10 dicas de como criar cachorro em apartamento e não ter problemas

Criar cachorro em apartamento: confira as ótimas dicas que preparamos para ajudar você a ter um convívio tranquilo!
  • Atualizado em December 8, 2021
  • Publicado em December 28, 2018
  • Seu imóvel

Criar cachorro em apartamento: confira as ótimas dicas que preparamos para ajudar você a ter um convívio tranquilo!

Se você tem muita vontade de ter um pet, mas acha que criar cachorro em apartamento é uma missão impossível, precisa ler este post.

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o número de cachorros já supera o de filhos pequenos nos lares brasileiros. Isso é sinônimo de famílias menores e, consequentemente, apartamentos cada vez mais compactos.

Por esse motivo, separamos algumas dicas que ajudarão você e o seu cãozinho a terem um convívio mais tranquilo e feliz dentro do apartamento e com a vizinhança. Confira!

1. Analise todos os aspectos

Não é preciso abrir mão da alegria de ser recebido por um cãozinho cheio de amor ao final de um dia cansativo só porque mora em apartamento. Basta analisar os pontos!

Sobre o cão

Cães de pequeno e médio porte são os mais indicados para serem criados em apartamentos, mas nem sempre o tamanho é o critério mais importante. Tente escolher uma raça mais tranquila, mesmo que seja de maior porte.

Se for adotar um cão sem raça definida, informe-se com o cuidador a respeito da sua personalidade. Isso porque cães muito ativos precisam de espaço e, mesmo os pequenos, podem não se adaptar em apartamentos.

Sobre o apartamento

Apartamentos são caracteristicamente mais compactos. Então, se a intensão não for deixar o animal circular livremente pelos ambientes, é melhor repensar a decisão. Manter um cãozinho confinado por muito tempo em lugares pequenos, como sacadas ou áreas de serviço, o deixará bastante infeliz.

Antes de levar o cachorro, deixe o apartamento seguro. Coloque telas nas janelas e sacadas (acredite, eles conseguem pular bem alto quando querem). Se houver necessidade de limitar a passagem do cão para um cômodo específico, como a cozinha, utilize uma grade de porta. Elas são ótimas por não impedirem a visão do cão, deixando-o menos ansioso.

Sobre o condomínio

Lembre-se de que morar em condomínio é compartilhar responsabilidades com todos os outros moradores. Logo, para criar cachorro em apartamento é preciso conhecer todas as regras relativas à permissão de animais: quantidade permitida, circulação em elevadores e áreas comuns etc.

2. Separe um cantinho para seu melhor amigo

Crie um cantinho especial para o cão, mesmo que ele circule por todo o apartamento ou durma com você. Com isso, quando ele estiver sozinho, terá um lugar de costume para ficar e saberá onde encontrar suas coisinhas.

Nesse cantinho, coloque uma caminha confortável e uma caixa com os brinquedos do cãozinho — para mantê-los organizados. Não é preciso de muito espaço, pode ser um canto da sala ou do quarto.

Evite locais próximos a produtos químicos, como áreas de serviço, pois mesmo que não estejam ao alcance do animal, podem ser tóxicos se inalados por muito tempo.

Escolha um local para que o cão faça suas necessidades, afinal, o bichinho não ficará segurando até a hora do passeio, né? Pode ser na sacada ou qualquer outro lugar arejado.

Atualmente, é possível encontrar com facilidade em petshops tapetes higiênicos próprios para essa finalidade. Eles dispensam o uso de jornais e facilitam muito a limpeza. Comedores e bebedores devem ficar longe desse local.

3. Mantenha a limpeza em dia

Para criar um cachorrinho dentro de um apartamento é preciso ter um pouco mais de disciplina com relação à limpeza.

Organize-se para fazer a cada dois dias:

  • usar o aspirador de pó para retirar o excesso de pelos soltos pela casa, móveis e estofados;
  • passar pano com desinfetante diluído em água por todo o piso (quando indicado).

Deve ser feito, pelo menos, uma vez ao dia:

  • retirar as necessidades feitas pelo cãozinho, limpar o local com desinfetante e trocar o tapete higiênico ou jornal;
  • lavar e trocar as vasilhas de água e comida para evitar o acúmulo de poeira e criação de fungos prejudiciais à saúde do animal.

Uma vez por semana:

  • limpe a caminha do pet, lave as cobertas e os brinquedos.

4. Não descuide do banho e tosa

Cachorros criados em apartamento tendem a se manter mais limpos do que os que ficam em lugares abertos, mas é preciso lembrar que eles saem para passear e que os cães têm um cheirinho característico mais forte que pode tomar conta do ambiente.

Portanto, o banho é necessário a cada 15 dias, ou uma vez por semana, dependendo da raça do cachorro. Um veterinário pode indicar a melhor periodicidade. Para controlar a queda de pelos, escove o animalzinho diariamente e mantenha a tosa em dia em cães de pelo longo.

5. Eduque seu cãozinho

Eduque, desde cedo, seu cão sobre o que ele pode fazer, onde pode entrar ou subir e o que ele pode (e não pode) comer. Além de facilitar seu dia a dia, ainda evitará que ocorram acidentes nos momentos em que ele estiver sozinho.

A técnica da recompensa é a que melhor funciona na hora de ensinar algo a seu cãozinho, como o lugar correto de fazer as necessidades. Mostre como (ou onde) deve ser feito e, quando ele agir corretamente, dê os parabéns, faça festa e dê um petisco. O mais importante é sempre ter paciência. Brigar e gritar só deixará o cão com medo de você.

