Meu Primeiro Imóvel

8 motivos que comprovam que você consegue sair do aluguel

Quer comprar um imóvel, mas ainda não tem certeza de que consegue sair do aluguel? Este post traz uma ótima notícia!

Comprar a casa própria e sair do aluguel: esse é o sonho de grande parte da população brasileira. Porém, como a maioria das pessoas não tem o dinheiro suficiente para adquirir um imóvel à vista, a realização desse desejo acaba se tornado uma meta distante, ou até mesmo inalcançável para muitos.

Apesar dessa realidade, não há motivo para desanimar e desistir do sonho do imóvel próprio. Essa é uma meta desafiadora, a qual exigirá muito esforço, planejamento e compromisso de quem deseja alcançá-la. Porém, com as estratégias e posturas adequadas, é totalmente possível abandonar o aluguel e partir para um lugar que seja seu.

Assim, se você está planejando realizar a compra do seu imóvel, mas ainda não se sente seguro o bastante ou não tem certeza se realmente consegue sair do aluguel de uma forma que não complique a sua vida financeira, este artigo pode ajudar.

Como veremos adiante, seguindo um bom planejamento e munindo-se das informações necessárias, é possível se organizar e estruturar o seu orçamento para que a compra do imóvel se torne parte da sua realidade. A seguir, listamos 8 motivos que comprovam que você é capaz de concretizar esse sonho e, mais do que isso, reunimos algumas orientações práticas que ajudarão a chegar lá mais rapidamente. Confira!

Quais motivos comprovam que é possível sair do aluguel?

1. Morar de aluguel não pode ser uma condição definitiva

Você já parou para pensar no significado do aluguel na sua vida? Se ainda não fez isso, comece a avaliar o assunto imediatamente, uma vez que, como veremos, essa condição tem implicações financeiras, patrimoniais e de realização pessoal que podem não ser positivas.

É claro que um imóvel alugado atende a sua necessidade imediata de moradia e, por isso, ele deve ser considerado como uma despesa necessária por quem não pode comprar um imóvel à vista. Portanto, o aluguel pode ser uma alternativa viável, mas apenas por um curto período.

Caso contrário, você adiará além do necessário a realização de um negócio que só trará benefícios.

2. Sair do aluguel é bom para a sua saúde financeira

Pagar aluguel resolve a questão da moradia, mas não traz nenhum acréscimo para as suas finanças. Afinal, o valor que você paga pelo direito de uso do imóvel se esgota no próprio mês da locação, custeando apenas a sua necessidade imediata de ter um lugar para morar e nada mais.

Como essa necessidade é contínua, se você não tomar uma atitude que lhe permita sair do aluguel, essa despesa permanecerá, mês a mês, drenando os seus rendimentos, sem oferecer qualquer retorno em médio ou longo prazo.

Por outro lado, quando você começa a investir uma parte do que ganha no projeto de aquisição da casa própria, cada centavo que segue nessa direção se acumula em seu próprio benefício e não em benefício do proprietário do imóvel alugado.

Não tenha dúvidas de que essa decisão fará muito bem para a sua saúde financeira, considerando que, agindo assim, você começará a trocar uma despesa mensal por um investimento com ótimo retorno, o que é uma ideia muito boa.

3. Comprar um imóvel dá segurança patrimonial

O imóvel é um patrimônio seguro, de valor reconhecido, e isso pode ser comprovado facilmente. Por exemplo, quando uma pessoa vai a um banco pedir um empréstimo de alto valor, é comum a instituição exigir que ela apresente um imóvel como garantia de pagamento da dívida.

Afinal, os imóveis são bens sólidos, que mantêm estabilidade patrimonial de longo prazo Por isso, eles são ótimas garantias de que uma dívida será coberta, mesmo se o devedor não tiver como pagá-la em dinheiro.

Outro claro exemplo vem dos fundos de investimento, que reconhecem a segurança dos imóveis e investem neles grande parte dos recursos que captam do mercado. Essa mesma segurança patrimonial poderá ser conquistada por você ao adquirir a casa própria.

4. Valorização do seu patrimônio

Outro ponto alto no imóvel que deve motivar a sua compra é a possibilidade de valorização. Além de adquirir um patrimônio sólido, você ainda terá a vantagem de vê-lo valorizar com o tempo, o que também é possível comprovar com grande facilidade.

