Tudo Sobre Consórcio

Vale a pena quitar o financiamento com consórcio? Leia e entenda

Deixar de pagar juros e manter o bem adquirido por financiamento é possível? Descubra essa estratégia financeira!

financiamento é uma forma comum de aquisição de bens, por meio da obtenção de crédito perante instituições financeiras. No financiamento há contratação de empréstimo com o pagamento de juros bastante significativos, geralmente em prazos extensos, que aumentam muito o preço final de aquisição.

No mercado brasileiro, por exemplo, a taxa de juros de um financiamento imobiliário pode chegar a 16,17% ao ano. Mesmo assim, muitas pessoas optam por realizar financiamentos para garantir o uso imediato de um carro ou apartamento, por exemplo, pagando caro por isso.

A possibilidade de obter tais bens de maneira imediata acaba se tornando uma prioridade, fazendo com que as pessoas assumam dívidas que podem atingir valores muito superiores ao necessário para compra de algo similar à vista.

consórcio, por sua vez, é uma opção para aquisição programada, por meio da formação de grupos de pessoas interessadas na compra do mesmo bem. A soma dos esforços dos membros do grupo garante que eles sejam adquiridos aos poucos, sem a necessidade de pagamento de juros. Os consórcios são geridos por administradoras, as quais cobram taxa de administração, muito inferior aos juros do financiamento.

Assim, o consórcio é uma opção para quem busca uma aquisição com menor custo total, contribuindo para o planejamento financeiro e otimização de recursos.

É possível substituir o financiamento por consórcio?

E se o financiamento de um bem já foi contratado, com altas taxas de juros? O que se pode ser feito para melhorar a situação? Existe alguma estratégia para diminuir o pagamento de juros sem a necessidade de pagar imediatamente o valor integral da dívida?

Uma oportunidade garantida por lei pode ser a solução ideal para quem pretende sanear as finanças e diminuir o custo final da aquisição de um bem: quitar o financiamento com consórcio.

Nesse tipo de operação financeira, a pessoa contemplada com uma carta de crédito pode utilizá-la para quitação de um financiamento em seu nome, obtendo o abatimento dos juros pelo pagamento antecipado da dívida.

Como funciona? Vale realmente a pena? Quais são os procedimentos? Continue acompanhando este artigo e descubra.

Quem pode fazer?

A quitação do financiamento com consórcio é regulamentada pela lei dos consórcios (Lei nº 11.1795/2008), que prevê que aquele que possui carta de crédito contemplada em seu nome pode utilizá-la para a quitação de contrato de financiamento, que também deve estar em seu nome.

Os requisitos para que essa operação seja possível são:

- os contratos de financiamento e o grupo de consórcio devem ser posteriores ao ano de 2009 (ano de entrada em vigor da lei);
- os dois contratos devem ser relacionados ao mesmo segmento, ou seja: um contrato de financiamento imobiliário pode ser quitado com uma carta de crédito imobiliário devidamente contemplada;
- a contemplação pode ter ocorrido tanto por sorteio quanto por meio de lance;
- a administradora do consórcio e a instituição financeira precisam concordar com a operação;
- a possibilidade de uso da carta de crédito para quitar o financiamento deve estar prevista em contrato;
- o bem financiado será quitado, deixando de assegurar o financiamento, passando a garantir o contrato de consórcio até sua quitação;
- a carta de crédito contemplada deve possuir valor igual ou superior ao saldo devido à instituição financeira para fins de quitação do financiamento;
- uma carta de crédito contemplada no valor de R$ 100.000,00 (cem mil reais) pode ser utilizada para a quitação de financiamento cujo saldo seja R$ 100.000,00 (cem mil reais) ou menos. Caso o saldo para quitação do financiamento seja maior que a carta de crédito, a operação não pode ser realizada.

Quais são os procedimentos?

A pessoa interessada em quitar o financiamento com consórcio deve fazer o seguinte:

- verificar atentamente as condições do contrato de consórcio para quitação de financiamento e realizar a contratação, caso ainda não tenha feito;
- caso haja dúvidas é interessante contatar diretamente a administradora do consórcio pretendido para esclarecê-las antes de fechar negócio;
- depois de contratar o consórcio é necessário  aguardar a contemplação, por sorteio realizado em assembleia de consórcio ou, então, por meio de oferta do lance vencedor;
- procurar a instituição financeira onde foi feito o financiamento e se informar sobre as formalidades para quitar o financiamento com consórcio;
- negociar com o credor do financiamento as condições para quitação. Lembre-se: o consumidor tem direito ao desconto proporcional dos juros da operação sempre que faz quitação antecipada;
- quando souber do valor da quitação, verificar se há enquadramento com o valor da carta contemplada;
- caso a operação seja viável, o titular do financiamento e da carta de consórcio deve apresentar sua carta de crédito contemplada à instituição financeira para início do procedimento de quitação;
- nesse momento será necessário providenciar uma série de documentos pessoais e do imóvel, bem como o pagamento das despesas da operação, como taxas de cartório e impostos, que podem ser facilitados com a carta de crédito, caso haja valor excedente.

Quais são as vantagens?

Pagamento das despesas da operação com a carta de crédito: se a carta de crédito contemplada for em valor maior que o saldo para quitação do financiamento, parte do valor residual pode ser utilizado para cobrir as despesas da documentação da operação, que possuem um custo significativo, como emolumentos de cartórios, taxas de registro imobiliário e tributos da transação.

Economia na aquisição do bem: pela quitação antecipada, o consumidor tem direito ao desconto proporcional dos juros. Assim, quitar o financiamento com consórcio é uma boa estratégia de planejamento financeiro, pois paga-se menos pelo mesmo bem.

Ficou interessado? Então, descubra porque o consórcio é um investimento flexível e atraente.