Meu Primeiro Imóvel

Entenda como reformas de casas são feitas por meio de consórcio

Precisando reformar a casa? Saiba como aproveitar o consórcio nesse processo e conheça as vantagens do sistema!

Sabemos que a aquisição de um imóvel está entre as conquistas mais importantes de uma família. Ainda assim, ter uma casa ou um apartamento próprio não basta para que o usuário desfrute o total conforto do seu lar. Muitas vezes, é preciso investir recursos em mudanças de composição, estrutura e layout da residência para agregar valor e qualidade a cada ambiente de convívio.

Se você procura por formas de investimento para alcançar esse objetivo, pode se beneficiar (e muito) de um consórcio para reformas de casas. Saiba neste post como essa modalidade funciona e conheça suas vantagens e possibilidades!

Como funciona o consórcio para reformas de casas?

Atualmente, o consórcio pode ser utilizado para a aquisição de uma infinidade de bens e serviços. Ainda que seja um sistema bastante procurado especificamente para a compra de imóveis, ele também passou a ser muito aproveitado para a realização de obras de reforma em residências e estabelecimentos comerciais. Quer saber como funciona?

Participação

A cota de consórcio para reformas pode ser adquirida em grupos de consórcio imobiliário ou de serviços. Para isso, é preciso procurar uma administradora autorizada pelo Banco Central e avaliar os diferentes planos oferecidos. Escolhido o plano adequado para suas demandas e condições, o interessado entra em um grupo com outros consorciados para iniciar o pagamento das parcelas que resultarão em cartas de crédito no valor combinado.

Contemplação

No consórcio não há cobrança de juros sobre as parcelas, mas sim de uma taxa relativa à administração do grupo. Por meio de assembleias, os consorciados se reúnem para a realização de sorteios que premiam um ou mais participantes por mês.

Se o consorciado não quiser esperar demais ou só contar com a sorte, poderá oferecer um lance para tentar adiantar a própria contemplação. Para ter acesso à sua carta de crédito antecipadamente, o lance oferecido por ele deve ser o vencedor, o que significa que precisa apresentar valor ou percentual superior à oferta dos demais (em condições gerais). Quando contemplado, o consorciado já pode destinar o crédito contratado para todo tipo de reforma que desejar.

Vale destacar que algumas administradoras oferecem maior flexibilidade de uso da carta de crédito do que outras. Dessa maneira, mesmo quem entra em um consórcio com o objetivo inicial de comprar um bem ou de contratar um serviço específico, pode decidir por utilizá-lo em trabalhos e benfeitorias na própria casa.

Nesses casos, os participantes de um consórcio imobiliário podem usar a carta de crédito para reformas de grande porte, por exemplo, enquanto os participantes de um consórcio de serviços podem usar sua carta em obras menores e mais simples. Independentemente do objetivo final, é importante que o interessado verifique todas as possibilidades junto à administradora antes de bater o martelo para entrar em um grupo.

Condições

Para usar o consórcio na reforma, o interessado deve ser proprietário de imóvel urbano, seja ele residencial ou comercial, que esteja situado em território nacional. Considerando que a obra não vai alterar as características do imóvel, não há necessidade de laudo de análise da prefeitura — exceto se houver ampliação.

Normalmente, os documentos solicitados são:

- orçamento e cronograma físico-financeiro da obra;
- memorial descritivo;
- ART de projeto e execução.

Possibilidades

A carta de crédito obtida pelo consorciado pode ser destinada à contratação de diversos serviços de reforma. Confira as possibilidades e os principais usos desse recurso:

- ampliações no imóvel;
- pintura e acabamento;
- instalações hidráulica e elétrica;
- compra de produtos;
- marcenaria;
- manutenção;
- construção de áreas de lazer, como piscina e churrasqueira;
- troca de revestimentos;
- demais serviços de reparos.

Assim como em um consórcio destinado para a aquisição de imóvel, optar por essa modalidade para a reforma da casa é uma forma bem eficiente de poupar recursos, sabia? E o motivo para isso é simples: a entrada em um grupo de consórcio gera a obrigação de arcar com parcelas mensais de investimento, garantindo a economia necessária para o alcance dos objetivos. Nada de compras por impulso ou aquisição de supérfluos. Assim, o dinheiro vai para onde tem mesmo que ir.

Quanto é possível investir na reforma?

Nos consórcios para reformas de casas, os valores permitidos para investimento são bastante atrativos, variando de uma administradora para outra. Com diferentes opções no mercado, é comum ver cada vez mais pessoas aproveitando a carta de crédito para a realização de melhorias na própria residência. Além da flexibilidade de uso do crédito, a diversidade de planos e a acessibilidade das parcelas de um consórcio tornam a opção bastante vantajosa quando comparada com outras formas de pagamento parcelado. Assim é possível escolher o valor da carta de crédito de acordo com o que você pretende investir na reforma e com sua realidade financeira.