Para tanto, basta fazer uma pesquisa sobre a variação dos valores dos imóveis ao longo do tempo. Assim, você perceberá que, após um determinado período, a tendência mais natural é de aumento dos preços, o que significa que quem investe nesse tipo de aquisição vê o próprio dinheiro sendo valorizado e a chance real de aumentar o próprio patrimônio.

5. Realização pessoal

Outro motivo importante que deve ser considerado por quem pretende sair do aluguel é a realização pessoal. Por melhor que seja o imóvel alugado, ele jamais terá o mesmo significado que tem o imóvel próprio.

A sensação de ser proprietário do chão em que pisa oferece ao comprador uma satisfação única, que nunca poderá ser experimentada no imóvel alugado. Além disso, ainda existe a questão da liberdade que o imóvel próprio oferece. A exemplo, o proprietário é livre para deixar o espaço com a sua cara, fazer reformas e adaptá-lo às suas necessidades.

6. Facilidade de aquisição

É verdade que os imóveis são bens com preços consideráveis, que exigem do comprador algum esforço para adquiri-los. Contudo, esse esforço não significa que não existam facilitadores para realizar a compra.

Por exemplo, o parcelamento do valor do imóvel ou o investimento em algum tipo de poupança que permita acumular o dinheiro necessário para fazer a aquisição à vista são meios que facilitam o acesso à casa própria.

Naturalmente, o valor das parcelas ou da poupança mensal não pode pesar demais no seu orçamento, a ponto de representar sacrifícios extremos para o seu estilo de vida. Ao mesmo tempo, o parcelamento ou a poupança deve lhe assegurar meios de acesso ao imóvel no prazo que você deseja.

Neste ponto vale destacar que o consórcio permite o parcelamento do imóvel e também pode ser visto como uma poupança. Independentemente da perspectiva escolhida, é certo que a viabilidade do consórcio aproxima você de realizar o sonho da casa própria.

7. O consórcio imobiliário é simples e acessível

O consórcio imobiliário é uma forma de compra bastante vantajosa. Um grupo de pessoas com um objetivo comum de aquisição se reúne e forma uma espécie de fundo comum, que possibilita as contemplações. Para fazer parte de um grupo de consórcio basta buscar uma administradora de consórcios confiável e adquirir uma cota.

Os planos de consórcio são bastante flexíveis, se adequando à sua realidade. Isso quer dizer que você pode definir o valor do crédito que deseja, bem como o valor da parcela e o prazo de pagamento de acordo com seu orçamento. É importante destacar que os consórcios não cobram juros, o que existe é a taxa de administração, que geralmente tem um valor bem mais acessível se comparado à outras formas de aquisição parcelada.

Outra vantagem é que ele não exige um valor de entrada. Isso é muito positivo para quem não tem uma reserva de dinheiro para esse aporte inicial.

8. É possível usar o FGTS no consórcio

Seja para complementar o valor da carta de crédito, amortizar ou quitar o saldo devedor ou para dar lances para a obtenção da carta de crédito, os trabalhadores contribuintes do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) podem utilizar os recursos do fundo em consórcios imobiliários, desde que atendam as regras de utilização desse recurso.

Isso significa que quem tem saldo no FGTS pode contar com aquele dinheiro na aquisição do imóvel, podendo antecipar o recebimento da carta de crédito ou mesmo saldar a dívida existente junto à administradora.

O que fazer para sair do aluguel definitivamente?

Agora que você já é percebeu que é totalmente capaz de sair do aluguel, é hora de partir para a ação e começar a agir para que esse sonho se torne algo concreto. Para ajudar, listamos algumas atitudes que você precisa adotar no seu dia a dia para acelerar o processo. Acompanhe!

Desenvolva um bom planejamento financeiro

A chave para alcançar grandes objetivos financeiros e materiais, como a aquisição do imóvel próprio, está no planejamento. Como se trata de um bem cujo valor costuma ser mais elevado, é preciso criar todo um cenário financeiro positivo para que esse sonho se torne realidade.

Dificilmente uma pessoa que não tem grandes reservas financeiras, conseguirá comprar o seu imóvel sem se organizar para isso. O dinheiro não sobrará ao final do mês, compromissos financeiros desnecessários poderão ser assumidos e dívidas podem surgir e inviabilizar o sonho do imóvel próprio.

Por isso, sobretudo para quem tem um orçamento mais limitado, a compra de um imóvel depende de planejamento financeiro. Ou seja, a pessoa precisa organizar as suas finanças de uma forma que seja possível assumir as parcelas do imóvel, assim como das demais obrigações que surgirão com a compra.

