Meu Primeiro Carro

Manutenção de freios: você sabe quando é o momento de fazer?

A manutenção de freios é fundamental para garantir a segurança do seu carro. Veja quando é o momento ideal de fazê-la!

A segurança de um motorista e de seus passageiros depende diretamente da manutenção de freios. Esse sistema exige uma atenção especial tanto na hora de fazer a revisão quanto durante o seu uso.

Para que você fique a par de tudo sobre a frenagem do seu automóvel e tenha atenção às boas práticas de direção para preservá-la, garantindo o seu funcionamento adequado em momentos de necessidade e de risco, elaboramos este conteúdo.

Aqui você vai aprender um pouco mais sobre esse componente tão importante, bem como descobrir o momento ideal de fazer a sua manutenção. Confira!

A importância da manutenção preventiva dos freios

Com o passar do tempo, os freios têm sido atualizados pelas montadoras automobilísticas. Nesse sentido, existe um conjunto variado de peças que fazem parte dessa engrenagem, a fim de aumentar a sua eficiência.

O avanço desse tipo de tecnologia trouxe uma necessidade maior de fazer a manutenção preventiva desse sistema para aumentar a durabilidade do veículo, evitar quebras totais e garantir o seu funcionamento seguro. Afinal, falhas na frenagem podem causar acidentes fatais.

Dessa forma, quanto antes os defeitos forem identificados e resolvidos, mais seguro será o uso do carro. Sem contar que a antecipação de defeitos reduz gastos com o automóvel.

Os componentes que fazem parte do sistema de freios

Ainda que você faça a manutenção dos freios do seu carro com um profissional, é interessante saber quais são os principais componentes para compreender melhor o seu funcionamento. Confira:

- disco de freio: localizado nas rodas dianteiras e traseiras;
- pastilha de freio: utilizada para comprimir o disco e fazer a roda parar de girar;
- pinça de freio: onde a pastilha fica presa e é pressionada junto ao disco;
- cilindro mestre: envia o fluido de freio durante a frenagem das rodas;
- tambor de freio: nos veículos mais novos é localizado na parte traseira;
- lona de freio: toca no tambor para parar a roda traseira;
- cilindro de roda: aciona o freio traseiro, caso o sistema use tambores.

Os principais tipos de freios de automóveis

De forma constante, os engenheiros pesquisam, analisam e encontram soluções que melhoram a eficiência nos componentes de segurança dos carros. E isso inclui os freios. Veja, a seguir, quais são os dois principais modelos mais utilizados nos automóveis atuais.

Freio a disco

Pode conter um disco à base de cerâmica ou ferro fundido. Nele, o sistema de frenagem se resume ao pressionamento entre o disco e a pastilha de freio, resultando na desaceleração ou parada das rodas. O disco fica localizado no eixo do automóvel e as pastilhas são conectadas às pinças que ficam na suspensão.

Funciona assim: quando o motorista pressiona o pedal, o fluido de freio é bombeado pelo cilindro mestre para alcançar os componentes do sistema. Dessa forma, as pinças recebem a força necessária para comprimir a pastilha junto ao disco. Quanto mais forte for a pisada, maior é a eficiência da frenagem.

A principal desvantagem desse sistema é o seu valor elevado em caso de troca, além de ficar sujeito a falhas por contato com cascalho, poeira e lama. No entanto, as suas peças têm baixa probabilidade de danos e quebras, pois elas resistem muito bem ao calor e apresentam manutenção relativamente simples.

O freio a disco é utilizado na parte dianteira de todos os veículos de passeio e podem estar presentes no eixo traseiro de carros mais sofisticados. Dificilmente estão presentes em modelos mais robustos e pesados.

Freio ABS (Antilock Braking System)

A tradução literal dessa tecnologia é sistema de travagem antibloqueio. Nele, existem válvulas eletrônicas para evitar o travamento das rodas e aumentar a segurança do carro. Isso acontece por meio de sensores instalados nas rodas, que calculam a sua rotação em relação à força do motor. Desse modo, se as rodas começarem a travar, rapidamente a pressão sobre elas é reduzida, resultando na trepidação do pedal.

O sistema ABS pode estar presente nos freios a disco e de tambor para nivelar o contato entre o pneu e o solo, diminuindo a distância de parada em momentos de emergência. Por questões de segurança, todos os automóveis fabricados desde 2014 no Brasil têm esse componente como item de série.

Identificando problemas com os freios

Agora, vamos descobrir os sinais que o automóvel apresenta quando é preciso fazer a manutenção de freios. Acompanhe.

Pedal do freio tremendo

São bastante comuns os abalos no pedal do freio nos automóveis com sistema ABS, quando uma freada mais brusca é realizada. Afinal, é a função desse componente de segurança: evitar o travamento das rodas em movimento, o que é sentido justamente quando essa trepidação se manifesta. Contudo, é preciso que você compreenda esse movimento e veja em que instante ele acontece.

Isso porque o pedal pode vibrar se os discos de freio estiverem arqueados (empenados), o que compromete a aderência da pastilha, resultando na oscilação da frenagem.

Barulho durante a frenagem

Em questões normais, o processo de breque deve acontecer de forma silenciosa. Mas se você escutar um barulho estranho durante o ato, procure um mecânico. O som de atrito entre metais, por exemplo, sugere que chegou o momento de substituir os discos e as pastilhas de freio. Caso isso seja ignorado, existe grande risco de o sistema falhar, resultando em colisões graves.

Pedal muito duro ou suave

Quando compramos um automóvel, nos familiarizamos com o seu funcionamento, os sons que ele emite, o engate da embreagem, a sensação ao pisar no acelerador etc. Em relação ao pedal de freio, o ideal é que ele tenha uma pressão equilibrada. Se ele ficar mais duro, pode ser que existam problemas no disco ou no fluido.

Já no caso de pisadas mais fundas, provavelmente as pastilhas estão desgastadas ou o cilindro mestre não está injetando o fluido necessário para parar o carro.

Ruídos agudos

Ruídos agudos são preocupantes, mas nem sempre indicam um defeito. Principalmente quando as lonas ou pastilhas são recém-trocadas, é comum que façam barulho até que estejam completamente alinhadas. No entanto, se o ruído continuar por mais de uma semana, verifique se os componentes foram fixados corretamente ou estão gastos.

Luz do painel permanece acesa

Na hora de ligar o automóvel, a luz do sistema de frenagem acende sempre que há fluido de freio suficiente. Se não houver problemas, o indicador vermelho apagará em poucos segundos. Porém, se alguma falha for identificada, a luz vermelha permanecerá acesa. As causas mais comuns podem ser desgaste acentuado das pastilhas, vencimento do fluido utilizado ou vazamentos.

E então, o que achou deste conteúdo sobre manutenção de freios? Essa prática deve ser levada muito a sério, principalmente quando você percebe algo de errado no funcionamento do sistema. E lembre-se de que o uso de peças de qualidade garante a segurança de todos dentro do carro. Por isso, tenha atenção!

Se você gostou deste conteúdo e pretende trocar de veículo, não deixe de conferir o nosso guia prático para escolher o melhor consórcio de carros.
Guia Pratico Faca A Escolha Do Melhor Consorcio De Carros Banner Artigo Blog

As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.