Sustentabilidade

Conheça 11 estratégias para colocar o consumo sustentável em prática

Cuidar do planeta ou realizar seus sonhos? Com o consumo sustentável, você pode fazer os dois! Descubra como!

Há algum tempo, com a população mundial menor e recursos naturais abundantes no planeta, a preocupação com sustentabilidade não era uma coisa urgente. Porém, o crescimento populacional vem acontecendo de modo descontrolado, os recursos estão ficando escassos e a poluição do meio ambiente se eleva na mesma proporção. O único jeito de lidar com isso é colocando o consumo sustentável na prática.

Mas como fazer isso? Neste post, vamos mostrar por que você deve aderir ao consumo sustentável e algumas dicas para ajudar na mudança de hábitos. Acompanhe!

Por que você deve aderir ao consumo sustentável?

Foi-se o tempo em que possuir muitos bens de consumo era o único sinônimo de êxito pessoal e profissional na comunidade. Hoje, os indivíduos passaram, também, a ser mais valorizados por atributos menos tangíveis, como ter consciência social e ambiental.

Tais consciências geram mudanças de atitudes, levando a comportamentos que contribuem para um desenvolvimento da sociedade mais em equilíbrio com a natureza. É possível que você ainda encontre pessoas ostentando coisas, mas, aos poucos, isso poderá mudar, já que a visão humana e consciente ganha cada vez mais espaço.

Ao colocar o consumo sustentável na prática, você passa a usar só o que realmente precisa, economizando dinheiro e contribuindo para um mundo mais limpo e justo no processo. Seus filhos, netos e bisnetos agradecerão por isso no futuro.

Como colocar o consumo sustentável na prática?

Se você ainda não pratica o consumo sustentável, mostraremos algumas pequenas atitudes que vão fazer toda a diferença na hora de comprar produtos e lidar com os resíduos gerados por eles. Veja a partir de agora como é possível fazer economia e ainda ajudar o meio ambiente por meio de 11 estratégias simples!

1. Comece analisando o seu dia a dia

O primeiro passo para ter uma vida mais sustentável é analisar as pequenas atividades do cotidiano. Existem coisas que fazemos de determinada forma simplesmente porque fizemos assim a vida inteira — ou, às vezes, porque nossos pais e avós faziam. Isso vale para tudo.

Os simples atos de comprar certos produtos com um tipo específico de embalagem (mesmo que ela seja péssima para o ambiente), jogar o papelzinho da bala na rua e justificar essa atitude dizendo que a prefeitura não coloca lixeiras suficientes nas ruas, deixar a torneira aberta durante a lavagem da louça ou escovação dos dentes são exemplos de fácil flagrante no dia a dia das pessoas.

Se todos se comprometessem a mudar essas pequenas atitudes, teríamos uma solução para grandes problemas. Caso contrário, os agravantes só se somam. Portanto, se queremos um planeta preservado e limpo, precisamos começar a nos responsabilizar por esses hábitos simples em primeiro lugar.

2. Sempre faça uma lista de compras

Sair de casa para fazer compras sem uma lista e, pior, com fome, é uma verdadeira armadilha. Nessas condições, as pessoas agem por impulso, pegando tudo o que vêm pela frente. Logo, isso se torna um problema para o controle do orçamento familiar, que passa a acumular gastos desnecessários e desperdícios de comida.

Segundo uma pesquisa realizada pelo Instituto Akatu, 1/3 daquilo que compramos vai direto para o lixo. Em outras palavras, jogamos fora 30% do nosso salário só comprando itens que não vamos consumir. Esses dados indicam parte da dificuldade enfrentada pelas pessoas em conquistar a independência financeira.

Além disso, os produtos desperdiçados poderiam ser aproveitados por outras pessoas. O consumo na medida certa também reduz a necessidade de extração de matéria-prima da natureza, ajudando a preservar paisagens.

E não é só isso. Comprar apenas o necessário deve contribuir para que você entenda como funciona o fluxo de produtos na sua casa, descobrindo o que dura mais ou menos e com que frequência deve comprá-los. Portanto, faça uma lista antes de ir ao mercado e à feira para manter sua saúde financeira e dividir os recursos com mais pessoas.

3. Otimize os recursos com tecnologias

Atualmente, muitas empresas têm se esforçado para desenvolver equipamentos que permitam a otimização de recursos. Os painéis solares são bons exemplos. Esse tipo de equipamento usa tecnologias para captar a luz do sol e transformá-la em eletricidade.

Considerando que a nossa estrela é uma fonte de energia renovável e gratuita, você poderá reduzir a conta de luz e se precaver de quedas na rede pública. Consumindo menos energia das hidrelétricas, você também contribui para a redução da poluição ambiental.

Além dos painéis solares, veja outros itens que usam a tecnologia para otimizar os recursos:

- dispositivos móveis e internet permitem digitalizar formulários, documentos e faturas para evitar impressões;
- válvulas de acionamento duplo para descarga economiza água com medidas certas para cada necessidade;
- lâmpadas LED iluminam mais, oferecem durabilidade maior e consomem menos energia.

Com esses exemplos, você já pode ter uma grande economia de recursos, especialmente dos naturais.

4. Analise a origem dos produtos

Quando você opta pela compra de mercadorias mais baratas por serem sem procedência garantida, pode estar financiando crimes sociais e ambientais, além de causar danos à própria saúde. Isso porque as versões falsificadas e/ou contrabandeadas podem ter sido fabricadas sem levar em consideração as normas legais e as determinações jurídicas impostas com a finalidade de preservar o meio ambiente e a saúde do usuário.

