Planejamento Financeiro

Previdência Privada: entenda as vantagens e desvantagens

Você sabe como funciona a Previdência Privada? Veja as vantagens e desvantagens e decida se é uma boa opção para você!

Provavelmente você já ouviu falar sobre planos de Previdência Privada. Mas será que você entende mesmo sobre esse tipo de investimento? Sabe como funciona e para quem poderia ser mais indicado?

Para saber se vale a pena fazer essa opção, é necessário conhecer as vantagens e as desvantagens da Previdência Privada, bem como entender o conceito, como ela funciona e descobrir suas principais características. Quer ficar por dentro do assunto? Continue lendo!

Como funciona a Previdência Privada?

Previdência Privada nada mais é do que uma opção de investimento por meio da qual você aplica o seu dinheiro pensando em resgatá-lo no futuro. Oferecida por bancos e seguradoras, é uma maneira de planejar a sua aposentadoria sem depender do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). Normalmente, é vista como uma forma de complementar ou até substituir a Previdência Social do governo.

O setor de Previdência Privada é fiscalizado pela Superintendência de Seguros Privados (SUSEP), órgão do Governo Federal. Na prática, esse modelo tem caraterísticas que se assemelham com as de um fundo de investimento. Você investe seu dinheiro em um dos planos disponíveis no mercado, com o objetivo de resgatar no futuro e garantir uma renda depois de parar de trabalhar.

A Previdência Social já passou e ainda passa por diversas mudanças e problemas ao longo de sua história, o que gerou certa desconfiança na eficácia desse modelo por parte dos contribuintes. Fato é que o INSS pode reservar algumas surpresas ruins para quem pensa em investir de forma planejada. Diante desse cenário, as opções de Previdência Privada passaram a ser uma alternativa interessante.

Quais são os tipos de Previdência Privada?

Para entender se a Previdência Privada é uma boa opção para aplicar o seu dinheiro pensando no futuro, é necessário conhecer os modelos disponíveis e algumas das suas características.

PGBL

É a sigla para Plano Gerador de Benefício Livre. Esse modelo é mais recomendado para quem trabalha como CLT e faz a declaração do Imposto de Renda de forma completa. Normalmente, é mais indicado para quem tem uma renda mais robusta. Isso porque ele permite que sejam deduzidos até 12% da sua renda bruta tributável anual, então representa ter esse benefício fiscal na hora da sua declaração.

Porém, ao solicitar o resgate desse tipo de investimento a alíquota de Imposto de Renda incide sobre o valor total, ou seja, o quanto você aplicou somado aos rendimentos.

VGBL

Nesse modelo, que significa Vida Gerador de Benefício Livre, ao solicitar o resgate, os impostos são apenas sobre os rendimentos. Por outro lado, ele não pode ser abatido no seu Imposto de Renda. É mais indicado para quem declara o IR de forma simplificada. Ou seja, quem não tem tanta despesa para apresentar ao fisco.

Tributação Regressiva

No plano com tabela regressiva, a alíquota do Imposto de Renda diminui ao longo do tempo. Ela começa em 35% em até dois anos de plano e chega, no melhor cenário, de 10% após 10 anos de investimento.

Tributação Progressiva

Essa modalidade tem uma faixa isenta de impostos até certo valor. Depois disso, as alíquotas podem chegar até 27,5%, de acordo com sua retirada mensal. Pode ser uma boa alternativa para valores menores.

Quais são as vantagens da Previdência Privada?

Personalização

Optando por uma Previdência Privada, será possível analisar os planos disponíveis no mercado, suas características e escolher o modelo que melhor se encaixa de acordo com o seu perfil e seus objetivos.

Menos impostos

Com a Previdência Privada é possível chegar até uma alíquota mínima de 10% de impostos, dependendo do modelo que você optar. Claro que isso vai depender de algumas características, principalmente do tempo durante o qual você vai investir.

Flexibilidade

É importante ter atenção às rentabilidades e taxas do seu plano de Previdência Privada. Se elas não estão mais agradando ou se você percebeu que não está caminhando como você imaginava, pode realizar a portabilidade para outra instituição.

Possibilidade de poupar dinheiro

Claro, esse é o grande objetivo da Previdência Privada: poupar dinheiro pensando no futuro. Mas muitas pessoas não têm essa disciplina. Aderindo a um plano, você poderá manter essa rotina de guardar um pouquinho todos os meses e desenvolver esse hábito de poupar tendo um objetivo.

Liberdade

Você poderá resgatar todo o valor ou solicitar resgates programados, de forma parcelada. Só é importante ficar atento ao período de carência, ou seja, o tempo mínimo que você terá que aguardar para poder iniciar os resgates. Isso vai depender do plano, da instituição que faz administração e do que está previsto em contrato.

E quais são as desvantagens da Previdência Privada?

Taxas

Essa é talvez a principal desvantagem da Previdência Privada. Ela tem algumas taxas embutidas, que vão comendo o dinheiro e os rendimentos. Existe a taxa de carregamento, que é uma porcentagem em cima de cada valor investido. Tem a taxa de administração e também a taxa de saída, cobrada no momento dos resgates. Novamente, cada instituição pode cobrar porcentagens variadas, então é importante ter atenção ao fazer sua escolha.

Tributação

Se por um lado a tributação pode ser uma vantagem, tendo a possibilidade de chegar a 10%, pode também se tornar um tremendo problema. Isso porque, dependendo de algumas variáveis, principalmente do tempo investido, os impostos podem chegar até a 35% na tabela regressiva e 27,5% na progressiva. Assim, para ser menos tributado, pense sempre em longo prazo.

Rentabilidade

Hoje em dia existem diversas opções de investimento que vão proporcionar taxas de rentabilidade bem mais convidativas. Da mesma forma que acontece em outros modelos de investimentos, o tamanho da rentabilidade será proporcional ao montante aplicado. Também vai variar de acordo com o plano, então estude bem antes de tomar uma decisão.

Risco

Um dos maiores receios de quem investe é perder dinheiro. Uma grande desvantagem da Previdência Privada é que ela não conta com a cobertura do FGC (Fundo Garantidor de Crédito). Isso quer dizer que se a instituição quebrar, você perde o valor investido. Por isso, é importante acompanhar de perto a movimentação para prever possíveis problemas e utilizar o benefício da portabilidade para realizar a migração a tempo de não ser prejudicado.

Carência

É necessário ter atenção com o período de carência do seu plano de Previdência Privada. É possível resgatar valores a qualquer momento, mas se estiver dentro do período mínimo de carência determinado, é muito provável que seja cobrada uma multa por essa retirada. Então, fique por dentro dos termos do seu contrato.

Como definir qual é a melhor alternativa para o seu caso?

Já dizia o pensador Lewis Carroll: “Se você não sabe aonde quer ir, qualquer caminho serve”. A primeira coisa que você precisa fazer antes de investir em qualquer modalidade é responder a três perguntas básicas: Qual é o seu objetivo? Por quanto tempo você quer investir? Quanto dinheiro você pode investir?

Com essas questões respondidas, começa a ficar mais claro o seu cenário e é possível determinar qual é o melhor tipo de investimento de acordo com o seu perfil e metas. Ou seja, antes de qualquer coisa, organize essas respostas e trace o seu caminho. A partir daí, basta escolher qual é a melhor opção para você.

Quer ficar por dentro de todas as dicas para ter uma aposentadoria tranquila e estabilidade financeira? Baixe gratuitamente o nosso guia prático para investir!
Aposentadoria Tranquila O Guia Pratico Para Investir E Ter Estabilidade Financeira Banner Artigo Blog

As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.