Meu Primeiro Carro

Veja qual a melhor maneira de levar crianças no carro com segurança

Levar crianças no carro da forma correta é fundamental para garantir a segurança! Veja como fazer isso no post de hoje!

Pais de família precisam levar crianças no carro constantemente, e isso sempre deve ser feito com máxima segurança. Não é incomum vermos notícias de acidentes que se tornaram mais graves porque a criança não estava no automóvel de maneira adequada.

A única saída para evitar esse problema é ter consciência e conhecimento. Os pais precisam saber da importância de colocar os pequenos no automóvel de forma correta, pois isso não é apenas uma burocracia legal. E mais: eles devem conhecer o que diz a lei, para segui-la de forma adequada.

Você se preocupa com a proteção das crianças da família? Então, vamos conversar sobre a segurança delas?

Entenda a importância das normas legais

A resolução 277 do Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN) ficou popularmente conhecida como Lei da Cadeirinha desde que foi instituída. Suas determinações visam preservar a integridade física da criança quando transportada em veículo. Desobedecer essas normas constitui infração gravíssima, e a lei estabelece que o veículo fique retido até a correção do problema.

As definições da forma ideal de transporte variam conforme a idade e o peso da criança. As especificações são baseadas em cálculos e estudos que buscam estabelecer a forma mais segura para os pequenos. Dessa forma, os dispositivos de segurança determinados legalmente são projetados especificamente para diminuir os riscos em uma colisão ou freada brusca, pois limitam o deslocamento do corpo da criança.

Conheça a lei e saiba qual a forma correta de levar crianças no carro

Para não errar, é importante conhecer exatamente o que diz a lei. Mas como ela pode mudar periodicamente, cabe sempre ficar de olho em suas possíveis alterações. E mais: mesmo que a resolução do CONTRAN permaneça a mesma, o tipo de assento adequado muda conforme peso e idade da criança.

Assim, vale a pena fazer uma tabelinha e guardá-la com outros documentos importantes, como a carteirinha de vacinação. Dessa forma, você vai lembrar qual o momento certo de fazer a substituição.

A resolução é aplicável a todas as crianças com idade inferior a dez anos, que devem ser transportadas obrigatoriamente no banco traseiro do veículo. Veja, a seguir, o que ela diz.

Uso do bebê conforto

Esse acessório é obrigatório para crianças menores de um ano de idade, que tenham menos de 9 kg, e deve ser fixado em sentido contrário ao banco do motorista, ou seja, com as costas voltadas para os assentos frontais. O equipamento é projetado para neutralizar o impacto de freadas e turbulências, além de firmar o frágil pescoço do bebê.

Sobre o dispositivo, é preciso transpassar o cinto de segurança de três pontos, sem nenhuma manta ou cobertor preso junto ao bebê (eles podem ser colocados posteriormente).

Uso do assento conversível

Esse dispositivo parece o bebê conforto, mas não tem alças de transporte nem base para fixação no carro. Ele deve ficar de costas para o motorista enquanto a cabeça da criança não ultrapassar a altura do assento. É utilizado para crianças com mais de 9 kg, mas ainda abaixo de um ano de idade.

Uso da cadeirinha

Deve substituir o bebê conforto assim que a criança fizer um ano e precisa ser usada enquanto ela não completar quatro anos (limitada a crianças de até 18 kg). A criança tem que estar fixada na cadeirinha com o cinto do próprio dispositivo, no mesmo sentido do motorista. O equipamento deve ficar preso ao banco, afixado pelo cinto de segurança.

Uso do assento elevado

O assento elevado não tem encosto traseiro e funciona apenas como um ajuste de altura. Ele é obrigatório para crianças que já completaram quatro anos e ainda não chegaram a sete anos e meio, com peso entre 18 kg e 36 kg. A criança, sentada no dispositivo, deve ficar segura junto ao banco com a ajuda do cinto de três pontas do veículo.

Acima de sete anos e meio e até os dez anos não é mais preciso utilizar algum desses dispositivos. Basta que a criança fique no banco traseiro, com o cinto de segurança de três pontos devidamente colocado. Se o cinto não ficar perfeitamente ajustado, ainda é preciso utilizar o assento elevado.

Fique atento às exceções

Se não há lugares suficientes no banco traseiro para todos os filhos, a criança maior pode ser transportada no banco dianteiro usando o cinto de segurança ou o dispositivo adequado a sua altura e peso. O mesmo acontece nos carros que só têm bancos dianteiros. Mas existem algumas exigências, específicas para veículos com airbag no banco do carona. São elas:

· as crianças de até sete anos e meio não podem ser transportadas em dispositivos posicionados em sentido contrário à marcha do veículo. O transporte é permitido apenas no sentido da marcha, mas não é autorizado ter bandeja ou acessório equivalente acoplado;
· o banco do passageiro precisa ser ajustado na última posição de recuo (ou seja, o mais distante possível do painel frontal);
· as especificações ou restrições do fabricante que estiverem expressas no manual do proprietário devem ser seguidas à risca.

De toda forma, na hora da compra, busque veículos que tenham as características mais apropriadas para famílias com crianças.

Para todas as opções de transporte, fica também o alerta: leia o manual de cada tipo de assento, pois a fixação incorreta diminui a eficácia da cadeirinha. Por isso, veja a forma correta de instalação e siga as instruções específicas.

Cabe ressaltar que essas exigências não se aplicam aos transportes coletivo, de aluguel e táxi. Da mesma forma, ficam de fora os veículos escolares e todos os demais com peso bruto total superior a 3,5 toneladas.

Tome cuidados extras para garantir a integridade dos pequenos

Seguir à risca o que diz a lei é de suma importância para garantir a segurança, o conforto e o bem-estar dos pequenos. Mas além disso, os pais precisam tomar cuidados extras, pois, quando se fala de crianças, toda precaução é pouca! Portanto, fique atento às seguintes dicas:

· nunca deixe seu filho sozinho no carro, mesmo em paradas curtas, para evitar incidentes;
· tenha cuidado ao sair da rotina, para evitar esquecer filhos pequenos trancados no banco traseiro;
· se a família tem um segundo carro, habitue-se a retirar os assentos e deixá-los na garagem, para que ninguém saia com os dispositivos sem levar as crianças (impedindo outra pessoa de transportá-las). Uma alternativa é comprar os acessórios em dose dupla;
· não faça alterações no dispositivo, inserindo mantas, cobertores ou almofadas. Se a criança não está confortável, ou o dispositivo é inadequado ou está mal ajustado;
· eduque seus filhos para não saírem do dispositivo, mesmo em passeios curtos, no estacionamento ou na garagem de casa. Crianças gostam de ficar próximo ao motorista, entre os bancos dianteiros, mas isso é extremamente perigoso.

Agora, você já sabe exatamente como levar crianças no carro em perfeita segurança. Então não abra mão desses cuidados, pois a sua prioridade sempre deve ser resguardar seu filho de qualquer risco.

E se ainda está na fase de planos para aumentar a família, não deixe de ler nosso e-book gratuito especial sobre o tema. Conheça nossas dicas de planejamento para a chegada do primeiro filho!

Dicas De Planejamento Financeiro Para A Chegada Do Primeiro Filho

As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.