Sustentabilidade

Saiba como fazer um bazar em 10 passos

Um bazar é uma ótima ideia para gerar renda extra e limpar armários! Quer saber como fazer um? Vamos contar!

Já parou para reparar que fazer compras em bazar está cada vez mais popular? Além de atender à crescente preocupação com o consumo sustentável, esse tipo de evento ainda permite que as pessoas adquiram peças exclusivas, em ótimas condições de uso e com um preço bem mais em conta. Praticamente imperdível, não acha?

Artigos de segunda mão atraem um público variado: pessoas em busca de pechinchas, colecionadores de antiguidades, gente que gosta de garimpar peças exclusivas e assim por diante. E o mais legal é que todo mundo que está precisando desapegar de objetos que não usa mais e ainda quer ganhar uma grana extra pode aproveitar!

Quer saber como fazer um bazar? Continue acompanhando nosso post para conferir os principais passos!

1. Arrume a casa;
2. Separe os itens do bazar;
3. Faça a higienização e os consertos necessários;
4. Coloque etiqueta de preço em tudo;
5. Escolha bem o local e a época;
6. Capriche na organização do espaço;
7. Cuide da divulgação;
8. Dê atenção à segurança;
9. Ofereça opções para a forma de pagamento;
10. Use a internet a seu favor.

Pronto para entender como organizar um bazar para se livrar do que você já não precisa mais e ainda reforçar o orçamento doméstico? Então confira!

1. Arrume a casa

O primeiro passo para fazer um bazar de sucesso é colocar ordem na casa. Afinal, é necessário saber o que você tem, o que usa e o que não usa, o que está em bom estado e o que é preciso ajustar. Só assim conseguirá separar o que será descartado, o que manterá e o que vai para venda.

Primeiramente, direcione o foco para garantir uma vida mais leve ao mesmo tempo em que gera uma renda extra para investir em projetos importantes. Você já ouviu falar em Marie Kondo? Ela recentemente causou um alvoroço com sua série na Netflix em que visita diversas casas para ensinar famílias a praticarem o desapego. A famosa escritora do best-seller "A mágica da arrumação: a arte japonesa de colocar ordem na sua casa e na sua vida" tem um método peculiar de organização.

Ao contrário de outros profissionais que aconselham a jogar fora aqueles pertences que não são utilizados há mais de um ano, a autora prega a necessidade de se desfazer daquilo que não nos faz mais felizes, independentemente do tempo de uso (ou de não uso) do objeto. Aos olhos de uma sociedade ocidental pautada fortemente pelo consumo, essa é uma ideia que causa certa estranheza em um primeiro momento, mas que vai fazendo todo sentido à medida que o conhecimento sobre a metodologia aumenta.

Para ter sucesso nessa sua empreitada, você deve seguir algumas regras básicas. Fique de olho para entender!

Transforme a arrumação em um momento seu

Distancie-se de distrações e problemas para focar completamente no desapego, conseguindo avaliar com clareza que itens devem ser descartados ou não. Também é necessário ter um objetivo em mente. Se sua meta é organizar um bazar, por exemplo, será preciso desapegar de itens que não são mais interessantes para você, mas que podem ser vendidos para outras pessoas.

Imagine o seu estilo de vida ideal

Antes de começar a organização e o descarte, pare por um momento e imagine o seu estilo de vida ideal. Dê uma olhada no ambiente e tente imaginar quais são os itens que você gostaria de ter na sua casa e na sua vida. Descarte o que você não quer mais e faça tudo de uma única vez. Eliminando os supérfluos de vista, fica mais fácil organizar o que você quer manter.

Organize por categoria e não por cômodo

Você normalmente arruma um ambiente por vez, como o quarto, a sala ou a área de serviço? Pois Marie Kondo defende que a organização deve ser feita por categoria e não por cômodo. O motivo é simples: como normalmente temos itens similares espalhados pela casa inteira, você só terá noção do que tem e do que é ideal ou não se arrumar tudo de uma única vez. Para isso, o ideal é seguir a ordem:

- roupas e sapatos;
- livros;
- papelada;
- itens diversos;
- itens de valor sentimental, como coleções e álbuns de fotos.

