Tudo Sobre Consórcio

Transferência de consórcio: saiba como fazer em 7 passos

Saiba tudo o que você precisa saber sobre a transferência de consórcio está nesse post da Racon. Confira!

consórcio é uma excelente alternativa para quem pretende comprar algum bem, mas não dispõe de todo o dinheiro para fazer um pagamento à vista. Afinal, ao contrário dos financiamentos bancários, o sistema é bastante simples, sem burocracia, e não cobra juros.

Contudo, como muitas coisas na vida não são previsíveis, pode surgir alguma situação em que o consorciado já não queira ou não possa continuar pagando as parcelas mensais. Nesse caso, a melhor alternativa é transferir a cota do consórcio para outra pessoa.

Confira, neste post, os 7 passos que devem ser seguidos para fazer a transferência de consórcio.

1. Leia o contrato

O primeiro cuidado que o consorciado deve tomar antes de iniciar o processo de transferência é ler o contrato com atenção, a fim de verificar se ele permite esse tipo de operação. De modo geral, ela é possível para cotas contempladas e para cotas não contempladas.

Porém, como veremos adiante, essa característica definirá outros critérios para a transferência que são estabelecidos pela administradora.

No caso de transferência de cota contemplada, a administradora poderá fazer uma análise referente à capacidade financeira da pessoa indicada como comprador. A administradora também poderá solicitar a apresentação de garantias de pagamento que serão detalhadas abaixo.

2. Qual o valor a ser pago?

Para a definição do valor de venda ou de compra de uma transferência, o primeiro passo é saber quanto tem de pagamentos efetuados na cota. Esta informação você pode obter  com proprietário da cota através do extrato de pagamentos fornecido pela administradora de consórcio.

Verifique se a cota é contemplada ou não contemplada, pois isso determina se você poderá adquirir seu bem imediatamente ou aguardar a contemplação. Caso a cota seja contemplada, verifique o valor do crédito disponível, incluído as correções do período. É importante saber também o saldo devedor da cota e a quantidade de parcelas que faltam ser pagas.

Com base nessas informações é definido o valor de venda. Lembre que o valor da compra/venda desta cota é definido entre as partes, ou seja, entre o vendedor e o comprador.

3. Oferte a cota ao mercado

A oferta da cota pode ser feita diretamente pelo consorciado, que deve se cercar de cautela na hora de divulgar dados pessoais ou da própria cota.

Na etapa preliminar do negócio, portanto, é suficiente informar os dados gerais referentes ao consórcio, como por exemplo valores que já foram pagos e saldo devedor. Mais detalhes são informados pela unidade responsável pela venda da cota ou pela administradora do consórcio e passados somente ao titular.

4. Negocie a transferência de consórcio

Na negociação, considere que o comprador passará a ser o titular de um contrato já em andamento. Caso a cota não tenha sido contemplada, isso significa que ele participará das assembleias mensais de contemplações, desde que esteja em dia com os pagamentos. Se a cota já estiver contemplada, esse acesso ao crédito é imediato.

Seja qual for a situação, as vantagens que o comprador obterá comprando uma cota em andamento podem ser utilizadas como um trunfo na negociação. Contudo, também é preciso levar em conta que ele fará um desembolso maior do que faria na adesão de uma cota de novo grupo. Portanto, é aconselhável manter a flexibilidade e o bom senso nas tratativas.

5. Faça um contrato com o comprador

A transferência do contrato do consórcio é feita pela administradora. Contudo, para a sua segurança, as negociações envolvendo valores e condições de pagamento que serão acertadas entre o vendedor e o comprador podem ser registradas em um contrato particular, assinado pelas duas partes. Essa é uma sugestão, você pode optar por fazer ou não o documento, pois o documento de transferência oficial é o fornecido pela administradora.

6. Reúna a documentação

De acordo com a situação da cota, são necessários documentos específicos para a venda, cuja exigência varia de administradora para administradora.

Portanto, é necessário consultar a administradora do consórcio para certificar qual é a documentação exigida para cada caso.

7. Atenção para as regras de transferência

Cada administradora pode estabelecer regras próprias de transferência que devem ser consultadas junto à empresa. Contudo, existem regras gerais que podemos antecipar.

· o vendedor deve ter conhecimento da situação geral da cota que está vendendo, que deve ser informada ao comprador. Também cabe ao vendedor apresentar ao comprador o extrato da cota, constando o saldo devedor e o valor das parcelas vincendas, além de repassar o regulamento do consórcio. O documento também pode ser solicitado na administradora;
· poderão existir custos adicionais para realizar esta transferência, consulte a administradora do grupo.

Quer saber mais sobre consórcio?  Leia também o artigo que aborda os tipos de consórcio e saiba o que pode ser adquirido com ele.