Como ter controle financeiro? Veja dicas para se organizar!

Descubra o que é e como ter controle financeiro, com dicas para reforçar esse hábito no seu dia a dia. Saiba mais!
  • Atualizado em February 13, 2024
  • Publicado em January 4, 2023
  • Planejamento Financeiro

Como anda seu controle financeiro? Por mais que se reforce a importância de manter as contas em dia, nem sempre é uma tarefa fácil fazer a organização de contas e do orçamento.

Com isso, fica mais difícil alcançar os propósitos traçados e cresce o risco de a situação sair do controle, gerando dívidas e outros contratempos relacionados a problemas financeiros.

Por essa razão, neste conteúdo vamos reforçar o que define as boas práticas de controle financeiro, o que você deve fazer para manter suas receitas e despesas em ordem de maneira eficiente e de que modo alguns apps podem ajudar nessa tarefa. Vamos lá? Boa leitura!

O que é controle financeiro?

O controle financeiro é a prática de registrar, calcular e analisar todas as movimentações financeiras de um orçamento, seja ele de uma pessoa, uma casa ou mesmo uma empresa.

A partir disso, é possível avaliar todos os hábitos de consumo, confrontá-los com as efetivas necessidades e equacionar excessos. Dessa forma, torna-se viável verificar a renda disponível com o padrão de vida mantido por você ou sua família.

Em outras palavras, o controle financeiro é o mecanismo que permite reconhecer exatamente de onde vem e para onde vai cada centavo conquistado. No longo prazo, tal hábito otimiza o uso de todos os recursos disponíveis e faz com que metas e desejos sejam palpáveis.

Mais do que isso, permite que você tenha uma melhor liberdade e estabilidade financeira. O sonho de qualquer pessoa, não é mesmo?

Como ter controle financeiro: o que faz parte?

Na prática, o controle financeiro pode ser dividido em três momentos, que em conjunto ajudam você a ter uma dimensão precisa de todas as suas receitas e despesas.

Assim, em primeiro momento é fundamental fortalecer o registro de todas as despesas e receitas. Depois, vale saber como adequar o orçamento doméstico, considerando necessidades e desejos, e, por último, conhecer e equacionar comportamentos de consumo.

É claro que nenhum desses hábitos é implementado do dia para a noite: muitos deles exigem paciência e o exercício de uma série de habilidades, que vão desde o autocontrole até a inteligência emocional.

A partir do momento que você vai aprimorando esses hábitos e adquirindo uma maior consciência sobre suas finanças pessoais, fica mais fácil evitar compras por impulso e refletir sobre determinada decisão de compra, por exemplo.

Qual a importância de um bom controle financeiro?

Que tal conviver em paz com as próprias finanças, sem se preocupar em como fechar as contas todo mês? E poder viver de forma mais tranquila sem pensar nas dúvidas e em toda a angústia que elas causam?

Esses são apenas dois argumentos que reforçam a importância do controle financeiro. E isso, claro, não precisa passar necessariamente por quanto se ganha.

É claro que todo mundo quer um bom salário, mas dentro de certos limites, é possível fazer o orçamento caber dentro do bolso por meio de um controle financeiro eficiente.

No fim, esse é o passo inicial para traçar objetivos que podem fazer com que o dinheiro trabalhe a seu favor, em busca das metas propostas.

Como fazer um planejamento financeiro eficiente?

Como tudo na vida, não existe receita mágica para responder à pergunta “como ter controle financeiro” ou, até mesmo, como se planejar para isso. Afinal, cada pessoa tem uma forma de lidar com o dinheiro. Logo, o que funciona para uma pode não funcionar para a outra.

Ainda assim, podemos dar algumas recomendações gerais que podem fazer a diferença, independentemente do seu perfil. De qualquer maneira, vale analisá-las e testá-las, até encontrar o que realmente funciona para você.

O que não pode é criar desculpas para não dar início ao seu planejamento, fazendo com que você conquiste um melhor controle financeiro, certo?

Então, veja as principais dicas que separamos para você.

1. Acompanhe os gastos

Quanto você gastou no mercado mês passado? Para não ficar sem resposta, o ideal é anotar todas as despesas, não importando o destino delas. Seja bem rigoroso, inclusive com gastos menores.

Uma das principais formas de fazer isso é entendendo como fazer uma planilha de controle financeiro. Assim, você consegue analisar onde gastou cada real do seu dinheiro.

