Meu Primeiro Carro

Entenda como definir o melhor carro para quem viaja muito

Quer o melhor carro para suas viagens? Confira nossas dicas e escolha o modelo ideal para suas necessidades!

Se você viaja bastante com seu carro, certamente já notou que um veículo bom para a cidade não necessariamente é o melhor para a estrada. Isso porque cada modelo possui características que o tornam ideal para determinadas situações. Então, qual o melhor carro para quem viaja muito?

Esta resposta vai depender do tipo de viagem e dos terrenos que serão enfrentados com maior frequência. Dessa forma, pensando nas necessidades de cada trajeto e nas dificuldades que eles possam apresentar, será possível saber quais as características para o seu veículo ideal.

Como escolher o melhor carro para quem viaja muito?

Separamos abaixo diversos atributos que devem ser observados em um automóvel e em quais situações eles podem ser úteis, para que você possa escolher o melhor carro para as suas viagens. Confira:

1. Potência do motor

Muitas vezes somos levados a crer que o melhor veículo para enfrentar a estrada é aquele com um motor mais fraco, pois consome menos combustível. Saiba que isso nem sempre é verdade.

Se as rodovias por onde você passar tiverem muitas subidas e trechos longos em aclives, por exemplo, um carro menos potente precisará de aceleração potente para vencê-los.

Da mesma forma, estradas de pista simples ou com poucas faixas, em que os veículos pesados e os lentos se misturam aos carros de passeio, as ultrapassagens são mais frequentes. Um motor potente vai ajudá-lo nessas situações com menos esforço e um gasto menor de combustível.

A quantidade de carga também vai influenciar nessa decisão. Veículos com motores fracos não combinam com vários passageiros ou muita bagagem, que exigem mais do motor.

O destaque nesse quesito acaba ficando com os sedans e alguns hatches mais modernos. A maioria dos sedans de médio e grande porte vendidos no mercado nacional contam com motores mais potentes, projetados para longas viagens e ultrapassagens precisas. Assim, potência não costuma faltar com esses carros.

Já no caso dos hatches premium e alguns modelos de entrada, que estão cada vez mais modernos, existe a vantagem da chegada dos motores turbo no mercado nacional. Além de poluírem menos, eles também geram muito mais potência, mesmo tendo um motor menor, o que ajuda na relação peso x potência e faz o carro ter mais desempenho.

2. Economia de combustível

Este não é um item a ser desconsiderado. Afinal, o combustível é um dos principais itens na lista de custos de um carro — ainda mais para quem viaja sempre.

Para viagens longas e com pistas planas, carros econômicos farão uma diferença grande em relação ao valor gasto no trajeto. Além disso, apresentam uma autonomia maior.

Por isso, é interessante dosar a potência com o consumo de combustível assumido, que é calculado em situações de terreno plano. Dessa forma, você pode escolher entre potência e economia, a depender das condições do trajeto que você mais enfrenta.

Se a ideia é pegar trechos de serra ou rodovias com velocidades mais altas, a potência maior ajuda. Se este não for o caso, dê preferência aos considerados econômicos.

Porém, saiba que o tipo de carro que você escolher também pode influenciar na economia de combustível.

Mesmo os sedans maiores, com o avanço cada dia maior da tecnologia, estão ficando muito mais eficientes. Alguns chegam até a desativar dois ou mais cilindros quando estão viajando em velocidade de cruzeiro, o que traz muita economia sem afetar a potência.

Os SUVs, por mais que sejam maiores e mais pesados, têm a grande vantagem dos motores diesel, muito mais econômicos que os motores a gasolina e etanol. Sua taxa de compressão é mais alta e o torque costuma aparecer em baixas rotações, o que acaba exigindo menos combustível para manter altas velocidades.

Não é incomum viajar em um SUV a 100 km/h com o motor em apenas 2 mil giros. O resultado da economia é evidente.

Os hatches também têm evoluído muito no consumo. Eles já costumavam ser econômicos, mas, com a chegada dos motores turbo de 3 cilindros, essa economia aumentou ainda mais. Claro que a potência desses modelos não é exuberante, mas o bolso agradece na hora de abastecer.

3. Tração

Se as viagens incluem longos trechos de pistas de terra ou areia, um veículo com tração nas quatro rodas pode ser importante para evitar atolamentos ou derrapagens. A tração nas quatro rodas também pode ser interessante para pistas com gelo ou finas camadas de geada, em que há perigo de derrapagens.

Além do sistema 4x4, outra opção são os veículos com controle de tração, que funcionam bem em pistas molhadas, com pavimentação ruim ou com muitas curvas, como trechos de serra.

Os SUVs e Pick-Ups de grande porte costumam se destacar nesse quesito, por contar com a tração 4x4 de série. Além de garantirem que você chegará ao seu destino, não importa o terreno, a tração é muito útil em casos de emergência, pois pode livrar o motorista de inconvenientes como enchentes.

