Meu Primeiro Imóvel

7 passos para construir uma área de lazer incrível em casa

Sabia que é possível ter uma área de lazer em casa sem gastar muito? Descubra como fazer no nosso post.

Você já sonhou em construir uma área de lazer em casa, com churrasqueira, piscina e um espaço para reunir a família e os amigos? Se sim, saiba que alcançar esse objetivo é possível!

Existem várias maneiras de criar um espaço de lazer, mesmo em imóveis pequenos, seja com material novo ou reaproveitado e sustentável. Além disso, para realizar esse projeto não é necessário ter um orçamento muito alto, basta se planejar com cuidado, levantar os gastos e ter clareza sobre seu orçamento.

Você duvida? Então, continue lendo este post e confira nossos 7 passos para construir uma área de lazer incrível, além de dicas para fazer um planejamento financeiro adequado!

Como construir uma área de lazer incrível?

1. Consulte um profissional

Algumas pessoas acham que é muito caro contratar a consultoria de um arquiteto. Porém, a verdade é que ela é essencial não somente para a beleza do resultado final, mas também para a segurança e o conforto do projeto.

Por isso, converse com um arquiteto sobre as suas ideias para a área de lazer. Ele pode fazer um projeto sob medida para o seu perfil ou oferecer um mais básico, que não seja exclusivo. A segunda opção é bem mais barata e, ainda assim, pode ser perfeita para você.

Além do arquiteto, é fundamental contar com outros profissionais de confiança, como um pedreiro, um jardineiro e um eletricista. O investimento em mão de obra de qualidade fará toda a diferença em como a área ficará após a reforma. Lembre-se sempre da sabedoria popular de que o barato sai caro, portanto, não economize em etapas importantes.

2. Leve em conta o espaço

Nem todas as casas têm espaço para uma piscina, mas ainda é possível optar por um ofurô ou uma hidromassagem, que são ótimas alternativas para relaxar na área externa da sua casa.

No entanto, não se esqueça: não compre nada antes de ter um projeto que leve em conta o espaço e as necessidades dos moradores da casa. Assim, é possível determinar o que será instalado para usar a área disponível da melhor forma e evitar desperdício de material e de tempo.

Já que o tema aqui é como aproveitar bem o espaço, vai uma dica importante: evite deixar a churrasqueira muito perto de outros móveis, pois ela pode soltar fuligem e deteriorar o material.

Além disso, você já deve ter ouvido sobre a máxima de que menos é mais, certo? Ele pode ser perfeitamente aplicado aqui e ter isso em mente ajudará bastante na hora de adequar a sua área de lazer, ou seja, não é preciso ter uma quantidade grande de móveis ou artifícios para ter um bom projeto.

O ideal é ter bastante espaço de circulação, especialmente próximo à piscina, para evitar qualquer acidente com crianças e pessoas idosas. Por falar em piscina, fique atento na hora de construir a sua, a escolha do local, a instalação e o tipo de material são essenciais para a segurança dos usuários.

3. Alie beleza e funcionalidade

As churrasqueiras de tijolinhos são clássicas por um motivo: elas são feitas com um material bonito e completamente seguro para ficar próximo ao fogo. Se esse modelo não combina muito com você, tudo bem. No entanto, evite acabamentos como papel de parede e porcelanato, pois eles não são resistentes.

Outro ponto importante é instalar uma pia e uma bancada perto da churrasqueira, para ajudar na hora de preparar e servir os alimentos. Opte por materiais resistentes e com uma estética agradável, como mármore e aço inox. Não se esqueça de instalar um espaço de armazenamento nessa área, para que você possa guardar tábuas, talheres e outros utensílios que serão usados.

Algumas soluções criativas além de inovadoras agregam muito valor ao seu espaço, usando melhor os recursos naturais e deixando o ambiente mais agradável. O telhado verde, por exemplo, é uma dessas técnicas que alia beleza e funcionalidade, pois deixa o local mais acolhedor e ajuda a amenizar o calor nos dias quentes.

4. Pense na limpeza

Se você vai instalar uma piscina, ou algum outro reservatório, é fundamental construir um banheiro ou vestiário externo, para que seja possível tomar uma ducha e se trocar sem sujar a casa.

Uma boa ideia é optar por um piso antiderrapante nessa área e deixar alguns panos e toalhas por perto. Assim, quem estiver molhado poderá se secar facilmente. Nesse caso, evite usar tons muito claros no chão, pois eles realçam ainda mais a sujeira.

Se você mora em uma cidade muito quente, também é importante observar se o piso é térmico, do contrário pode ser desconfortável.

