Planejamento Financeiro

O que fazer com o 13º salário? Leia e use-o de forma inteligente

O 13° salário é um benefício que precisa ser muito bem gasto. Descubra qual o melhor destino desse valor para você!

O fim de ano está se aproximando e com ele uma das mais esperadas garantias da lei brasileira: o décimo terceiro salário. Essa é uma época em que muita gente aproveita o benefício para usá-lo em gastos com presentes de Natal e comemorações.

Contudo, é preciso entender que esse valor deve ser utilizado de maneira inteligente, a fim de que essa quantia traga ainda mais vantagens e não somente novas contas para o início do novo ano.

Fazer um planejamento e organizar a vida financeira é também um passo essencial. Somente dessa forma é possível conhecer todos os custos de início de ano, como IPVA, IPTU e Imposto de Renda, e começar 2018 no azul.

Preparamos este material para você que ainda não tem certeza sobre o que fazer com o 13º salário e quer utilizar esse dinheiro extra da melhor maneira possível. Acompanhe!

Quite suas dívidas

Se você, por algum motivo, ficou com alguma dívida neste ano, essa é a melhor hora para quitá-la e se livrar desse déficit de uma vez por todas. Afinal, ninguém gosta de iniciar o ano com dívidas e pagamentos atrasados, não é mesmo?

Essa é a primeira opção para uso do 13º que você deve considerar e o motivo é bastante simples: os juros de cartão de crédito e cheque especial no país são uns dos mais altos do mundo. Logo, todo dinheiro extra que você tiver em caixa deve ser destinado ao pagamento desses valores em atraso.

Outro benefício que vem dessa quitação de dívidas é ter o nome limpo no mercado. Dessa forma, você fica mais tranquilo e com a certeza de que não será prejudicado caso queira fazer novas compras ou investimentos. Com dinheiro em mãos também é mais fácil de negociar com os credores e até conseguir o abatimento de multas.

Caso você não tenha dívidas, mas possui um parcelamento ou financiamento, é interessante utilizar esse dinheiro para antecipar o pagamento, diminuindo o número de parcelas ou o valor dos juros. Nessas antecipações é bastante comum obter bons descontos junto aos bancos, credores ou instituições financeiras.

Crie sua reserva de emergência

Nada melhor do que poder contar com uma quantia de dinheiro em casos de urgência, certo? Pode ser questão de saúde, necessidade financeira de um parente, carro quebrado, entre outros.

Caso contrário, imagine se algo inesperado acontece e você tem que recorrer a um empréstimo? Na hora da necessidade você pode acabar comprando “gato por lebre” e pagando muito mais do que o planejado. Pensando nisso e em como é impossível prever o futuro, você pode utilizar seu 13º salário para formar a sua reserva de emergência.

Para isso, você pode fazer uma conta se baseando na sua média de gastos mensais. Guardar três vezes esse valor já serve como um bom fundo para possíveis eventualidades. Assim, você aplica seu dinheiro de uma forma bastante útil e pode ficar mais tranquilo em relação a esse assunto.

Pense nos gastos do ano seguinte

Todo início de ano vem recheado de novas contas, entre elas IPVA, IPTU, matrícula escolar, seguros, Imposto de Renda, revisão de veículo, entre outros. Sem uma previsão adequada de todas essas despesas, você pode acabar comprometendo seu salário nos meses seguintes.

O IPVA, por exemplo, é um seguro que cobra o correspondente de 1% a 6% do valor de mercado do automóvel, dependendo do estado. Sendo assim, é possível calcular essa quantia e guardá-la para pagar o imposto até mesmo à vista.

Já no caso do IPTU, a base de cálculo e as alíquotas são estabelecidas pela legislação do município. Mas é possível ter uma ideia desse valor tomando como referência o valor do imposto do ano atual, sempre considerando uma oscilação devido ao ajuste dos preços.

Tendo uma boa organização referente a esses gastos inevitáveis, você consegue se planejar melhor e usar o dinheiro de maneira que mais vai lhe trazer benefícios.

Invista no seu sonho

Você sonha em adquirir seu imóvel próprio? Ou quem saber ter o carro zero que sempre imaginou? Essa pode ser uma ótima oportunidade para você caminhar em direção ao seu sonho de maneira consciente.

Mas, novamente, é preciso calcular todos os seus novos gastos a fim de se manter sempre saudável financeiramente. Por isso, antes de fechar qualquer tipo de investimento, é preciso pesquisar bastante e avaliar qual opção se encaixa melhor no seu perfil e na sua condição atual.

O ideal é escolher uma modalidade que ofereça um bom custo-benefício e que, ao mesmo tempo, seja um investimento de baixo risco. O consórcio, por exemplo, é uma opção que se encaixa justamente nesses dois padrões.

Tem um ótimo custo-benefício, pois não há a cobrança de juros e é de baixo risco, porque você conhece com antecedência as condições do plano que vai adquirir, conhecendo o valor exato da carta de crédito e em quanto tempo o recurso estará disponível.

Outro ponto positivo é que no consórcio, diferentemente de outros tipos de investimento, você não corre o risco de perder dinheiro. Pelo contrário: você tem a certeza de que receberá a contemplação uma vez que quitar todas as parcelas.

Portanto, é importante considerar situações como essa antes de aplicar seu dinheiro em um investimento, independentemente do prazo.

Compre de maneira inteligente

A época festiva de fim de ano leva muitas pessoas a presentear seus amigos e familiares. É difícil passar um ano sem participar de uma amigo secreto ou grandes festas de família, certo? Ao mesmo tempo que você não precisa ficar sem dar um presente a quem você ama, vale lembrar que essa não precisa ser uma temporada para você se endividar.

Para isso, prefira pagamentos à vista, sempre lembrando-se de que o mercado valoriza pagamentos em dinheiro e ainda pode oferecer bons descontos. Se você receber a primeira parcela do 13º salário ainda em novembro, procure fazer compras antecipadamente para aproveitar os preços fora da semana natalina e datas festivas para garantir valores ainda mais em conta.

Como você viu, existem diversas opções sobre o que fazer com o 13º salário. No fim das contas, o mais importante é que você saiba identificar sua condição financeira e aplique esse dinheiro da melhor maneira possível. Dessa forma, você pode tirar ótimos proveitos desse benefício.

Gostou do conteúdo e já sabe o que fazer com o 13º salário? Achamos que você também pode se interessar em conferir esta lista com 7 livros sobre educação financeira. Veja nossas sugestões!

As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.