Ou seja, ao pensar somente no preço, você pode arcar com um custo social e ambiental muito alto. Afinal, de uma forma ou de outra, você também paga a conta. Então, mesmo que seja mais caro, comprar de uma empresa legalizada contribui para a geração de empregos formais, combate ao crime organizado, eleva o grau de bem-estar social e fomenta o desenvolvimento sustentável da nação.

5. Compre produtos de qualidade

Muitas empresas trabalham na fabricação de produtos com o objetivo de não serem duráveis. Seja pela baixa qualidade ou pelas variações do design, muitos deles são programados para se tornarem obsoletos rapidamente, acelerando o ciclo de compras do consumidor.

Não caia nessa armadilha! Ao comprar roupas, carro, telefone e eletrodomésticos, dê preferência àqueles que têm a durabilidade e a resistência comprovada. As marcas que focam nessa estratégia usam isso como diferencial para se destacar no mercado, pois exploram menos recursos naturais e ajudam os consumidores a economizar.

6. Opte por serviços ecológicos

Seja na lavagem do carro ou das roupas, na produção de alimentos orgânicos e muitos outros serviços, o mercado tem ofertado produtos e serviços cada vez mais ecológicos — aqueles que procuram agredir menos o meio ambiente.

Como exemplo, temos a lavagem a seco, que usa o vapor e pressão da água para remover as sujeiras de latarias, tecidos e outros tipos de superfícies. No processo, cerca de 90% do volume de água é economizado. Essa é uma forma de cooperar para a preservação do planeta e praticar o consumo sustentável. Portanto, se você tiver a oportunidade de prestigiar essas empresas, faça.

7. Evite o consumo desenfreado

Uma visita ao shopping pode ser verdadeiramente tentadora para muita gente, pois é difícil resistir aos apelos do marketing expostos nas vitrines das lojas. Afinal, grandes promoções e liquidações não passam despercebidas. Porém, tudo o que você compra sem necessidade gera um desperdício de recursos financeiros e naturais.

Esse é um hábito que precisa ser mudado. Se a questão ambiental não representar um motivo forte o suficiente para você fazer isso, tente outra estratégia. Por exemplo: defina um objetivo de vida, como uma viagem, a compra de um carro ou a aquisição de um imóvel. Depois, divida o valor do investimento em cotas mensais.

Assim, quando for ao shopping e se sentir tentado a comprar uma mercadoria, avalie antes quantas cotas do seu objetivo sacrificará por um desejo momentâneo. Isso pode ajudar a dizer “não” a si mesmo com mais facilidade.

8. Aproveite melhor os recursos

Sabe aquele resto de comida no prato que você joga fora todo dia ao fim das refeições? Você paga por ele. Além disso, contribui para a falta de alimentos aos mais necessitados. Para reverter esse quadro, coloque menos comida no prato. É melhor você repetir do que jogar as sobras no lixo.

Outras medidas que podem ser adotadas para aproveitar melhor os recursos são:

- reorganizar as frutas e verduras na geladeira para não esquecer delas e não deixar estragar;
- aprender a utilizar cascas, sementes e bagaços em receitas;
- fechar a torneira enquanto escova os dentes.

9. Invista no comércio local

Quando você compra produtos fabricados na sua região, estimula o crescimento econômico local, gerando mais empregos para quem vive na cidade. Além disso, contribui para a redução de emissão de CO2 na atmosfera, já que os concorrentes de fora perdem espaço e menos viagens serão necessárias para os caminhões de transporte.

10. Faça reciclagem

A maioria das pessoas prefere comprar um móvel novo quando enjoam dos antigos. Mas isso só vai aumentar a poluição, considerando que a maioria dos processos de descarte são malfeitos. Então, que tal reformar os móveis velhos? Olhe para eles e veja o que pode fazer para recuperar. Pintar de outra cor e trocar os puxadores são alguns exemplos.

Essa prática de reutilização também vale para os alimentos. Na internet, você encontra uma infinidade de receitas dedicadas à recuperação de alimentos que sobram na geladeira. Aproveite isso a seu favor.

11. Foque no simples

Trocar alimentos industrializados por naturais, substituir o carro ou ônibus por bicicleta e separar o lixo para a coleta seletiva são hábitos considerados simples e que podem fazer uma grande diferença para o mundo. Dessa forma, você age em prol do meio ambiente, ajuda a salvar o planeta e garante caixa necessário para a realização de grandes sonhos no médio e longo prazo!

Como pôde perceber, colocar o consumo sustentável na prática não é uma tarefa difícil. Tudo vai depender da sua força de vontade em mudar algumas atitudes. As dicas que demos até aqui são só alguns exemplos. O ideal é que você reflita antes de fazer qualquer coisa para ver se tem como ser mais sustentável. Esse é um treinamento que logo vira hábito.

Quer saber mais sobre o assunto? Baixe o e-book "Guia Completo sobre a economia colaborativa" agora mesmo! Ele é gratuito e vai ajudar você a dar passos mais largos no sentido da sustentabilidade!
Guia Completo Sobre Economia Colaborativa

Racon Blog

Por Racon Blog

Data Publicado em 27 de Março de 2017 | Atualizado em 22 Maio de 2020.

consumo sustentável consumo sustentável sustentabilidade sustentabilidade consumo sustentável na prática consumo sustentável na prática

As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.