento permite a utilização de uma fonte gratuita — a luz do sol — para produzir a eletricidade em sua casa. Sua fatura de energia elétrica vai despencar e você ainda vai contribuir para a preservação do ambiente. Em outras palavras, gasta menos e melhor.

Veja outros itens que otimizam a utilização dos recursos:

· lâmpadas LED;
· válvulas para descarga de acionamento duplo;
· formulários, documentos e faturas virtuais em vez de impressos.

Há muitos outros exemplos, mas com esses você já pode ter uma ideia de como é possível economizar recursos, especialmente os naturais.

4. Informe-se sobre a origem dos produtos

Esse é um ponto muito importante. Ninguém paga por um produto apenas o preço da etiqueta. Uma mercadoria mais barata pode ter um custo oculto em prejuízos ambientais, sociais e à própria saúde do usuário.

Por isso, é importante certificar-se da origem dos produtos. Aqueles que são falsificados e contrabandeados podem ter sido fabricados sem levar em consideração normas legais e determinações com a finalidade de preservar o meio ambiente.

Mesmo que seja mais caro comprar o produto de uma empresa legalizada, isso contribui para a geração de empregos estáveis (bem-estar social), combate ao crime organizado e à violência.

Pensar somente no preço da etiqueta tem um custo social e ambiental muito alto. E não se engane — de uma forma ou de outra, você também paga essa conta.

5. Compre produtos de qualidade

Hoje, muitas empresas trabalham na fabricação de produtos pensando que não é para eles serem duráveis. Seja pela baixa qualidade ou pelas variações do design, muitos deles são programados para se tornarem obsoletos rapidamente. Assim, o consumidor compra mais.

Não caia nessa armadilha! Ao comprar suas roupas, um novo carro, eletrodomésticos, dê preferência àqueles que são mais duráveis. Pense em um design menos suscetível a essa percepção de obsolescência e aposte nos materiais mais resistentes.

6. Opte por serviços ecológicos

Seja na lavagem do carro ou das roupas, na produção de alimentos orgânicos e muitos outros serviços, o mercado tem ofertado produtos e serviços cada vez mais ecológicos — aqueles que procuram agredir menos o meio ambiente.

Essa é uma forma de cooperar para a preservação do planeta e praticar o consumo sustentável. Portanto, se você tiver a oportunidade de prestigiar essas empresas, essa é uma atitude que vai contribuir para um mundo melhor.

7. Evite o consumo desenfreado

Uma visita aos centros de comércio, como shoppings, pode ser verdadeiramente tentadora. Muitos não conseguem resistir ao apelo das vitrines, das promoções, das liquidações etc.

Porém, tudo o que compramos sem termos a real necessidade é um desperdício de recursos financeiros e naturais. Portanto, esse é um hábito que precisa ser mudado.

Se a questão ambiental não é um motivador suficientemente forte, que tal tentar outra estratégia? Coloque um alvo: uma viagem, a compra de um carro, a aquisição de um imóvel. Divida o investimento mensal que vai precisar fazer em cotas.

Assim, quando sair para o shopping e for tentado a comprar uma mercadoria, avalie: "quantas cotas do meu objetivo maior eu estou desperdiçando com esse desejo momentâneo"? Isso pode ajudá-lo a falar "não" com muito mais facilidade!

8. Desenvolva hábitos simples

O que já se tornou um imperativo da moda várias vezes também vale para a vida: menos é mais.

Portanto, mudar e adotar hábitos simples em relação ao consumo ou ao cuidado com o ambiente pessoal e global, faz toda a diferença.

Consumir alimentos naturais, trocar o trânsito por um trajeto de bicicleta, reutilizar produtos em bom estado e reformar os que podem ser consertados, separar o lixo para a coleta adequada — esses hábitos simples podem revolucionar sua forma de ver o mundo, salvar o planeta e garantir o caixa necessário para a realização de sonhos!

Gostou do nosso post? Entendeu como atitudes elementares podem ajudá-lo a praticar o consumo sustentável?
Guia Completo Sobre Economia Colaborativa