O lado bom é que, atualmente, existem inúmeros aplicativos e planilhas prontas, permitindo que você faça o uso da ferramenta, sem precisar criá-la. Inclusive, temos um material que pode ajudar. Baixe gratuitamente:

2. Elimine as dívidas

Se as dívidas já são um problema, é fundamental que você concentre seus esforços para eliminá-las ou equacioná-las. Idealmente, você deve fazer um levantamento de todas elas para, então, priorizá-las.

O que isso significa? Colocar uma ordem de importância, ou seja, o que você irá pagar primeiro. O seu foco pode ser primeiro aquelas com juros maiores, como cartão de crédito ou cheque especial. Uma vez que elas estiverem quitadas, você pode passar para as próximas.

3. Saiba qual seu custo de vida

Seu estilo de vida deve ser compatível com sua renda. Por isso, avalie todos os gastos que compõem seu custo de vida e veja se não há nada além do que o seu bolso comporta.

Caso você esteja gastando muito a mais do que recebe, há duas alternativas principais: ou você reduz os gastos desnecessários (falaremos mais sobre isso) ou encontra uma forma de ter uma renda maior.

Afinal, não tem como ter controle financeiro gastando mais do que você ganha. A conta não fecha, certo?

4. Classifique os custos e receitas

Em um primeiro momento, você pode separar seus custos entre despesas fixas e variáveis.

O mesmo vale para as receitas: compute tudo aquilo que é recorrente e separe do que é eventual. No fim, veja quanto do seu dinheiro já está comprometido com aquilo que é essencial.

Caso você tenha uma planilha com seu orçamento pessoal, tudo isso fica muito mais fácil de ser categorizado e avaliado.

5. Corte gastos desnecessários

Para liberar espaço no orçamento, não há outra saída: corte gastos desnecessários. Pense com calma o que não faria tanta falta no seu dia a dia e no que é possível economizar. Certamente você encontrará algumas alternativas.

Quando colocar isso em prática, comece a monitorar os resultados. Se o volume de despesas continuar maior que as receitas, é importante ligar o sinal de alerta. Se houver uma folga, você está no caminho certo.

6. Invista uma parte do valor mensal

Uma boa dica sobre como fazer um planejamento financeiro eficiente é pensar no futuro. E a melhor maneira de fazer isso é com investimentos.

Então, com as contas em ordem, fica mais fácil separar uma parte do dinheiro e investi-lo. Em um primeiro momento, vale montar uma reserva financeira.

Depois disso, coloque no papel suas metas e veja o que pode ser feito para alcançá-las.

Nesse contexto, os consórcios são excelentes aliados. Por meio de pagamentos mensais, você acumula recursos que depois podem ser destinados para a compra de um carro novo ou mesmo um imóvel.

Ainda que haja cobrança de uma taxa de administração, elas são menores que os juros praticados em outras modalidades de negócio. Além disso, uma série de outras razões fazem do consórcio um ótimo negócio.

7. Encontre a ferramenta certa para você

Se for difícil manter o controle financeiro das formas tradicionais (anotando tudo no papel ou em planilhas), a tecnologia pode dar um auxílio. Por meio de aplicativos de smartphone, você tem na palma da mão recursos que ajudam você a cuidar do seu bolso.

Alguns dos principais aplicativos para organizar as finanças são:

  • Toshl Finance;
  • GuiaBolso;
  • Mobills;
  • Minhas Economias;
  • Organizze;
  • Monefy;
  • Orçamento Fácil.

Além disso, muitas instituições financeiras contam com aplicativos próprios para ajudar os clientes a lidar com os recursos de suas contas. Por isso, vale dar uma olhada nessa alternativa.

Seja como for, mais importante do que a ferramenta, é se dedicar a fortalecer pouco a pouco hábitos que melhoram a sua relação com o dinheiro. Dessa maneira, ficará muito mais simples entender como ter controle financeiro.

Enfim, vale sempre reforçar que o controle e planejamento das finanças são instrumentos que permitem alcançar seus objetivos e sonhos. Com isso em mente, fica mais fácil dar sentido a todo o esforço para manter as finanças em ordem.

Agora, que tal aproveitar e baixar gratuitamente o nosso guia de controle financeiro pessoal e dar o próximo passo para se organizar e começar a investir?
As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.
Mostrar comentários
Leia também
attach_money
Planejamento Financeiro

Mudanças no FGTS 2024: tire as dúvidas sobre as novas regras!

attach_money
Planejamento Financeiro

Conheça os melhores destinos para viajar no Brasil em 2024

attach_money
Planejamento Financeiro

Passo a passo para declarar Imposto de Renda em 2024 + dicas