5. Preze pelos revestimentos

Os revestimentos são muito importantes, não somente pela estética, mas, principalmente, para a segurança do local. Para a piscina, em particular, é preciso ter bastante cuidado na escolha desse elemento. Os principais tipos de revestimento para piscinas são os seguintes:

- azulejo: é o mais comum e fácil de instalar, mas facilita o acúmulo de limo;
- cerâmica: é resistente e não acumula muita sujeira, portanto, apresenta o melhor custo-benefício;
- revestimento vinílico: é impermeável e fácil de instalar, mas sua manutenção precisa ser feita por uma empresa especializada;
- pastilha de vidro: é a mais cara e exige mão de obra especializada para instalação. No entanto, apresenta boa durabilidade e é perfeita para piscinas curvas.

6. Escolha os móveis certos

Não há nada mais relaxante do que sentar em uma varanda ou jardim e ler um livro ou ficar junto com a família, não é mesmo? Porém, para que essa tranquilidade possa durar, é preciso tomar alguns cuidados.

Os móveis que ficam em áreas externas da casa estão sujeitos a tomar chuva e sol, por isso, não podem ser feitos de qualquer material. Assim, uma boa dica é escolher estofados de tecidos impermeáveis, como couro e acquablock. Já as estruturas podem ser de madeira impermeável, plástico, fibra natural ou sintética.

Evite a madeira natural, que absorve água e apodrece com facilidade, ferro ou outros metais que causam desconforto térmico — pois no verão esquentam muito rápido e no inverno ficam bem gelados.

7. Não se esqueça dos complementos

Há duas coisas que fazem toda a diferença na criação de um ambiente agradável: a iluminação e a decoração. Dependendo do seu orçamento, você pode encomendar um projeto completo, mas também é possível cuidar de algumas partes sozinho. Para isso, abuse de pesquisas em sites e revistas especializadas, para se inspirar e analisar a possibilidade de aplicar o famoso "faça você mesmo".

Após construir uma área de lazer na sua casa, instale abajures e luminárias para que esse espaço também possa ser utilizado durante a noite. Para decorar, aposte em almofadas, objetos interessantes e plantas variadas.

Se você tiver um paisagista à disposição, ele poderá acrescentar elementos como grama, palmeiras, arbustos e até mesmo um pergolado — uma estrutura de madeira ou metal em que se cria uma composição artística com plantas trepadeiras.

O paisagista é um arquiteto especializado na parte botânica da decoração e, ao criar projetos para jardins, também costuma cuidar dos aspectos decorativos relacionados à iluminação. Caso você não conte com a ajuda desse profissional, a dica é distribuir plantas grandes e pequenas por toda a área: no chão, em mesinhas e no parapeito de janelas.

As plantas são uma forma simples e barata de trazer mais vida à decoração de qualquer ambiente, pois proporcionam uma sensação de contato com a natureza. Uma dica é fazer uma pequena horta na área de lazer, com material rústico, que fica elegante e moderno, mesmo que seja uma varanda pequena. O passo a passo para montar a horta é simples, e você ainda tem ervas frescas para as refeições!

No entanto, se você não tem muito tempo disponível para cuidar de plantas que exigem atenção constante, não desanime, uma vez que ainda é possível contar com as espécies ornamentais bonitas e fáceis de cuidar, como o periquito vermelho, o jasmim do cabo e a azaleia bola. Elas farão toda a diferença na sua área de lazer!

Como fazer um orçamento perfeito para a sua área de lazer?

Você lembra que no início deste post dissemos que não é necessário ter um orçamento alto para fazer tudo isso? Com planejamento, levantamento de custos e as escolhas certas, especialmente de materiais, é possível economizar e ter o resultado desejado. Veja mais detalhes nos tópicos a seguir.

Levante os custos

Quer uma dica para começar qualquer projeto? Coloque todas as suas ideias em um papel, liste tudo aquilo que você idealiza para a sua área de lazer, converse com os demais moradores da casa e entenda as necessidades e desejos de cada um.

Com o escopo montado, é a hora de levantar os custos — e quando falamos em custos, estamos envolvendo desde o arquiteto, até o preço das mudas de plantas que vão para o jardim e do material de acabamento. Pesquise o valor que os profissionais da sua região estão cobrando e peça ao responsável que faça o projeto o quanto antes.

Esse levantamento feito a partir do projeto também evita o desperdício, melhora o aproveitamento de materiais e de recursos humanos. Lembre-se, ainda, de manter o material comprado em local limpo e arejado para evitar perdas. Fique atento em relação ao que já tem na sua casa — muitos móveis podem ser reaproveitados ou remodelados e você não precisará comprar coisas novas. Por vezes, uma simples pintura faz diferença. Quanto menos lixo, melhor para a sua reforma ficar mais sustentável.