6. Enriqueça o ambiente

É muito comum o cachorro ficar várias horas sozinho enquanto os donos estão trabalhando e, nesse momento, se ele não tiver com o que se distrair, seus sapatos e móveis podem não sobreviver. Uma opção muito legal é ter mais de um cãozinho para evitar a solidão, mas se isso não for possível, prepare o ambiente para esse período.

Compre brinquedos que o estimulem a se movimentar, que agucem a curiosidade e o mantenha ocupado, como bolinhas e mordedores resistentes. Sempre deixe mais de um tipo de brinquedo disponível.e

Lembre-se: antes de deixar o cão sozinho com um brinquedo novo, deixe-o testar em sua presença, para ter certeza de que não engolirá pedaços grandes ou se machucará. Não se esqueça dos vizinhos do apartamento de baixo e evite brinquedos que façam muito barulho ao cair.

7. Dê muita atenção ao seu amigo

Permanecer longos períodos dentro do apartamento ou sozinho pode gerar ansiedade e estresse no cão. Por isso, leve-o para passear pelo menos uma vez ao dia, com duração de no mínimo 30 minutos.

O passeio frequente evita o sedentarismo, a obesidade e proporciona ao animal a interação com outras pessoas e cães, o que é muito importante no desenvolvimento da sua personalidade.

Quando não for possível sair para passear, faça brincadeiras dentro do apartamento mesmo. Peça para trazer a bolinha, pular para pegar uma corda ou qualquer outra atividade que faça o cãozinho se movimentar.

8. Conheça as regras do condomínio

Na prática, nenhum condomínio pode proibir pets nas dependências dos apartamentos, pois vai contra a lei do direito à propriedade (Art. 5º da Constituição Federal Brasileira). No entanto, pode proibir a circulação dos animais em áreas comuns, como salão de festas, piscina e outros. Além disso, o proprietário que aluga um imóvel, por exemplo, pode proibir pets dentro do apartamento.

Como citamos, brevemente, entre os primeiros tópicos deste artigo, considere todas as regras do condomínio, para evitar transtornos com os demais moradores e, principalmente, para preservar o emocional do cachorro. Afinal, não é legal adotar um pet e depois devolver, dar para outra família ou abandoná-lo, ainda mais por motivo de não ter verificado as regras antes.

Além disso, respeite as normas! Alguns condomínios permitem aos tutores circularem com os pets em coleiras pelas áreas comuns, mas negligenciar essa orientação pode trazer problemas. Imagine se você solta o cachorro da guia e ele se assusta, podendo morder outras pessoas ou animais? Seria uma situação constrangedora para todos e perigosa. Então, evite fugir das regras.

9. Invista em brincadeiras e adestramento

Caso perceba que o seu cachorro não está se adaptando à vida no apartamento, não terá outra opção, a não ser investir em brincadeiras mais dinâmicas e adestramento. Com certa frequência, dedique um tempo em locais espaçosos com brincadeiras que o pet possa correr em segurança e seja estimulada a sua inteligência para aprender coisas novas, como pegar uma bolinha, encontrar um brinquedo etc.

Além disso, o adestramento também é outra opção que pode ajudar muito na adaptação do cachorro. O seu pet terá oportunidade de socializar com outros animais, entenderá onde fazer as suas necessidades, entre outros aprendizados que farão dele um animal mais tranquilo, sem colocar ele mesmo ou outros em risco.

10. Explore os ambiente

Explorar o ambiente para o cachorro é basicamente oferecer a ele tudo que precisa para atender seus instintos naturais, visando manter a sua felicidade, desenvolvimento e saúde. Veja alguns meios de explorar os ambiente para o pet.

Explore as relações sociais

Os cachorros são bastante sociais, contudo, devem ser estimulados desde filhotes. Com o passar do tempo, os tutores saem para trabalhar, deixando o animal sozinho e isso aumenta a necessidade do cão socializar com outras pessoas e bichos.

Explore os alimentos próprios

Os animais adoram comer coisas praticamente o dia todo, mas que tal aproveitar isso para nutrir o seu pet com estímulos relacionados às suas características? Porém, atenção aos alimentos. Eles devem ser próprios para os cachorros e a frequência de consumo precisa ser recomendada pelo veterinário, a fim de evitar problemas de saúde e obesidade.

Explore os sentidos

Nada mais é do que estimular o olfato, visão, paladar e tato dos cachorros. Geralmente, são brincadeiras que envolvem petiscos de recompensa, mas incentiva o uso desses sentidos do pet para descobrir algo e mantê-los ativos.

Explore atividades físicas e espaço

Os cachorros tem muita agilidade e praticamente são verdadeiros atletas, não importa a raça ou tamanho. Por isso, utilize espaços que eles possam correr, fazer circuitos, obstáculos e outros.

Como vimos, criar cachorro em apartamento não é uma tarefa difícil. Com um pouco de criatividade, disciplina, disposição e muito amor você e seu cãozinho serão muito felizes, mesmo com pouco espaço!

Gostou do texto? Então, aproveite para ver os principais cuidados para quem tem animais de estimação em apartamento!
As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.
Mostrar comentários
Leia também
home
Seu imóvel

Decoração 2022: veja as tendências e aplique na sua casa!

home
Seu imóvel

Crédito imobiliário: conceito, aplicações, vantagens e riscos

home
Seu imóvel

21 perguntas respondidas sobre o pagamento do ITBI