Tudo Sobre Consórcio

Lance de consórcio: o que considerar para se dar bem?

Lendo este artigo você ficará sabendo como funcionam os lances e a melhor estratégia para agilizar a sua contemplação.

Há bastante tempo o consórcio se consolidou com uma das alternativas de crédito mais acessíveis do Brasil. Como a adesão é descomplicada, o consórcio permite que uma infinidade de bens e de serviços sejam adquiridos de maneira parcelada, sem pagamento de juros.

Ainda, vale considerar que, para quem possui algum capital disponível, com o lance de consórcio é possível antecipar o processo de liberação da carta de crédito.

Para ajudá-lo a compreender esse processo, nós vamos explicar como funcionam os lances e o que você pode fazer para se dar bem com eles. Confira:

As formas de contemplação do consórcio

O consórcio é uma das linhas de crédito de maior importância no Brasil. Ele permite que milhões de pessoas adquiram veículos, imóveis, eletroeletrônicos, viagens, cursos, entre vários outros bens serviços, fazendo isso de maneira descomplicada e com um ótimo prazo para pagar.

Além disso, como não há a incidência de juros sobre os consórcios, que só cobram uma taxa de administração, as compras ficam mais em conta do que seriam se fossem realizadas utilizando empréstimos bancários.

É importante ter em mente que os consórcios não entregam os bens ou os serviços diretamente. Em vez disso são liberadas cartas de crédito que representam o valor daquilo que o consorciado deseja adquirir e que servirão para a realização da compra.

Portanto, as formas de liberação da carta de crédito precisam ser bem conhecidas pelo consorciado, uma vez que o prazo de recebimento do que desejam estará condicionada a ela.

As formas possíveis de contemplação são por lance ou por sorteio. Isso significa que quem não deseja depender da sorte e nem quer esperar até o final do consórcio para receber a carta de crédito precisará se planejar para dar um lance vencedor em uma das assembleias de consorciados.

Os tipos de lances existentes

Para tanto, é importante compreender que o lance está vinculado a um número de parcelas que o consorciado deseja antecipar e que darão a ele o direito de obter a carta de crédito antecipadamente, caso ele seja vencedor.

Cabe à administradora definir um valor mínimo de lance, que será especificado no contrato de adesão ao consórcio. A partir dessa definição poderão ser dados dois tipos de lances, considerando o valor — o fixo e o livre.

No lance fixo, a administradora estipula um número específico de parcelas que devem ser dadas como lance. Como o valor é fixo, se mais de um consorciado der lances haverá empate. Para decidir quem é o vencedor feito por sorteio, é considerado o número da cota do consorciado.

Já no lance livre, o consorciado tem a liberdade para estabelecer quantas parcelas deseja antecipar. Ganha aquele que der o lance com maior valor. Mais uma vez, se houver empate, haverá um sorteio entre os que ofereceram lances vencedores iguais.

Normalmente, considerando a forma de pagamento, o lance deve ser pago pelo vencedor logo após a apuração do resultado. Porém, existe a alternativa do lance embutido. Nesse caso, o valor do lance será descontado da carta de crédito, que será emitida com um valor menor do que aquele que está representado no contrato de adesão.

Em outras palavras, o consorciado utilizará parte da carta de crédito para pagar o lance. Por exemplo, suponhamos que a carta de crédito tenha valor de R$ 40 mil e que o lance corresponda a 10% do valor dela. Nesta situação, o consorciado receberá uma carta de R$ 36 mil, sendo descontados R$ 4 mil para o pagamento do lance.

As formas de lance possíveis estarão vinculadas ao contrato de adesão. Quaisquer que sejam elas, o consorciado deverá enviar a proposta de lance com antecedência para a administradora. As propostas serão abertas durante as assembleias ordinárias, quando os resultados serão divulgados.

Preparação para obter o melhor resultado com o lance de consórcio

O primeiro passo para obter o melhor resultado com o lance de consórcio é conhecer com antecedência como funcionam os grupos que se consorciaram para receber cartas de crédito de mesmo valor daquela que você pretende.

Acompanhando as assembleias desses grupos, conversando com os consorciados e buscando informações junto à própria administradora, você conseguirá obter um parâmetro de lance médio vencedor. A partir dessa média é possível ter uma boa ideia sobre como se portar quando resolver dar o seu próprio lance.

Além disso, antes de aderir ao grupo, leia com atenção o contrato de adesão e procure compreender detalhadamente as regras de contemplação por lance. Em seguida, após a adesão ao grupo de consórcio, passe a acompanhar as assembleias ordinárias, buscando conhecer qual o comportamento dos demais consorciados e os lances que costumam sair vencedores.

Comparando esses lances com aquelas informações que você obteve anteriormente você conseguirá dar um lance de consórcio vencedor.

Use a calculadora

O lance de consórcio é muito diferente de uma aposta em um jogo. Portanto, não aja de acordo com um palpite que não seja bem embasado e use a calculadora para definir com precisão o valor do lance que você deve dar.

Para tanto, parta daquelas informações anteriores que você já obteve observando os grupos de consórcios, como sugerido no tópico anterior.

Suponhamos que na sua observação você constatou que giraram em torno de 30% do valor da carta crédito os lances dados por outros consorciados que saíram vencedores.

Ora, se você quer sair de fato vencedor não há porque dar um lance menor do que 30% do valor da carta de crédito, uma vez que as suas chances de recebê-la seriam reduzidas em função do histórico dos grupos analisados.

Sendo assim, aplique os 30% sobre o valor da carta de crédito e defina o valor do seu lance. Por exemplo, se a carta de crédito é de R$ 40 mil, considerando que R$ 12 mil é o equivalente a 30% do desse valor, o seu lance deveria ser de, pelo menos, um número de parcelas que alcançasse essa quantia. Se você puder incluir mais parcelas, melhor ainda, uma vez que suas chances aumentariam.

Considere a sazonalidade

O fato de uma grande parte dos consorciados não se planejar para dar lances está a seu favor. Nesse aspecto, em função da falta de planejamento a maioria não observa os valores dos lances e, muito menos, as ocasiões mais oportunas para ofertá-los.

Porém, como você agirá com a razão, considere dar os lances nos momentos mais propícios, quando os valores tendem a ser menores.

Naturalmente, quando as pessoas têm mais dinheiro — como ocorre quando recebem o 13º salário — elas estão mais propensas a dar lances maiores. Em sentido completamente oposto, no início do ano, quando todo mundo está pagando IPTU, matrículas de escolas e ainda arcando com as despesas de final de ano, é possível que os lances diminuam.

Por fim, é interessante observar que, ao lado do planejamento, a insistência é uma forte aliada do consorciado. Por isso, mesmo que você não vença nas primeiras ofertas, não desista e continue oferecendo os seus lances. Não tenha dúvidas: assim, logo o seu sonho será realizado.

Agora que você já sabe o que considerar para se dar bem com o lance de consórcio, assista também o vídeo que complementa o assunto e inscreva-se no nosso canal do YouTube para acompanhar os conteúdos.

As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.