Meu Primeiro Imóvel

8 motivos que comprovam que você consegue sair do aluguel

Quer comprar um imóvel, mas ainda não tem certeza de que consegue sair do aluguel? Este post traz uma ótima notícia!

Comprar a casa própria e sair do aluguel: esse é o sonho de grande parte da população brasileira. Porém, como a maioria das pessoas não tem o dinheiro suficiente para adquirir um imóvel à vista, a realização desse desejo acaba se tornado uma meta distante ou até mesmo inalcançável, como muitos consideram.

Se você está pensando na compra do seu imóvel, mas ainda não tem a certeza de que consegue sair do aluguel, este post traz uma ótima notícia. Seguindo um bom planejamento e se abastecendo de informações consistentes, você vai perceber que o seu objetivo está mais próximo da realidade do que você imagina.

Para estimular a sua decisão, a seguir nós apresentamos 8 motivos para você se decidir pela compra do seu imóvel! Confira!

1. Morar de aluguel não pode ser uma condição definitiva

Você já parou para pensar no significado do aluguel na sua vida? Se ainda não fez isso, comece a avaliar o assunto imediatamente, uma vez que, como veremos, essa condição tem implicações financeiras, patrimoniais e de realização pessoal que não são nada positivas.

Ora, é claro que um imóvel alugado atende a sua necessidade imediata de moradia e, por isso, ele deve ser considerado como uma despesa necessária por quem não pode comprar um imóvel à vista. Portanto, o aluguel até pode ser uma alternativa viável apenas por um curto período.

Caso contrário, você adiará além do necessário a realização de um negócio que só trará benefícios para você.

2. Sair do aluguel é bom para a sua saúde financeira

Pagar aluguel resolve a questão da moradia, mas não traz nenhum acréscimo para as suas finanças. Afinal, o valor que você paga pelo direito de uso do imóvel se esgota no próprio mês da locação, custeando apenas a sua necessidade imediata de ter um lugar para morar e nada mais.

Como essa necessidade é contínua, se você não tomar uma atitude que lhe permita sair do aluguel, essa despesa permanecerá, mês a mês, drenando os seus rendimentos, sem oferecer qualquer retorno em médio ou em longo prazo.

Por outro lado, quando você começa a investir uma parte do que você ganha no projeto de aquisição da casa própria, cada centavo que segue nessa direção se acumula em seu próprio benefício e não em benefício do proprietário do imóvel que você aluga.

Não tenha dúvidas de que essa decisão fará muito bem para a sua saúde financeira, considerando que, agindo assim, você começará a trocar uma despesa mensal por um investimento com ótimo retorno, o que é uma ideia muito boa.

3. Comprar um imóvel dá segurança patrimonial

O imóvel é um patrimônio seguro, de valor reconhecido, e isso pode ser comprovado facilmente. Por exemplo, quando uma pessoa vai a um banco pedir um empréstimo de alto valor, é comum a instituição exigir que ela apresente um imóvel como garantia de pagamento da dívida.

Afinal, os imóveis são bens sólidos, que mantêm estabilidade patrimonial de longo prazo Por isso, eles são ótimas garantias de que uma dívida será coberta, mesmo se o devedor não tiver como pagá-la em dinheiro.

Outro claro exemplo vem dos fundos de investimento, que reconhecem a segurança dos imóveis e investem neles grande parte dos recursos que captam do mercado. Essa mesma segurança patrimonial poderá ser conquistada por você ao adquirir a casa própria.

4. Valorização do seu patrimônio

Outro ponto alto no imóvel que deve motivar a sua compra é a possibilidade de valorização. Além de adquirir um patrimônio sólido, você ainda terá a vantagem de vê-lo valorizar com o tempo, o que você também pode comprovar com grande facilidade.

Para tanto, basta fazer uma pesquisa sobre a variação dos valores dos imóveis ao longo do tempo. Assim, você perceberá que, após um determinado período, a tendência mais natural é de aumento dos preços, o que significa que quem investe nesse tipo de aquisição vê o próprio dinheiro sendo valorizado e a chance real de aumentar o próprio patrimônio.

5. Realização pessoal

Outro motivo importante que deve ser considerado por quem pretende sair do aluguel é a realização pessoal. Por melhor que seja o imóvel alugado, ele jamais terá o mesmo significado que tem o imóvel próprio.

A sensação de ser proprietário do chão em que pisa oferece ao comprador uma satisfação única, que nunca poderá ser experimentada no imóvel alugado.

6. Facilidade de aquisição

É verdade que os imóveis são bens com preços consideráveis, que exigem do comprador algum esforço para adquiri-los. Contudo, esse esforço não significa que não existam facilitadores para realizar a compra.

Por exemplo, o parcelamento do valor do imóvel ou o investimento em algum tipo de poupança que permita acumular o dinheiro necessário para fazer a aquisição à vista são meios que facilitam o acesso à casa própria.

Naturalmente, o valor das parcelas ou da poupança mensal não pode pesar demais no seu orçamento, a ponto de representar sacrifícios extremos para o seu estilo de vida. Ao mesmo tempo, o parcelamento ou a poupança deve lhe assegurar meios de acesso ao imóvel no prazo que você deseja.

Neste ponto vale destacar que o consórcio permite o parcelamento do imóvel e também pode ser visto como uma poupança. Independentemente da perspectiva que você escolher, é certo que a viabilidade do consórcio aproxima você de realizar o sonho da casa própria.

7. O consórcio imobiliário é simples e acessível

Diferente de outras linhas de crédito, que exigem comprovação de renda e a apresentação de uma série de documentos, o consórcio imobiliário é muito simplificado. Para assinar o contrato de adesão a um grupo de consorciados basta que você apresente seus documentos pessoais de identificação e de comprovação de endereço.

Além disso, os planos de consórcio são muito flexíveis, com valores de parcelas apropriados para cada orçamento. É importante destacar que os consórcios não cobram juros sobre as parcelas, o que os torna ainda mais interessantes na aquisição de imóveis. Assim, quem compra um imóvel utilizando consórcio acaba pagando menos pelo bem do que pagaria se optasse por um financiamento imobiliário, por exemplo.

8. É possível usar o FGTS no consórcio

Seja para pagar parcelas, para quitar o plano ou para dar lances para a obtenção da carta de crédito, os trabalhadores contribuintes do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) podem utilizar os recursos do fundo em consórcios imobiliários.

Isso significa que quem tem saldo no FGTS pode contar com aquele dinheiro na aquisição do imóvel, podendo abreviar o recebimento da carta de crédito ou mesmo saldar a dívida existente junto à administradora.

Agora que você já tem motivos suficientes para sair do aluguel, leia nosso próximo post e saiba mais detalhes sobre como o consórcio pode ajudá-lo a adquirir a casa própria!