Determine um lugar para cada coisa

Mais difícil que arrumar a casa talvez seja mantê-la organizada, não concorda? Pensando nisso, o método Kondo foca em fatores importantes para fazer a organização durar, tornando-se parte da rotina. Um desses procedimentos é ter lugares específicos para os itens, pois assim será mais fácil colocá-los de volta depois do uso.

Não seria ótimo evitar que os sapatos do trabalho ficassem semanas na cozinha, atrapalhando a passagem? Tendo lugares determinados, você também evita perder tempo sem saber onde deixou aquele casaco de que tanto gosta ou aquela tesoura sem ponta para ajudar o seu filho a fazer o dever de casa. Bem menos estresse!

Descarte o que não o faz feliz

Essa dica certamente causou um misto diferente de sensações entre os leitores do best-seller e os telespectadores da série. Marie ensina que é necessário avaliar o nível de felicidade que determinada peça de roupa, sapato ou outro objeto traz para você. Se não sentir um arrepiozinho na espinha ao olhar para uma bolsa, por exemplo, é porque ela não precisa mais estar ali. Ao conservar apenas itens que o fazem feliz, mantê-los em ordem ficará bem mais simples.

2. Separe os itens do bazar

Depois de passar pela etapa anterior (que para muitas pessoas é a mais difícil), é hora de avaliar se tudo o que foi descartado está realmente em condições para ser doado ou vendido. Faça uma triagem, avaliando o que está em bom estado e o que precisa ser descartado. Encontrou objetos quebrados ou sem funcionar? Se não dá para consertar, jogue fora.

3. Faça a higienização e os consertos necessários

Mesmo aqueles itens que você julgou estarem em boas condições para participar do bazar precisam de um cuidado extra, ok? Roupas manchadas ou com cheiro de mofo, por exemplo, não vão agradar a ninguém. O mesmo vale para objetos de decoração ou eletrodomésticos cheios de pó, livros com páginas soltando ou porcelanas trincadas.

O próximo passo, portanto, consiste em higienizar e consertar o que for preciso. Roupas devem estar lavadas e cheirosas, os sapatos devem ser engraxados com cera incolor e os demais objetos precisam estar em perfeito estado de conservação. Lembre-se sempre: antigo não quer dizer caindo aos pedaços!

4. Coloque etiqueta de preço em tudo

Colocar preço em produtos usados é um pouco complicado. No caso de peças exclusivas, por exemplo, fica difícil encontrar um produto similar para calcular um preço proporcional. Nesse cenário, muitas pessoas acabam colocando um preço aleatório para testar a aceitação dos clientes. Mas será que essa é a melhor tática?

Siga nossas dicas a seguir para precificar sua seleção da melhor maneira:

- se você sabe o preço da versão nova do produto, calcule de 50% a 70% a menos, dependendo do tempo de uso e da conservação da peça;
- artigos mais baratos podem ser oferecidos por 10% do preço original;
- antiguidades e raridades são mais valiosas — se tiver dúvidas, peça ajuda a um avaliador profissional;
- produtos mais baratos podem ficar juntos, em um cesto ou em uma arara separada, sendo marcados com um preço único — como qualquer item por 5 reais;
- seja flexível ao negociar uma venda, lembrando que o seu objetivo é desentulhar armários e ganhar algum dinheiro. Nada de esperar lucros altíssimos.

Definidos os preços, coloque as devidas etiquetas. Os clientes se sentirão mais à vontade para escolher se não tiverem que perguntar os preços a toda hora.

5. Escolha bem o local e a época

Que tipo de ambiente você tem disponível para o bazar? Se mora em uma casa, a garagem, o jardim ou o quintal normalmente é ideal para as pessoas circularem mais à vontade. Mas atenção: locais ao ar livre são mais agradáveis, mas exigem o cuidado de conferir a previsão do tempo alguns dias antes. Assim, no caso de haver risco de chuva, você terá tempo de providenciar um toldo ou mudar de local.

Para quem mora em apartamento, a saída é afastar os móveis da sala ou de algum outro cômodo para ceder lugar aos produtos. Nesse caso, como o espaço provavelmente será menor, é melhor definir horários para as visitas. Que tal convidar um grupo às 10h, outro às 12h, mais um às 14h e assim por diante?

