Planejamento Financeiro

Você sabe quanto custa morar sozinho? Descubra!

Se você concluiu que está na hora de morar sozinho, prepare o bolso! Confira quais são os principais gastos com a casa!

Então quer dizer que chegou a hora de deixar a casa dos seus pais? Bem, como você já deve ter percebido, essa não é uma decisão fácil. Além de toda a questão emocional envolvida, ainda há o dilema financeiro. Afinal de contas, você tem ideia de quanto custa morar sozinho?

Geralmente, quem mora com os pais não precisa se preocupar muito com as finanças. Assim, o salário que você ganha no seu emprego, ou a bolsa do seu estágio, ficam integralmente reservados para que você gaste com lazer, baladas e viagens.

O problema é que a maioria das pessoas que se aventuram a morarem sozinhas não fazem ideia da quantidade de contas e outros itens que são necessários pagar todos os meses e,  com isso, muitos acabam desistindo no meio do caminho.

Para ajudá-lo a se decidir, preparamos um post com valores médios que seriam gastos em capitais brasileiras, considerando o perfil de quem resolve sair da casa dos pais. Aproveite!

Para comprar

Se a primeira dúvida que você tem  sobre quanto custa morar sozinho está relacionada a comprar ou alugar um imóvel, nós já respondemos: prefira adquirir. O aluguel é um dinheiro que você paga para morar, mas que não afeta em nada o seu patrimônio. Ou seja, você vai gastar quase o valor de uma prestação mensal sem se tornar dono do imóvel.

Por outro lado, não se assuste com os altos valores cobrados pelas financeiras, na hora de pedir o empréstimo para comprar o seu apartamento. O financiamento imobiliário é caro mesmo!

Que tal experimentar um consórcio? Sem taxas de juros, com encargos menores e nenhuma burocracia, você paga um valor justo pelas parcelas mensais, que cabem no seu bolso.

Ao ser contemplado, você recebe a carta de crédito que vale como pagamento à vista ao dono do apartamento que você quer comprar (ou mesmo para a imobiliária, se for o caso). Além disso, você pode reservar até 10% do valor da carta para arcar com as primeiras despesas referentes a impostos e registros necessários.

Muitas pessoas acreditam que o consórcio não é um bom negócio pelo fato de você ser obrigado a esperar um sorteio para receber a sua carta. Mas isso não é verdade. Você pode oferecer um lance para ser contemplado quando quiser, e o valor investido nessa operação é usado para abater o valor total do plano.

Gastos essenciais

Decidida a forma de aquisição, é hora de se preocupar com os gastos essenciais. Afinal de contas, morar sozinho não é de graça!

Existem contas que são obrigatórias, das quais você não vai conseguir escapar. São os chamados gastos essenciais. Veja quais são:

Condomínio

O condomínio é um valor que você paga pela administração do prédio no qual você mora. E esse valor tende a ser bem diverso, dependendo do tamanho e da estrutura do imóvel. Se você quiser morar em um local que ofereça serviços de portaria, lazer, academia, piscina, entre outros, prepare-se para pagar mais por isso.

Um condomínio com ótima estrutura pode girar em torno de 600 reais, embora este seja um valor que possa variar para mais ou para menos. A partir daí, escolha um prédio que esteja de acordo com as suas possibilidades. Quanto menor a estrutura, menor o custo.

Água

Ainda existem alguns prédios nos quais a água é dividida entre todos os moradores e o valor é cobrado no condomínio. Mas a tendência cada vez maior é a da individualização do consumo, com adaptações feitas em cada edifício. A grande vantagem é que você paga apenas pelo que usar, podendo planejar sua economia de acordo com seus hábitos.

Uma conta de água, em um apartamento pequeno, gira em torno de 50 a 80 reais.

Energia

É difícil precisar o gasto com energia, já que a variação é enorme de uma concessionária para a outra. Mas, desde já, saiba que esta é a conta que mais sofreu aumentos nos últimos anos. Esteja preparado para valores que podem chegar a até 250 reais mensais — dependendo da sua região e hábitos de consumo. Se for menos do que isso, você sai no lucro.

Gastos básicos

Os gastos básicos são relacionados a itens que você pode ou não ter. Mas, morando sozinho, alguns deles podem ser inevitáveis. Veja:

Telefone

O telefone fixo já foi essencial, mas hoje já está sendo dispensado pela maioria das pessoas. Fique atento, pois algumas operadoras vinculam o pacote de internet ao de telefone, alegando que não pode separá-los. Isso não é verdade!

Caso queira ter um número fixo, o custo fica por volta de 50 reais pela assinatura, mais as ligações que você fizer.

Internet

Se antes o telefone fixo era essencial, hoje esse papel cabe à internet. Como viver sem ela? As operadoras cobram cerca de 100 reais por um plano razoável, com serviço de Wi-Fi incluído. A instalação é paga a parte.

TV a Cabo

Se você assinar um combo de Internet + TV a Cabo, o que é mais comum, pagará cerca de 180 reais mensais. Mas pense bem: a TV a Cabo já vem sendo dispensada por muitas pessoas que estão substituindo o serviço pela TV On-Demand, como a Netflix, por exemplo.

Lavanderia

Quem mora com os pais dificilmente se dá conta do trabalho e da despesa que a lavanderia representa. Então prepare-se: caso esteja disposto ou vá pagar uma diarista (média de 150 reais pelo serviço), você pode adquirir uma lavadora de roupas. Mas esteja ciente de que, mesmo assim, ainda será preciso passar as peças.

Mas, se você quer comodidade total, pode reunir todas as roupas sujas e levá-las a uma lavanderia. Algumas cobram por peça outras por quilo. O fato é que a despesa mensal com este item pode, facilmente, ultrapassar os 300 reais.

Gastos com alimentação

Uma das maiores contas de quem é responsável por uma casa é a alimentação. As compras mensais no supermercado, somadas aos lanches e almoços diários, podem chegar a mais de 800 reais no total.

Não custa lembrar que os valores apresentados neste post, embora estejam bastante próximos do real, são apenas simulações e trazem uma média. Em algumas cidades pode-se gastar mais, em outras menos.

O importante é que, com base nestes números, agora você já sabe o quanto custa morar sozinho e pode decidir se deixa ou não a casa dos pais. É uma decisão importante!

E aí, quer assumir o controle da sua vida financeira? Para te ajudar, leia também sobre a importância de se ter um planejamento eficiente.