Meu Primeiro Carro

Alinhamento e balanceamento: saiba para que servem e quando fazer

Como funcionam esses procedimentos? Entenda a importância de fazer essas manutenções no seu veículo!

Você provavelmente já ouviu que é importante fazer o alinhamento e o balanceamento do carro para mantê-lo em bom estado de funcionamento. Mas o que exatamente é cada uma dessas manutenções? Com qual frequência devem ser feitas?

Para sanar essas e outras dúvidas sobre o assunto, preparamos este post. Continue a leitura e aprenda mais!

O que é alinhamento e balanceamento?

Esses dois procedimentos são feitos nas rodas, para evitar desgaste excessivo dos pneus. O alinhamento serve para ajustar o ângulo, deixando todos iguais e alinhados ao volante.

Ele é importante porque quando o carro passa por buracos e irregularidades no asfalto acaba pendendo demais para um dos lados.

Já o balanceamento corrige o equilíbrio entre as rodas e os pneus, o que traz mais conforto quando o carro está em movimento, pois reduz as vibrações do veículo.

O que costuma deixar o carro desbalanceado é carregar uma quantidade maior de peso mais próximo a uma das rodas em relação às outras.

As duas manutenções são feitas com equipamentos de precisão. Para o alinhamento é observado se as rodas estão convergindo (com ângulo para dentro) ou divergindo (com ângulo para fora). Após isso, elas são corrigidas para ficarem retas.

Já no balanceamento, para que o peso seja distribuído igualmente por todo o carro, são colocados contrapesos nas rodas que não estão em equilíbrio. Para ambos os serviços, se a roda estiver empenada é preciso consertá-la antes.

Essas manutenções são extremamente importantes para a segurança ao conduzir. Quando elas não estão em dia, o carro fica mais instável, trepida em velocidades acima de 50 km/h e se inclina para os lados.

Quando devem ser feitos?

Tanto o alinhamento quanto o balanceamento devem ser feitos a cada 10 mil quilômetros, na maioria dos modelos de carro. Na dúvida, consulte o manual do seu veículo.

É importante frisar que ambos os serviços precisam ser feitos nas quatro rodas, ou seja, é impossível alinhar ou balancear somente uma delas.

Quando os pneus são trocados, também é preciso alinhar e balancear os novos. Eles, em geral, precisam ser substituídos a cada 35 mil ou 45 mil quilômetros rodados. De acordo com os cuidados tomados com o veículo, esse valor pode variar.

Lembre-se que, pela lei, o pneu é considerado careca quando os sulcos estiverem com menos de 1,6 mm. Além de comprometer a segurança, isso também gera multas.

Apesar da recomendação relacionada à quilometragem, a rotina de uso do veículo tem grande impacto sobre a frequência das manutenções. Por isso, se você sentir o carro puxando para um dos lados quando estiver realizando um percurso em linha reta, é hora de fazer o alinhamento.

Se você sentir trepidações no volante ao conduzir e falta de estabilidade no veículo, é preciso levar o carro a uma oficina para o balanceamento.

Se você trafega por ruas muito esburacadas frequentemente, bateu o pneu na guia alta ou teve algum acidente de trânsito com colisão, ainda que leve, terá que fazer essas manutenções mais cedo.

Quais as vantagens de alinhar e balancear?

Fazer o alinhamento e balanceamento do carro permite que seu veículo fique mais seguro e sofra menos desgaste nos pneus. Ambos são serviços baratos, por isso, assim que sentir a necessidade, não hesite em levar o carro para o mecânico.

Fazer manutenções preventivas, especialmente quando elas são simples, gera economia no médio e longo prazo, pois diminuem as idas ao mecânico para corrigir falhas — o que costuma ser mais caro e mais complexo.

Além disso, essas manutenções evitam que outras partes do carro sofram desgaste desnecessário, o que valoriza o veículo no momento da revenda.

O alinhamento e balanceamento também proporcionam mais conforto na hora de usar o carro, pois o atrito fica distribuído por igual nas rodas, o que evita as desagradáveis trepidações. Com o carro desbalanceado, elas ocorrem mesmo quando o asfalto é regular.

Outro ponto importante é a melhora da dirigibilidade. Além de tornarem o veículo mais confiável e menos propenso a acidentes, com essas manutenções o motorista consegue conduzir o veículo com facilidade e tem mais controle sobre suas funções.

Quais outras manutenções devem ser feitas nos pneus?

As rodas e pneus são um dos conjuntos mais importantes do carro. Por isso, devem estar sempre em perfeito estado. Além do alinhamento e balanceamento, há outros serviços preventivos que podem ser feitos para que esses componentes estejam sempre em dia. Veja alguns a seguir!

Rodízio de pneus

Para garantir que todos os pneus se desgastem por igual, você deve trocá-los de lugar. Com isso, o balanceamento também poderá durar por mais tempo.

A maioria dos carros no Brasil tem tração dianteira, o que faz com que os pneus da frente se desgastem mais rapidamente que os de trás. O desequilíbrio na distribuição de carga também influencia na velocidade de desgaste do pneu.

Para que eles durem mais, é preciso alternar sua posição entre áreas de menor e maior desgaste. Por isso, a cada 5 mil ou 10 mil quilômetros rodados, coloque atrás os pneus que estão na frente e, na frente, os que estão atrás.

A troca também deve ser feita lateralmente em simultâneo, ou seja, o pneu direito de trás vai para o lado esquerdo da frente e assim por diante.

Cambagem

A cambagem é semelhante ao alinhamento, mas endireita as rodas no sentido vertical. Enquanto no alinhamento os pneus devem formar um ângulo de 0º com o carro, na cambagem os pneus devem estar a exatamente 90º do chão.

Há uma discussão sobre a cambagem ser realmente necessária. No entanto, ela não será prejudicial. No mínimo, servirá para melhorar a estética do carro.

Calibragem

A calibragem é o procedimento mais simples e frequente que deve ser feito em relação ao pneu. Ela pode ser feita no posto de gasolina e consiste em usar uma bomba de ar para impedir que os pneus fiquem mais vazios que o recomendado. Deve ser feita a cada 15 dias.

Pneus descalibrados gastam mais gasolina. No entanto, se você colocar muito ar eles ficam mais vulneráveis e podem estourar. Por isso, siga sempre os valores indicados no manual do veículo.

Se você gostou deste post sobre alinhamento e balanceamento, que tal conferir também nosso artigo sobre a diferença entre gasolina comum e aditivada?