Para quem essa opção é indicada?

O consórcio destinado para reformas de casas é indicado para famílias que não têm pressa em obter o valor total de investimento. Descartada a necessidade de urgência, o consórcio se mostra uma opção muito vantajosa para quem deseja economizar com um investimento.

Hoje em dia, ainda é comum ver pessoas recorrendo a formas de parcelamento que não favorecem as finanças, pois cobram juros altos, que aumentam significativamente o valor das despesas, tornando o investimento bem mais custoso.

No consórcio, por sua vez, o valor da reforma é parcelado de forma integral, sem cobrança de entradas. Essa condição proporciona mais economia e segurança para a maioria das famílias, que normalmente não têm dinheiro em mãos. A propósito, mesmo quem tem uma boa reserva e não quer se descapitalizar pode se beneficiar do consórcio! A vantagem está no ganho de tempo para pagar o valor total e para planejar a reforma nos mínimos detalhes.

É importante deixar bem claro que, ainda que a sorte seja relevante no consórcio, nada o impede de abrir mão de certos gastos até obter um montante suficiente para dar um lance campeão. Para quem planeja essa economia direitinho, é possível concretizar a tão sonhada reforma antes do tempo previsto e contar com parcelas acessíveis.

Quais são as vantagens do consórcio para reformas de casas?

Depois de ficar por dentro de todas essas informações sobre o consórcio aplicado ao contexto das reformas, você deve estar pensando se essa opção é realmente vantajosa, não é mesmo? Pois o fato é que existem sim muitas vantagens. Vamos esclarecer a partir de agora as 5 principais para sanar suas dúvidas. Acompanhe!

1. Usar o valor como desejar

Uma das grandes vantagens de recorrer ao consórcio para as reformas de casas está na possibilidade de utilizar o valor da forma como desejar. É possível, por exemplo, modificar o seu imóvel e deixá-lo do jeito que tanto sonhou.

Se o objetivo é investir para uma eventual venda ou locação, também é viável usar o consórcio de reforma para renovar completamente o empreendimento. Por outro lado, se a sua família aumentou, você pode usá-lo para criar mais um cômodo na sua casa ou transformar o antigo escritório em um confortável quarto. Enfim, as possibilidades são inúmeras!

2. Definição do prazo

Outro aspecto positivo do consórcio para reformas de casas é a oportunidade escolher um plano com prazos mais flexíveis e adequados para você. Assim, dá para planejar melhor a realização desse sonho, com mais calma e menos estresse, poupando com disciplina a quantia desejada para o pagamento das parcelas. Pronto para encaixar o consórcio no seu orçamento e ainda manter a saúde financeira?

3. Opção por parcela integral ou reduzida

Além da definição do prazo, o consórcio oferece planos com diferentes tipos de parcelas, definidas como integrais ou reduzidas. Se você deseja começar com um investimento menor, pode escolher uma parcela reduzida, desde que permitido pelas características do grupo e aumentá-la com o tempo ou até a contemplação, conforme previsto no contrato. Obviamente, tudo fica determinado no contrato, evitando assim o risco de ter que lidar com surpresas indesejáveis no futuro.

4. Equilíbrio financeiro

Por mais que todo mundo queira e almeje, são poucos os que realmente conseguem criar o hábito e manter o objetivo de poupar dinheiro. Afinal, mesmo com boa vontade, essa não é uma missão tão fácil assim. Aí entra o consórcio para dar uma mãozinha, ajudando-o a economizar para que a reforma da sua casa não pese no orçamento. A cada mês, você terá o compromisso de quitar a parcela para eventualmente ser contemplado com a carta de crédito e, dessa maneira, realizar seu projeto.

5. Economia e segurança

Como já mencionado, o consórcio para reformas de casas também pode ser muito econômico e seguro. Afinal, não há cobrança de juros ou tarifas bancárias como acontece com outras formas de parcelamento, por exemplo. O que há é uma taxa de administração, que consiste numa porcentagem que é diluída durante o prazo de duração do consórcio.

Além disso, o sistema é regido pela lei 11.795, conhecida como a lei dos consórcios, sem falar que as empresas desse segmento ainda devem seguir as normas estabelecidas pelo Banco Central. Aliás, essa entidade ainda traz uma relação das instituições autorizadas a funcionar no país, bem como um ranking de administradoras conforme um índice de reclamação. Juntos, esses aspectos oferecem muito mais credibilidade e proteção aos usuários, elementos fundamentais para assegurar bons negócios.

Com tantas vantagens, não restam dúvidas: você deve sim considerar o consórcio para reformas de casas nos próximos investimentos, valorizando ainda mais seu imóvel próprio!

E para lhe ajudar ainda mais, preparamos um vídeo com 10 dicas de planejamento para não ter nenhum problema com sua reforma. Confira!

Pensando em comprar um imóvel para reformar? Saiba o que avaliar durante o processo e confira as maiores vantagens!

As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.