Precisamos destacar ainda que a estratégia para fazer um bazar de sucesso inclui a escolha de uma data favorável. Para atrair mais gente, a época do Natal é ideal. Feriados e finais de semana também geram um movimento maior que durante a semana, quando a rotina de todos é mais corrida.

6. Capriche na organização do espaço

O cuidado com a preparação do ambiente é essencial, já que a boa aparência faz uma enorme diferença. E isso inclui você, viu? Vista-se com elegância e bom gosto para receber os seus clientes! Uma atitude simpática é deixar uma jarra de água, talvez um suco e alguns petiscos em uma mesa de canto.

As roupas à venda devem estar bem organizadas em araras, separadas por tamanho ou por outro critério que facilite a visualização. Calçados femininos, masculinos e infantis devem ocupar prateleiras separadas. Se você guardou as caixas originais dos sapatos ou as etiquetas das roupas, melhor ainda.

Enfeite o lugar com arranjos e objetos decorativos, que podem até estar à venda também. Um banquinho para a hora de experimentar sapatos, um espelho grande e um biombo, formando um provador de roupas, também são indispensáveis.

7. Cuide da divulgação

Divulgue o bazar nos seus grupos de WhatsApp, no Instagram ou no Facebook. Você também pode mandar e-mails para o seu círculo de amigos. Tire fotos bonitas de alguns artigos para juntar ao chamado e fazer vontade nos convidados. Só não exagere na quantidade para que o arquivo fique leve e para manter a surpresa, claro.

Aproveite as facilidades da internet e divulgue os seus produtos em sites de venda, como Mercado Livre e OLX, entre tantos outros. Faça postagens com fotos e uma descrição detalhada de cada artigo para atrair mais atenção.

8. Dê atenção à segurança

Se o seu bazar é ao ar livre ou em um espaço mais amplo, uma boa dica é pedir a ajuda de amigos e parentes, orientando-os a circularem pelo local, observando desconhecidos e produtos. A permissão para entrar em casa e usar o banheiro pode ser restrita a crianças e idosos. No caso dos demais, peça a alguém de sua confiança para acompanhá-los até o toalete.

Se o único espaço para o bazar é a sala de estar, o melhor é convidar só conhecidos e sugerir que tragam amigos também. Evite publicar o seu endereço na internet fora do seu círculo.

9. Ofereça opções para a forma de pagamento

Para os vendedores, o melhor dos mundos no que se refere a pagamento é o dinheiro, certo? Afinal, não só é uma maneira fácil e prática como não demanda o pagamento de taxas. No entanto, mesmo que você avise que não será aceito pagamento em cartão, sempre surge algum desavisado ou alguma pessoa fica interessada em fazer uma compra maior que o previsto.

Pensando nisso, tente buscar opções diversificadas para o pagamento. Se não conhece ninguém que possa emprestar uma máquina de cartão, veja a possibilidade de fazer depósito na sua conta. Mas fique atento, porque essa é uma opção que deve ser disponibilizada apenas para as pessoas que você conhece e tem confiança.

10. Use a internet a seu favor

Não restam dúvidas sobre a importância da internet hoje em dia, correto? Pois não se esqueça de usar esse recurso também para o seu bazar! As redes sociais, como Facebook e Instagram, são ótimas ferramentas para auxiliar na divulgação do evento.

Além disso, nada impede que você também faça a venda online das peças para aquelas pessoas que não puderem comparecer no dia do bazar. Nesse caso, é importante ter alguns cuidados com o pagamento, procurando receber antes de enviar a peça e também cobrar o preço do frete separado. Caso contrário, você corre o risco de tomar prejuízo.

Levando em consideração todas as dicas que demos neste post sobre como fazer um bazar, deu para perceber que essa não é uma tarefa assim tão difícil, não é verdade? Que tal ensinar para os amigos que também precisam desapegar e fazer um dinheiro extra?

Agora que você já sabe como organizar um bazar, aproveite e leia também o nosso post que ensina a colocar as contas em dia!

As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.