Esse também é o momento para pensar em técnicas inovadoras que vão ajudar nos gastos pós-reforma. Uma delas é um sistema simples de captação de água da chuva, feito com materiais baratos, como calhas, e um local de armazenamento. Essa água pode ser utilizada posteriormente para a rega das plantas e direcionada para o vaso sanitário.

Outro processo interessante, mas que precisa ser observado com mais calma, é a implantação de painéis de energia solar. Eles podem ser caros, a princípio, mas, em muitos casos, o custo-benefício vale a pena. 

Utilize planilhas

A partir do projeto, você terá dimensão de quais materiais vai precisar, do tempo que vai demorar para a conclusão da obra e qual é a estimativa de gastos.

Essa é a hora de colocar cada elemento em uma planilha, prevendo valor unitário, quantidades, valor de frete, quando necessário, valores administrativos e até mesmo uma previsão de juros, dependendo do tamanho da sua obra. O Excel pode ser um grande aliado na hora de montar o seu planejamento

Faça um planejamento financeiro

Pois bem, agora que você já tem uma ideia de quanto vai precisar para concretizar o seu sonho, está na hora de fazer o orçamento doméstico para ter clareza sobre como o dinheiro está sendo destinado no seu lar.

Ele deve conter as receitas, ou seja, todas as fontes de dinheiro (como salários, aluguéis, pequenos bicos, venda de algum produto, etc.) e as despesas (como educação, água, luz, telefone, combustível, além dos gastos com lazer e saúde) de forma detalhada.

Se você tiver dúvida a respeito de qualquer valor, não se preocupe, faça uma estimativa de quanto você acredita que gasta com essa demanda específica que está difícil de controlar. A partir daí, a família vai ter ideia do quanto tem para investir, se deve economizar, e do que precisa para dar seguimento à obra.

Ou seja, a organização financeira é primordial para que você tenha a sua área de lazer exatamente como foi planejada. E nada de se endividar, pegar empréstimos e fazer gastos no cartão de crédito a perder de vista e transformar o seu sonho em um grande pesadelo.

Planeje-se e conheça as opções para que você possa pagar tudo à vista, uma vez que além de não fazer dívidas, ainda é possível barganhar os preços e conseguir bons descontos. Uma dica para alcançar esse objetivo é contratar um consórcio — sim, é possível adquirir uma carta de crédito para a realização de reformas e obras.

A diferença entre essa modalidade para as mais conhecidas, como a de compra de imóveis ou carros, é que se nesses exemplos a carta de crédito serve para quitar o bem, e aqui ela servirá para você investir na melhoria do seu patrimônio, na construção ou reforma.

Entre em contato com uma administradora de confiança e conheça os planos disponíveis, bem como os valores das taxas cobradas. Pesquise sobre a solidez da empresa, o pré e, principalmente, o pós-atendimento.

Tenha atenção às burocracias

Não esqueça de que toda obra precisa enfrentar algumas burocracias. É necessário cumprir certas exigências impostas pelos municípios.

Portanto, não comece nada antes de certificar-se de que tudo está correto. Por mais chato e trabalhoso que possa parecer, esse cuidado evita que você tenha gastos inesperados futuramente com o pagamento de multas, além de economizar bastante dor de cabeça. Lembre-se sempre de que quem paga errado, paga duas vezes.

Logo, separe todos os documentos relacionados à sua casa e ao seu projeto, pois são fundamentais para qualquer transação. Se você não tiver tempo ou o conhecimento necessário para fazer isso sozinho, contrate um profissional especializado nesse tipo de serviço para que ele desenrole a situação o mais rápido possível.

Viu como construir a área de lazer dos seus sonhos está ao alcance das suas mãos? Seja para varanda do apartamento ou no quintal de casa, projetos que aliem beleza, funcionalidade e sustentabilidade podem caber sim no seu bolso. Basta se planejar e cumprir o passo a passo para que a empreitada seja um verdadeiro sucesso.

E se você se interessou sobre o assunto, baixe o nosso e-book sobre consórcio para construção e reforma e tire todas as dúvidas para iniciar o seu projeto!

Consorcio Para Construcao Tudo Que Voce Precisa Saber Sobre O Assunto Banner Artigo Blog

Racon Blog

Por Racon Blog

Data Publicado em 17 de Julho de 2018 | Atualizado em 17 de Abril de 2019.

construir uma área de lazer construir uma área de lazer fazer área de lazer fazer área de lazer

As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.