Meu Primeiro Carro

O que observar para a compra de um carro econômico?

Buscando um carro econômico? Saiba quais aspectos avaliar na hora de fazer sua escolha.

O que você analisa quando vai comprar um veículo? Muita gente opta por avaliar somente o valor do automóvel. Outros pensam nos itens que ele possui, com o objetivo de obter o melhor custo-benefício. No entanto, se o seu desejo é adquirir um carro econômico, precisa considerar outros elementos.

Apesar de o preço do item ser importante, é fundamental comparar outras questões. Afinal, mais do que comprar o automóvel, é preciso abastecê-lo, fazer a manutenção e quitar impostos e seguros.

Para ajudá-lo a compreender melhor o que avaliar, vamos mostrar neste post os principais aspectos que devem influenciar a sua decisão de compra. Vamos lá?

Tipo de combustível utilizado

As despesas para abastecer o carro são bastante importantes na hora de escolher qual veículo é mais econômico. Essa questão é ainda mais válida se você viaja muito a trabalho, mora em uma cidade com trânsito intenso ou precisa rodar muito no seu dia a dia.

Nesse caso, a diferença de um carro que faz 9 km/L para um que roda 10 km/L pode chegar a R$ 600 em 1 ano, dependendo da distância percorrida e do preço da gasolina. Então, o que fazer para cuidar desse aspecto?

O primeiro passo é medir o seu consumo. Encha o tanque e zere o odômetro. Quando for abastecer novamente, veja quantos litros foram inseridos e compare com os quilômetros rodados, fazendo a divisão de quilometragem por quantidade. Esse é o rendimento do veículo.

Para carros flex, esse processo precisa ser feito para cada combustível. Você também pode consultar a lista de eficiência energética do Inmetro, que traz os carros mais eficientes.

De modo geral, um veículo 1.0 faz 10 km/L, em média. Se você mora a 10 km do trabalho e a gasolina está a R$ 4, gasta R$ 8 para ir e voltar todos os dias. Considerando 23 dias úteis, são R$ 184. Entendeu como esse aspecto é fundamental?

Potência do motor

Esse item é o responsável por transformar o combustível em velocidade. Por isso, tem tudo a ver com economia. Porém, na hora da escolha você precisa definir o que realmente precisa. Escolher o motor mais potente nem sempre é a melhor opção.

Pense se você realmente precisa disso. Um carro 1.0 é ideal para andar na cidade, estando apenas com o motorista ou meia carga. Ele dá conta do recado e é bastante eficiente.

A diferença entre as versões de um mesmo modelo também é enorme. Um veículo 1.0 pode fazer 13,2 km/L na cidade, enquanto o mesmo automóvel com motor 1.6 pode baixar a economia para 11,9 km/L, conforme dados de 2017 da tabela de consumo energético do Inmetro.

Impostos anuais

Todos os anos você precisa pagar 3 tributos:

- Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA): o valor varia conforme o veículo e o estado em que sua placa está situada. Geralmente, é de aproximadamente 0,4% do valor venal (de venda) do automóvel. Por isso, costuma ficar entre R$ 1 mil e R$ 1,5 mil para um carro popular;
- Licenciamento: sua renovação é anual para atestar que o veículo pode circular. O valor depende do estado em que a placa está situada;
- Danos Pessoais por Veículos Automotores de via Terrestre (DPVAT): seu pagamento é obrigatório e cobrado junto ao IPVA. Em 2018, o valor para automóveis e camionetes ficou em R$ 45,72, de acordo com o G1.

A tabela com os valores do IPVA e do licenciamento pode ser consultada diretamente no site da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) ou no Detran. Observe que um mesmo modelo pode ter cobrança de quantias diferentes, dependendo do ano de fabricação.

Seguro

O preço cobrado pelas empresas que prestam esse serviço depende de vários fatores e um deles é se o veículo é bastante popular. Nesse caso, a tendência é que ele seja mais visado por criminosos, o que aumenta sua chance de roubos.