Também já existem no mercado opções de carros com tração integral. Esse tipo de tração é semelhante à 4x4, a diferença é que ela está sempre ligada e não existe a opção de trocar a tração dos eixos. A vantagem desse sistema é a segurança, mas acaba tendo um pouco de impacto no consumo de combustível.

Porém, a tração nas quatro rodas não é muito indicada para longas viagens em rodovias em bom estado de conservação, pois acabam gastando mais os pneus.

4. Suspensão

Outro item imprescindível para quem vai enfrentar trechos off-road ou de pistas mal conservadas é a suspensão. Busque por veículos com suspensão robusta para os casos acima. Já para rodovias em bom estado, uma suspensão macia é indicada, pois dá conforto e estabilidade em velocidades altas.

Também deve-se levar em consideração a quantidade de bagagens e carga a ser levada. Carros de passeio costumam ter suspensões suaves, que sofrem quando precisam rodar com a lotação máxima.

5. Quantidade de lugares

Dependendo da duração da viagem, pode ser bastante inconveniente, para os passageiros, terem de ficar em um ambiente apertado. Assim, carros com mais lugares tendem a levar uma família, por exemplo, com conforto.

Mas podem perder em capacidade de carga, por exemplo, como no caso dos carros de 7 lugares mais vendidos. Assim, é interessante notar este quesito também, sempre pensando em suas necessidades.

Nesse caso, os monovolumes e minivans saem na frente, pois otimizam o espaço tanto para os passageiros quanto para as bagagens. Dessa forma, dá para levar bastante gente sem precisar ficar disputando espaço com as malas.

6. Capacidade do bagageiro

Geralmente, qualquer ida à praia ou ao campo requer uma quantidade enorme de malas. Principalmente se envolver crianças e idosos, que precisam levar vários acessórios e trocas de roupas para o dia a dia.

Se as viagens são para locais simples, em casal ou sozinho, não há necessidade de grandes bagageiros, que ocupam bastante espaço e podem tornar o veículo pesado demais.

Se você está planejando fazer trilhas e acampamentos, ou viagens de muitos dias, passando por lugares inóspitos, leve em consideração que será necessário levar de tudo, desde barracas e cobertores, até água e gás para cozinhar. Assim, um veículo com a capacidade de carga maior é indispensável.

7. Segurança

Longas distâncias, altas velocidades, ultrapassagens, trajetos desconhecidos, mudanças climáticas, enfim, tudo em uma viagem pode acabar tornando a direção mais perigosa.

Assim, na hora de definir o melhor carro para quem viaja, procure por um modelo que ofereça itens de segurança como airbags, freios ABS, controles de tração e de estabilidade, etc.

Conheça, também, as características dos veículos e considere qual vai ser o uso dele. Alguns modelos de carros altos, como Pick-Ups e SUVs, apresentam um risco maior de perda de estabilidade em altas velocidades. Por outro lado, em terrenos acidentados, carros baixos podem ser danificados e perderem o controle.

8. Conforto

Viajar com seu carro deve ser uma experiência prazerosa. Ou seja, pensar no conforto não é um luxo, mas, sim, uma necessidade. Portanto, é importante fazer o teste drive para comprar um carro no qual você se sinta bem dirigindo, com uma posição de direção confortável.

Nesse caso, os sedãs e os SUVs saem de novo na frente. Os sedãs costumam oferecer bastante espaço e conforto para os passageiros, além de um bom porta-malas. Também é interessante investir em veículos com câmbios automáticos (podem ser automáticos tradicionais, automatizados ou de dupla embreagem), pois eles trarão muito mais conforto em longas viagens e também no trânsito.

No caso dos SUVs, por serem veículos que custam caro, eles já costumam oferecer um nível de equipamentos de série e mimos para o motorista mais elevados. Por isso, mesmo que não sejam realmente projetados para entregar conforto, acabam cumprindo bem esse papel.

Além disso, aparelhos eletrônicos podem ajudar a deixar a viagem confortável, como um navegador GPS. Para a família, pode-se procurar por modelos que ofereçam itens de entretenimento, como aparelhos de som e DVDs.

No entanto, em viagens off-road e longas excursões, estes aparelhos podem "roubar" carga da bateria em momentos inoportunos, em que o carro precisa de toda a energia ou em locais sem auxílio mecânico.

Como vimos, escolher o melhor carro para quem viaja muito não é fácil. É preciso pensar em muitos detalhes sobre os trajetos e suas condições, além dos passageiros e da quantidade de bagagem que normalmente serão levados. Com nossas dicas, esperamos ter ajudado na decisão sobre qual é a melhor opção pra você.

Está pensando em comprar um seminovo para suas viagens? Então, não deixe de conferir nossas 8 dicas para comprar carro seminovo e não errar na escolha!
Guia Completo De Aquisicao Via Consorcio De Veiculos