Planejamento Financeiro

Como a conta conjunta ajuda o casal a ter estabilidade financeira?

Já pensou em abrir uma conta conjunta? Confira os benefícios dessa modalidade bancária para o orçamento familiar.

Para garantir uma boa saúde financeira, é preciso que o casal esteja alinhado e determinado a manter o orçamento em dia. A conta conjunta é um recurso que pode ajudar bastante, pois ela permite um controle maior das finanças.

No entanto, essa ação ainda gera muitas dúvidas: será que realmente vale a pena abrir uma conta para duas pessoas? Quando ambos têm os mesmos objetivos, a conta conjunta apresenta grandes vantagens. Quer conhecê-las? Então continue a leitura deste post.

O que é a conta conjunta?

Esse é um tipo de conta em que duas ou mais pessoas são titulares e podem fazer movimentações. Ela inclui as seguintes opções: conta-corrente, poupança ou as duas opções juntas.

Caso você já tenha titularidade em um banco, não precisa abrir outra conta. A que você usa individualmente pode ser transformada em conjunta no momento que desejar. Para isso, basta ir até a agência em que está cadastrado e apresentar os documentos solicitados.

Entretanto, para que o casal obtenha sucesso com esse tipo de conta, é preciso que as duas pessoas tenham disciplina e o mesmo controle financeiro. Assim, será possível evitar brigas e a necessidade de um controlar o outro.

Como funciona a conta conjunta?

Existem duas modalidades de conta conjunta. A primeira delas é chamada de solidária (E/OU). Nela, todos os titulares estão autorizado a fazer movimentações e operações sem a necessidade de aprovação da outra pessoa o que oferece mais comodidade para o casal.

A segunda opção é a conta conjunta simples (E), também conhecida como não-solidária. Nesse caso, todos os processos financeiros precisam da aprovação do outro membro da conta. Não há como fazer nem mesmo pagamentos ou transferências sem a liberação de ambas as partes.

Para abrir esse tipo de conta bancária não é necessário ter o registro de casamento em cartório, basta que as duas pessoas sejam maiores de 18 anos e apresentem os seguintes documentos:

· comprovante de renda;
· documento de identificação (carteira de motorista, identidade ou documento oficial com foto);
· comprovante de endereço recente e atualizado.

Esses são os documentos básicos e mais pedidos. No entanto, vale a pena entrar em contato com a agência e conferir o que deve ser apresentado, pois a documentação pode variar de acordo com o banco.

Cada titular terá o seu cartão de crédito e poderá utilizá-lo em agências bancárias, caixas eletrônicos e na internet, respeitando o tipo de conta conjunta (solidária ou simples).

Vale ressaltar que movimentações como transferências, depósitos, DOC e TED apresentarão o nome do primeiro titular nos comprovantes. Sendo assim, se um dos membros deseja receber o salário pela conta conjunta, é preciso que o seu nome apareça primeiro, caso contrário a empresa poderá não aceitar essa ação.

E se o companheiro está com o nome sujo? A conta poderá ser aberta normalmente. No entanto, é possível que ocorra uma restrição no valor do crédito para empréstimos, financiamentos e cheque especial, por exemplo.

Afinal, quais são as vantagens dessa modalidade?

Além de ajudar na aproximação e companheirismo do casal, uma conta conjunta auxilia o controle financeiro da família. Confira a seguir as principais vantagens dessa opção.

Centraliza os ganhos e pagamentos

Quanto mais separados forem os ganhos, maior será a dificuldade em controlá-los. Mantendo as despesas e as receitas em um só lugar, fica mais fácil visualizar a situação financeira, melhorando a tomada de decisões e definição de metas.

Essa centralização beneficia também a transparência, evitando que uma das pessoas compre coisas demais e saia do planejamento estabelecido — o que também ajuda o casal a fazer escolhas em conjunto.

Isso não deve ser visto como perda da individualidade, mas sim como ganho de cumplicidade. A ideia é que todos concordem com os gastos e evitem brigas, facilitando a realização de seus sonhos. Então, mesmo que um ganhe mais que o outro, é preciso ter disciplina e responsabilidade com o dinheiro que, a partir desse momento, é dos dois.

Quando as contas são separadas, há grandes chances de cada um levar estilos de vida diferentes e fazer escolhas individuais que possam afetar as finanças da família. Além disso, uma pessoa pode contribuir mais do que a outra, o que nem sempre é uma forma justa de organizar o orçamento.

Reduz os custos com taxas de manutenção

Porque arcar com duas ou mais taxas administrativas se você pode pagar somente uma? Na conta conjunta, uma das grandes vantagens é que, independentemente do número de titulares, as tarifas cobradas são de apenas uma conta.

Oferece mais facilidade para conseguir créditos

Quando os dois membros do casal têm renda mensal, as instituições financeiras disponibilizam créditos com mais facilidade, uma vez que as receitas são somadas. Nesse caso, as condições para renegociar dívidas também são melhores.

Facilita a elaboração de um planejamento financeiro

Quando se centraliza os gastos e receitas, passando a ter um controle maior do orçamento total, é possível planejar e estipular planos, já que as duas pessoas do relacionamento terão objetivos semelhantes.

Além disso, tendo dimensão dos gastos familiares, o casal terá capacidade de fazer um planejamento financeiro eficiente para ter estabilidade e não sofrer com dívidas. Assim, é possível adquirir um bem sem muitos obstáculos, trocar o carro ou organizar uma viagem.

Amplia as possibilidades de investimento

Investir em conjunto é mais barato! Quando as receitas são somadas, o capital a ser investido aumenta, o que amplia as opções de produtos com boa rentabilidade e baixo risco. Além disso, será necessário arcar com apenas uma taxa administrativa, em vez de cada titular pagar uma, tornado o processo mais barato.

A conta conjunta auxilia na cumplicidade, estabilidade e melhor controle da vida financeira, já que os gastos ficam concentrados em um só lugar. No entanto, para que isso funcione, é preciso que o casal tenha o mesmo objetivo e atue de forma consensual.

Viu como o simples fato de ter uma conta conjunta pode melhorar o planejamento financeiro de um casal? Quer aprender mais sobre estabilidade financeira? Então, confira nosso artigo sobre a importância do orçamento doméstico na redução de custos.

As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.