Além disso, outros fatores que interferem no valor cobrado são a idade e o sexo do condutor, além da região em que mora. Para mulheres, o seguro tende a ser mais barato, por exemplo.

Em suma, o que você deve perceber é que nem sempre o carro de menor preço é o mais econômico. Há veículos bastante populares com valor de seguro bastante elevado por serem visados por ladrões.

É o caso do Gol modelo 2017. A versão básica tem valor de R$ 35.150, porém o seguro é o 6º mais caro do mercado, chegando a R$ 3.438,50 para um homem, casado, de 35 anos, com 5 anos de carteira de habilitação, sem classe de bônus e morador da zona sul de São Paulo. Os dados são da Revista Auto Esporte.

Já carros mais caros, como Peugeot 408 ou o Audi TT, têm seguros comparativamente mais baratos. O primeiro fica em aproximadamente R$ 1.960, sendo que seu valor 0 km é de aproximadamente R$ 70.000.

Já o segundo tem seguro em R$ 6.564, com valor de fábrica de mais de R$ 275.000, de acordo com dados da tabela Fipe.

Preço de um carro econômico

Nesse caso, o que vale é o custo-benefício. O carro econômico precisa atender às suas necessidades e, ao mesmo tempo, ser capaz de manter os pagamentos por pelo menos, 3 anos. O ideal é dar uma entrada e comprometer, no máximo, 30% da sua renda com o financiamento.

Ainda assim, é preciso lembrar de 2 aspectos fundamentais: manutenção e combustível. Juntando os valores desses itens ao da prestação mensal, pode ser que se torne inviável fazer a compra devido à cobrança de taxas de juros.

Por exemplo: será que você conseguiria manter um automóvel se a prestação dele fosse de R$ 900? Se a sua resposta for não, saiba que há alternativas mais recomendadas, como o consórcio.

Com uma parcela que cabe no seu bolso, essa modalidade de aquisição fará o seu carro ser verdadeiramente econômico, não apenas barato.

Manutenção

O valor pago por revisões na concessionária ou no mecânico de sua confiança varia muito conforme o fabricante e o modelo do veículo escolhido. Um carro popular da Chevrolet ou da Volkswagen, por exemplo, tem uma manutenção significativamente mais barata que o HB20, que é o veículo mais simples da Hyundai.

Segundo o ranking do Centro de Experimentação e Segurança Viária (Cesvi), divulgado pela Exame, o Celta 1.0, da Chevrolet, tem um Índice de Manutenção Veicular (IMV) de 20, sendo o mais barato nesse quesito. O Volkswagen Gol 1.0 tem o mesmo IMV, mas aparece na 6ª colocação. Por sua vez, o Hyundai HB20 1.0 tem IMV de 22 e está na 23ª colocação.

Esse é um ponto relevante, mas que precisa ser analisado conjuntamente com outro aspecto: a frequência de manutenções. Há modelos que apresentam mais problemas e, por isso, exigem mais cuidado.

Por isso, o indicado é conversar com um profissional de sua confiança antes de fechar o negócio. Lembre-se de avaliar sempre o custo-benefício e de conferir o preço das marcas. Afinal, a troca de correia pode sair por R$ 180 em média para um modelo e custar mais de R$ 250 para outro de uma marca diferente, conforme dados do site Sua Oficina Online.

Uma dica interessante, aqui, é observar os carros mais usados por taxistas. Geralmente, o custo de manutenção deles é mais baixo, os veículos são robustos (quebram pouco) e são bastante econômicos.

Analisando todas essas dicas, fica evidente que você fará a compra de um carro econômico. De toda forma, lembre-se sempre de conversar com especialistas e fazer uma boa pesquisa entre os modelos disponíveis. Essa é a melhor maneira de fazer uma excelente aquisição!

Gostou de conhecer os aspectos que devem ser levados em conta na hora de comprar um carro? Confira agora 7 dicas para escolher o carro certo para o seu perfil!

Racon Blog

Por Racon Blog

Data 21 de Março de 2018

carro econômico carro econômico