Tudo Sobre Consórcio

Consórcio para empresas: comece a planejar para crescer

Quer conhecer uma forma para manter a sua empresa crescendo? Saiba como o planejamento e o consórcio podem ajudá-lo!

Os consórcios existem no Brasil há 55 anos e não é por acaso que, desde a criação do sistema, milhões de cidadãos brasileiros já aderiram a ele para adquirirem veículos, imóveis e vários tipos de serviços.

Afinal, por meio dessa modalidade de investimento, que é genuinamente nacional, é possível fazer compras parceladas de maneira muito simplificada, sem ter que enfrentar grandes burocracias, e ainda ter acesso a outras vantagens que só os consórcios são capazes de oferecer.

Mas será que um consórcio para empresas é tão interessante quanto é para uma pessoa física? Confira as respostas nesse post:

Como se planejar para manter a empresa crescendo?

Qualquer empreendedor que deseja manter o próprio negócio de maneira competitiva e que, além disso, visa crescer, nunca pode abrir mão de um bom planejamento.

Afinal, com atenção para os passos da concorrência e para as tendências do mercado, é preciso ofertar produtos ou serviços compatíveis com as exigências dos clientes, mantendo os olhos também no futuro, de maneira a prever as novas demandas que possam surgir.

Para tanto, é claro, é preciso planejar os investimentos, que serão necessários para a aquisição de novos equipamentos, para a ampliação das instalações e da frota e para a modernização dos sistemas operacionais, de produção e de administração do negócio. É nesse ponto que o consórcio se apresenta como um grande aliado do empreendedor.

Com ele, por meio de um investimento mensal equilibrado, que seja compatível com o caixa da empresa e com a meta que se deseja alcançar, é possível criar um capital consistente, que permitirá realizar tudo o que for necessário para manter a empresa competitiva e em crescimento.

O que é preciso fazer para preservar o capital de giro?

Há situações em que o empresário escolhe recorrer ao capital de giro da empresa, a fim de realocar os recursos para os investimentos. Ainda que esta possa ser uma alternativa emergencial, definitivamente não é nada aconselhável.

Afinal, é preciso considerar que os retornos dos investimentos podem não surgir com a velocidade necessária para cobrir o giro que o negócio precisa manter. Essa prática, fatalmente, acabará levando aos atrasos no cumprimento dos compromissos ou à necessidade de tomada de empréstimos para cumpri-los.

Quando a empresa opta por fazer um consórcio que seja compatível com a realidade dela, o capital de giro é preservado, permitindo que o investimento seja realizado como necessário e no tempo ideal.

É possível não ter que recorrer a um financiamento?

Se não tem um capital extra para investir e não quer lançar mão do capital de giro, a opção que o empresário encontra é buscar o dinheiro do banco, para financiar os investimentos.

Com isso, ele precisa arcar com os juros altos, o que traz a certeza de que ele estará pagando muito mais do que deveria pela aquisição de um benefício qualquer.

O empreendedor também deve ter a disposição para encarar todas as exigências que as instituições financeiras fazem para liberar o dinheiro, inclusive considerando a necessidade de apresentação de certidões negativas de débitos para a União, entre outras.

Além disso, é claro, novamente pode surgir uma demora no retorno do investimento, que pode ser muito além do que foi planejado, e pagar o financiamento se torna uma dor de cabeça para a empresa.

Com o consórcio nada disso ocorre. Para começar, o dinheiro que o sistema libera por meio da carta de crédito é muito mais barato do que o proveniente dos empréstimos, uma vez que sobre ele não há incidência de juros ou de IOF.

Na verdade, o único custo extra que há no consórcio é o da taxa de administração que é cobrada pelas administradoras e eventualmente dos seguros, que garantem a confiabilidade do grupo.

Com relação à burocracia para a adesão, ela é praticamente inexistente, uma vez que basta a apresentação da documentação da empresa para que haja a elaboração e a assinatura do contrato.

Quais vantagens são propiciadas pelo consórcio?

Outra possibilidade seria a empresa criar um fundo próprio para, no futuro, garantir o aporte de capital que ela precisa fazer. Porém, é preciso considerar que acumular todo o recurso necessário ao investimento pode levar tempo e esse tempo pode ser muito maior do que o máximo para atender às necessidades do negócio.

O consórcio, por sua vez, pode propiciar o acesso ao dinheiro de maneira mais rápida e até imediata. Esta possibilidade surge nas formas de contemplação do sistema. Por exemplo, se a cota da empresa for sorteada logo no primeiro mês, o dinheiro chega com maior brevidade.

Por outro lado, quem não deseja contar com a sorte, pode recorrer ao lance para a retirada da carta de crédito.

Os lances podem ser dados em uma espécie de leilão que acontece durante as assembleias de consorciados, quando a cada um é dada a oportunidade de apresentar uma proposta de antecipação de um determinado número de parcelas.

Ou seja, quando quiser receber a carta de crédito, a empresa pode reservar um capital próprio para dar de lance ou até dar um lance embutido. Com o lance embutido, o próprio valor ofertado na assembleia é descontado da carta de crédito, permitindo que mesmo sem capital o recurso seja liberado para o investimento necessário.

O consórcio é uma forma de investimento para a minha empresa?

As parcelas que são pagas mensalmente no consórcio se destinam a um fundo que servirá para financiar as necessidades de todos os consorciados do mesmo grupo, facilitando a forma como cada um deles terá acesso aos recursos.

Portanto, na prática, o consórcio pode ser visto como uma antecipação do investimento que será feito naquilo que a empresa precisa realizar.

Também é necessário considerar que, como as parcelas dos consórcios são reajustadas periodicamente, o poder de compra da carta de crédito é preservado, o que nem sempre é possível assegurar com outras modalidades de investimento.

O que pode ser adquirido?

Os consórcios estão sempre vinculados a algum tipo específico de bem ou de serviço, como carros, caminhões pesados, maquinário, viagens, entre outros.

Tenha isso em mente na hora de entrar em um grupo, pois não será possível alterar a sua escolha ao receber a carta de crédito. O máximo que pode ser feito é trocar de bem dentro da mesma categoria.

Qualquer empresa pode fazer um consórcio?

Não importa o tamanho da empresa, o consórcio pode ser uma ótima alternativa de investimento para ela. Pelo sistema podem ser realizados pequenos investimentos, como a compra de um simples computador, ou grandes aquisições, como de um imóvel, para sediar uma nova unidade produtiva.

O que importa, de fato, é o empreendedor ter a clareza sobre o tipo de investimento que necessita e sobre a capacidade de arcar com o pagamento das parcelas, de acordo com uma programação pré-definida.

Agora que você já tem as informações que precisa sobre o consórcio para empresas, que tal ler nosso post sobre como se planejar para empreender!