Sustentabilidade

Entenda o que é o consumo sustentável e a importância de aderir essa prática

Faça sua parte na preservação do planeta. Comece entendendo e praticando o consumo sustentável. Leia nosso post!

Já percebeu como a ideia de consumo sustentável tem sido divulgada com frequência nos últimos anos? Desde junho de 1992, quando aconteceu no Rio de Janeiro a Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, ouve-se falar mais sobre a importância de se rever comportamentos e de promover mudanças em nossos padrões de consumo e de produção.

No entanto, muita gente ainda não entendeu claramente o conceito e a relevância de se aderir ao consumo sustentável, pelo bem do planeta e do futuro da humanidade.

Por isso, elaboramos este artigo: para incentivar você a rever seus conceitos e a tomar atitudes fundamentais que serão benéficas a todos.

O que é consumo sustentável?

Consumo sustentável, consumo consciente, consumo responsável, consumo verde: todas são variantes de um mesmo conceito.

Tendo em mente que nossos hábitos de consumo trazem impacto para o meio ambiente, podemos entender que consumo sustentável é o uso de produtos e serviços de tal maneira que esse impacto seja mínimo, tanto para a presente geração quanto para as futuras.

Quando adotamos o consumo consciente, contribuímos para o uso racional dos recursos naturais e minimizamos o desperdício, a poluição e os impactos negativos para o meio ambiente. É fundamental, portanto, que encontremos meios de suprir as nossas necessidades sem afetar negativamente o planeta.

Além da vantagem primordial de preservar o meio ambiente, as mudanças de nossos hábitos de consumo implicam, também, em benefícios para o bolso, na medida em que nos leva a reduzir despesas e a poupar mais.

Como praticar o consumo sustentável?

Há muitas maneiras de se praticar o consumo sustentável, seja cultivando pequenos hábitos no dia a dia, seja revendo nossos valores e repensando nossas necessidades materiais. Vamos ver como podemos colocar tudo isso em prática?

Separar o lixo reciclável

Mesmo que não haja coleta seletiva em seu bairro, você pode separar material reciclável de seu lixo doméstico e descartar em sacos diferentes, para facilitar a coleta de quem vive de reciclagem.

Separe latas, garrafas de vidro (sempre embrulhadas em jornal, para a segurança de quem manuseia o lixo), caixas de papelão, embalagens de ovo, plásticos, revistas, jornais etc. Descartar material reciclável separado do lixo orgânico já será de grande ajuda.

Reciclar em casa

Em casa, a reciclagem pode funcionar, também, como uma ótima opção de lazer e economia. Com uma boa mão de tinta e uma dose de criatividade, aquele móvel velho que você estava pensando em jogar no lixo pode se transformar em uma peça moderna e colorida.

A camiseta velha e desbotada pode ser tingida ou então customizada e transformada em outra peça — você sabia que em algumas regiões existe o costume de fazer uma roupinha para o recém-nascido com o tecido de uma peça de roupa do pai ou da mãe? É uma possibilidade!

A internet oferece uma variedade enorme de tutoriais com vídeos ensinando a reciclar todo tipo de material que a gente tem em casa. É divertido, bom para o meio ambiente e a economia que você faz vai engrossar a caderneta de poupança!

Reaproveitar o lixo orgânico

A compostagem, técnica de transformar o lixo em adubo orgânico para as plantas, pode ser colocada em prática até dentro de apartamentos. Se não há um quintal com espaço para um canteiro separado para a compostagem, você pode utilizar caixas, de preferência, de madeira, com furos laterais para deixar o ar sair.

Alterne camadas de cascas de frutas, ovos e legumes com folhas, serragem ou palha. Cubra o recipiente com lona para evitar mosquitos. Revolva a mistura com uma pá e regue a cada dois dias, cuidando para não deixar muito encharcado.

Em algumas semanas, a mistura vai ficar marrom escura e apresentar um cheiro de terra — isso significa que ela já está pronta para adubar seus canteiros ou os vasos de planta.

Reduzir o uso de plásticos

Um único saco plástico que você deixa de pegar no supermercado já faz uma grande diferença. Leve a sua sacola de pano ou use as caixas de papelão que os supermercados oferecem aos clientes. Você pode, também, reutilizar os mesmos sacos plásticos que levou para casa na última compra.

Evite também usar produtos plásticos descartáveis. Quer comemorar um aniversário? Prefira os tradicionais copos e pratos de cerâmica ou vidro. Tente não usar também os canudinhos para refrigerantes e sucos. E, no supermercado, prefira sempre os produtos embalados em caixas de papelão, em vez de plásticas.

E as gomas de mascar? Parecem inofensivas, mas também contém plástico na composição e podem permanecer até 100 anos na natureza. Como você vê, até uma atitude simples como deixar de consumir gomas de mascar também significa praticar o consumo sustentável.

Ser responsável ao consumir água, luz e produtos químicos

Talvez este seja o item em que seja mais fácil tomar atitudes concretas e eficientes no dia a dia. Os exemplos são muitos:

· diminuir o tempo do banho e fechar a torneira ao ensaboar-se;
· não deixar a torneira aberta enquanto escova os dentes;
· fechar a torneira enquanto ensaboa a louça do almoço;
· passar a lavar a cabeça a cada dois ou três dias e não diariamente;
· não “varrer” a calçada com a mangueira de água;
· diminuir a frequência com que lava o carro ou adotar limpeza a seco;
· não deixar aparelhos ligados nem luzes acesas em ambientes vazios;
· eliminar cortinas que bloqueiam a luz natural em sua casa;
· preferir lâmpadas de LED ou fluorescentes;
· ao adquirir eletrodomésticos, preferir os que consomem menos energia;
· preferir roupas de tecidos que não amassem e que dispensem o ferro elétrico;
· se possível, instalar painéis solares no telhado para captação de energia limpa;
· reutilizar a água descartada pela máquina de lavar para a limpeza de casa;
· coletar água da chuva para usar em casa (guardando sempre em recipientes tampados);
· escolher produtos biodegradáveis no supermercado;
· dar preferência a produtos naturais e alimentos orgânicos que não levem agrotóxicos;
· nunca jogar óleo de cozinha no ralo da pia, e sim procurar os locais próprios de coleta para reaproveitamento;
· não descartar medicamentos vencidos nem produtos químicos no lixo comum. Informe-se sobre os locais de descarte;
· pensar duas vezes antes de trocar seus aparelhos eletrônicos como celulares e computadores. O lixo eletrônico é outra fonte de contaminação da natureza;
· evitar impressões desnecessárias de documentos e sempre utilizar os dois lados da folha de papel.

Como você viu no nosso post, desde grandes mudanças de atitude até a prática de pequenos hábitos diários, há muito o que fazer em nome da preservação do meio ambiente e da humanidade como um todo.

O consumo sustentável precisa ser incorporado ao nosso dia a dia, para o bem desta e das gerações futuras. Se cada um fizer a sua parte, podemos acreditar em um futuro melhor para o planeta e seus habitantes.

Temos certeza de que, a partir de agora, você estará mais atento aos seus hábitos de consumo, o que vai favorecer o meio ambiente e também o seu bolso. Para saber mais ainda sobre como rever seus hábitos de consumo, leia o nosso artigo abordando maneiras de evitar gastos supérfluos!