Para isso, é preciso conhecer bem os gastos e entender o que é e o que não é essencial. É fundamental saber priorizar despesas, enxugando ao máximo as contas para que a prioridade seja sair do aluguel.

Corte os gastos supérfluos

Outra medida que certamente contribuirá para que você saia do aluguel é reduzir os gastos com coisas supérfluas. Quem deseja alcançar grandes objetivos precisa ajustar a sua vida financeira para que pequenas “distrações” não o prejudique.

Nesse sentido, por exemplo, destacamos a importância de cortar aqueles gastos supérfluos, isto é, desnecessários, que tendem a consumir uma parcela do orçamento todos os meses. A exemplo, você pode:

- reduzir os passeios aos finais de semana;
- reduzir gastos com serviços;
- evitar compras parceladas no cartão de crédito;
- evitar compras por impulso.

Comece a fazer investimentos financeiros

As aplicações financeiras também despontam como uma excelente estratégia para quem deseja comprar um imóvel próprio. Em muitos casos, os investimentos não só ajudam você a multiplicar o seu dinheiro, mas a mudar a sua mentalidade quanto à gestão dele.

Criando o hábito de investir, fica muito mais fácil levantar o capital necessário para, por exemplo, dar uma entrada maior no imóvel. Da mesma forma, evita que você gaste dinheiro em outras coisas, especialmente de itens que não trazem nenhum tipo de retorno futuro.

Hoje, investir se tornou algo extremamente democrático e simples. Pessoas de todos os perfis financeiros podem encontrar aplicações ajustadas às suas necessidades, tudo isso sem assumir altos riscos.

Avalie as possibilidades de pagar por um imóvel

Como dito, a aquisição de um imóvel é um grande passo na vida de qualquer pessoa. Por isso, essa é uma decisão que deve ser tomada com bastante cautela e após muito estudo. Assim, a probabilidade de que algum contratempo surja e acabe com o seu sonho reduz drasticamente.

Nesse sentido, é fundamental fazer todas as avaliações sobre as possibilidades de pagar por um imóvel. É imprescindível que você considere as variáveis que podem interferir nesse objetivo, leve em consideração todo o tempo em que estará atrelado a essa dívida e, principalmente, que tenha consciência de que imprevistos podem surgir e é necessário estar preparado.

Essa avaliação mais ampla a respeito da decisão de compra é muito importante, pois evita que você seja pego de surpresa com algum problema ou que fique sem opções caso surja um imprevisto, como a queda dos seus rendimentos ou o surgimento de uma despesa repentina.

Vá em busca do imóvel ideal para as suas necessidades

A definição do imóvel ideal para as suas necessidades também pode facilitar bastante o processo de aquisição. Essa avaliação, por exemplo, ajuda você a concentrar os seus esforços em propostas mais vantajosas e alinhadas ao seu perfil de uso do imóvel e financeiro.

A exemplo, para alguém que pretende morar sozinho, não faz muito sentido investir mais dinheiro na compra de um imóvel grande, com vários quartos. Assim,é possível dar prioridade para um apartamento pequeno, de valor mais baixo, o qual exigirá um menor esforço para a aquisição.

Aprenda a poupar a diferença entre o valor do aluguel e a parcela do imóvel pretendido

Por último, mas não menos importante, é fundamental que você crie o hábito de poupar a diferença de valor existente entre o custo do aluguel e o custo da parcela assumida na compra do imóvel. Essa postura é importante porque essa diferença de valor, quando para mais, pode pesar no seu orçamento, especialmente quando não houve um planejamento adequado.

Por outro lado, se você poupa essa diferença, não sentirá nenhuma dificuldade em assumir as parcelas referentes a compra do seu imóvel, pois já havia reduzido os seus gastos em outros pontos, equilibrando o orçamento.

Por fim, como vimos, sair do aluguel, embora não seja uma tarefa simples e realizável da noite para o dia, é plenamente possível. Para isso, é preciso pensar e agir com foco no seu objetivo, evitando hábitos prejudiciais às finanças e decisões mal planejadas. Esperamos que as informações trazidas neste artigo sejam capazes de ajudar você a alcançar esse objetivo.

Agora que você já tem motivos suficientes para sair do aluguel, leia o nosso próximo post e saiba mais detalhes sobre como o consórcio pode ajudá-lo a adquirir a casa própria!

As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.