Sustentabilidade

5 maneiras de se beneficiar com a economia colaborativa

Quer descobrir como se beneficiar com a economia colaborativa? Então confira 5 maneiras que selecionamos para você!

Quer reduzir custos e faturar um dinheiro extra, ao mesmo tempo em que dá chance a algo novo? Então você deve apostar na economia colaborativa!

Também conhecida como economia compartilhada, ela é uma forma de usar a tecnologia para economizar e fazer negócios entre as pessoas, promovendo a sustentabilidade.

Basicamente, por meio da economia colaborativa você pode alugar ferramentas para realizar aquela reforma esperada ou ainda conseguir alguém que cuide do seu cachorro enquanto você vai para a sua viagem dos sonhos.

A descentralização do fluxo entre clientes e empresas é a principal característica dessa nova proposta, que deixa o sentimento de posse de lado e valoriza mais o acesso, enfatizando que todos podem e devem ser consumidores e fornecedores ao mesmo tempo.

Entendendo a economia colaborativa

A economia colaborativa é fruto de três pilares. São eles:

- social: avanço do crescimento populacional, preocupação das pessoas com as comunidades, abordagem mais altruísta;
- econômico: preferência ao acesso, monetização do estoque em excesso ou ocioso;
- tecnológico: redes sociais, dispositivos e plataformas móveis.

Essa nova proposta tem se mostrado um movimento revolucionário, abrangente e que veio para ficar. Tanto é que até mesmo as grandes empresas estão repensando seus modelos de negócios e incorporando em suas ações estratégicas baseadas no compartilhamento.

Como se beneficiar com a economia colaborativa

Você já deve ter ouvido falar de Uber, Airbnb, Couchsurfing e DogHero, não é mesmo? Mas talvez você não tenha se atentado de que todos eles são algumas das mais famosas plataformas de economia colaborativa.

Pois é, ela está mais presente no nosso dia a dia do que a gente imagina e pode nos beneficiar de diversas formas, principalmente ajudando a conseguir uma grana extra no fim do mês.

Quer descobrir como isso é possível? Então continue lendo este post e confira as 5 maneiras que selecionamos para você!

1. Oferecer caronas

Vai viajar e está sobrando espaço no carro? Que tal reduzir os custos da sua viagem ao compartilhar os espaços vazios do seu veículo com outras pessoas?

Por meio de aplicativos como o BlaBlaCar é possível oferecer caronas com segurança tanto para o motorista como para os passageiros. Nele, o sistema de oferecimento de caronas é bastante simples. O motorista informa o itinerário, a data e o horário e também o valor por passageiro, que paga diretamente em dinheiro.

As plataformas são boas opções porque permitem que os motoristas façam avaliações dos passageiros depois da carona e vice-versa. Além disso, há aplicativos que oferecem um sistema que possibilita aos membros organizarem apenas viagens entre mulheres.

2. Alugar um quarto para viajantes

Um dos principais enfoques da economia colaborativa é o compartilhamento de experiências. Então nada faz mais sentido do que disponibilizar um espaço na sua residência ou apartamento para viajantes, não é mesmo?

Há pessoas que acolhem viajantes pelo simples prazer de conhecer outras histórias, trocar ideias e viver experiências que nunca teriam a oportunidade se não por meio desse tipo de plataforma.

Para isso, muitas optam pelo serviço Couchsurfing e não cobram nada pela hospedagem. Mas você pode reunir todos esses benefícios e ainda conseguir fazer uma renda extra no final do mês usando plataformas como o Airbnb.

É possível alugar o local inteiro ou apenas um quarto, oferecendo ou não café da manhã. É você quem vai decidir a melhor forma de hospedar os viajantes.

Ao optar por disponibilizar um espaço do seu imóvel para esse fim, lembre-se sempre de priorizar plataformas que ofereçam garantias para proteger sua casa e seus pertences contra danos acidentais.

3. Hospedar um animal de estimação

Se você gosta de cachorros, considere a possibilidade de oferecer sua casa e seu amor para cuidar do pet de outra pessoa enquanto ela viaja.

Há plataformas como o DogHero, que permite decidir quanto deseja cobrar e qual porte de animal está disposto a hospedar. Além disso, há serviços que também oferecem garantia veterinária.

Se achar que hospedar um animal por muitos dias pode não ser o ideal para você, há também opções como o Go Walk, para cuidados diários dos bichos enquanto os donos trabalham ou apenas para passeios.

4. Vender roupas e objetos que não usa mais

Que tal pegar todas aquelas roupas e objetos que não usa mais e montar seu próprio e-commerce online? Isso é possível por meio de plataformas como o Enjoei, que já possui mais de dois milhões de produtos cadastrados.

Basta apenas fotografar os itens que você não usa mais e os descrever detalhadamente destacando o tamanho, cor, tempo de uso e qualquer outra informação que achar interessante.

Se você vender o produto, é só embalá-lo e despachá-lo pelos Correios com um bilhete simpático para o comprador, afinal economia colaborativa é isso, um processo que também tem como objetivo a aproximação das pessoas.

Caso não queira dispor de suas roupas ou outros itens, há plataformas que os disponibilizam apenas para aluguel. No Rent for All, por exemplo, você pode locar desde objetos de casa e escritório até eletrônicos, equipamentos, imóveis e veículos.

5. Fazer investimentos por meio de consórcios

O que você acha de se unir a outras pessoas para que juntos vocês atinjam um objetivo em comum? Pode ser desde adquirir um veículo ou até mesmo algum tipo de serviço, como viagens.

Isso pode ser feito por meio do consórcio, uma forma de poupança e aquisição de bens baseada na união de pessoas físicas ou jurídicas.

Os consórcios são essencialmente colaborativos porque são uma espécie de compra baseada na coletividade, em que todos os participantes pagam um valor mensal, que somados permitem que, a cada mês, alguém receba o crédito para adquirir o bem previamente.

Para participar é bastante simples: primeiro você deve escolher o valor do bem ou serviço que desejar comprar. Depois, paga mensalmente as parcelas até a data do vencimento. Todos os meses são realizadas assembleias para sortear o contemplado daquele respectivo mês, ou seja, a pessoa que receberá a carta de crédito.

Animado para começar a ganhar um dinheiro extra, ao mesmo tempo em que promove a sustentabilidade e a interação entre as pessoas com a economia colaborativa? Então, antes de mais nada, baixe o nosso e-book Guia completo sobre a economia colaborativa e tire todas as suas dúvidas sobre o assunto!