Quer saber como negociar as suas dívidas? Veja nossas dicas!

Já pensou em negociar as suas dívidas? Veja algumas estratégias que você pode adotar nesse processo!
  • Atualizado em September 14, 2021
  • Publicado em September 14, 2021
  • Planejamento Financeiro

Manter as contas em dia nem sempre é uma tarefa fácil, não é mesmo? No entanto, é importante entender as diferentes estratégias de negociar dívidas sempre que houver um imprevisto ou algum atraso.

Continuar com dívidas em aberto gera uma série de problemas financeiros para o indivíduo, que corre até o risco de ter o nome negativado e o crédito comprometido no mercado. É por isso que a melhor saída é encontrar maneiras de garantir que a dívida seja paga da melhor forma possível.

Tem dúvidas de como fazer isso de maneira estratégica? Então, fique por dentro das dicas que trouxemos neste post!

Estabeleça um limite para a parcela mensal

O primeiro passo é fazer uma organização das suas finanças para que você estime como pode começar a pagar as dívidas aos poucos. Na maioria dos casos, será oferecida a possibilidade de parcelamento do saldo que você está devendo, o que é uma vantagem que deve ser aproveitada ao máximo.

No entanto, é preciso garantir um bom controle financeiro para que o acordo do parcelamento seja cumprido e o pagamento seja feito mensalmente. Por esse motivo, nada melhor do que começar estabelecendo o quanto você pode pagar por mês na negociação. Veja algumas dicas!

Confira os seus gastos mensais

Para começar, organize todas as suas despesas mensais, sejam elas fixas ou variáveis. Basicamente, isso ajuda você a descobrir quanto custa o seu estilo de vida e o quanto da sua renda é destinado mensalmente para os seus gastos mais importantes.

A partir disso, tenha em mente que o parcelamento da dívida vai entrar como um tipo de despesa fixa, por um determinado período, até que o pagamento do valor total seja concluído. Assim, você pode começar a fazer um planejamento.

Faça um planejamento financeiro

Depois de conferir os seus custos, é preciso verificar se sobra uma quantia suficiente para pagar as dívidas, mesmo com o parcelamento. Esse passo é fundamental, pois, caso você se comprometa com mais uma conta e não consiga cumprir os prazos, o mesmo problema é gerado.

Por esse motivo, vale muito a pena apostar em um planejamento financeiro. Defina quanto você pode gastar mensalmente para que a sua renda seja suficiente para atender às principais demandas, como alimentação, moradia, transporte, vestuário, lazer, e ainda contribuir para colocar as dívidas em dia.

Entenda como é possível cortar gastos

Sabia que mesmo aquele gasto inofensivo pode fazer uma grande diferença em toda a sua situação financeira ao fim do mês? A boa notícia é que, ao fazer o planejamento e manter o controle financeiro, você consegue ter uma melhor visualização dos seus custos.

Assim, caso você perceba que está difícil manter as contas em dia com a sua renda, evite se comprometer com uma nova dívida até conseguir organizar as finanças. Nesse período, pode ser necessário cortar alguns gastos.

Uma dica é começar pela economia doméstica, como diminuir o consumo de água, gás e energia ao:

  • fechar as torneiras;
  • apagar as luzes dos cômodos quando não estiver utilizando;
  • tirar da tomada os aparelhos em stand-by.

Outra dica é fazer uma anotação de todas as suas despesas pessoais, mesmo aquelas menores. A partir disso, você consegue visualizar o que pode diminuir ou cortar de gasto no próximo mês, até notar que o seu custo mensal apresentou uma redução suficiente para arcar com a nova responsabilidade do parcelamento da dívida.

Veja a possibilidade de ter uma renda extra

Mas, e se a renda não for suficiente para arcar com as despesas e o parcelamento da dívida? Nesse caso, vale a pena encontrar fontes alternativas para incrementar o quanto você ganha por mês.

Para isso, é importante pensar nas suas principais habilidades, a fim de identificar o que pode gerar lucro. Algumas opções interessantes são:

  • vender doces, artesanatos e produtos;
  • oferecer serviços, como faxinas, passeios com cachorros, reparos, entre outros;
  • dar aulas particulares;
  • dirigir em aplicativos de motorista;
  • testar aplicativos e sites em troca de remuneração;
  • abrir uma loja virtual.

Atenda às chamadas de cobrança

As ligações e os e-mails de cobrança podem ser bastante desconfortáveis, não é mesmo? Contudo, quando os credores fazem esse contato, eles podem estar oferecendo vantagens na negociação, como descontos nas taxas de juros e multa de atraso, opções de parcelamento, entre outras.

Além disso, ao manter contato com os seus credores, você pode solicitar prazos e agendar pagamentos. Isso evita que o seu nome vá direto para o processo de negativação, dando uma chance a mais para negociar as dívidas sem danos graves ao seu crédito.

Faça uma proposta ao credor

Depois de iniciar o processo de planejamento e organização financeira e ver que há a possibilidade de fazer o pagamento da dívida, seja à vista ou com o parcelamento, é importante também entrar em contato com os credores.

Nesse momento, aproveite para fazer uma proposta com o valor e o prazo que você pode oferecer. Caso o acordo seja fechado nesse momento, basta cumprir o que foi estabelecido e as suas dívidas são facilmente quitadas.

Frequente os feirões de negociação

Já ouviu falar dos feirões de negociação? Esses espaços também são muito vantajosos para quem precisa quitar as dívidas e está em busca de melhores condições de pagamento.

Em eventos como esses, você tem a oportunidade de conseguir ótimas ofertas e pagar as suas dívidas por um valor muito baixo. Para isso, é importante continuar se atualizando e acompanhar as notícias para não perder as datas dos feirões.

Leia todos os contratos

Esse é um hábito que deve ser adotado por todas as pessoas. Isso porque diversas dívidas são criadas quando um indivíduo não sabe o valor dos juros e multas sobre o atraso do pagamento, nem os prazos para a negociação.

Geralmente, essa falta de conhecimento das políticas adotadas por cada empresa é o que leva ao acúmulo de dívidas e dificulta ainda mais o pagamento. Um exemplo clássico dos erros de atenção ao contrato é o atraso no pagamento total da fatura do cartão de crédito, que acarreta juros muito altos.

Para evitar esse problema, nada melhor que ler atentamente todos os contratos que você faz com outras empresas e prestar muita atenção aos tópicos relacionados aos pagamentos, atrasos e juros.

Com essas dicas, é possível começar a negociar dívidas e se organizar financeiramente. Como você viu, deixar que muitas contas atrasadas se acumulem vai fazer com que você perca o controle de suas finanças, gerando consequências desagradáveis. Portanto, é fundamental dar o primeiro passo para garantir o pagamento dessas despesas.

Este post ajudou você? Então, continue lendo conteúdos relevantes. Veja também o nosso passo a passo para limpar o nome e se ver livre de dívidas!
As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.
Mostrar comentários
Leia também
attach_money
Planejamento Financeiro

Despesas fixas: o que são, quais os tipos e como reduzir?

attach_money
Planejamento Financeiro

Quais são as 4 principais vantagens de abrir conta digital?

attach_money
Planejamento Financeiro

Entenda a importância da educação financeira infantil