Meu Primeiro Carro

Quilometragem adulterada: como identificar em um seminovo

O carro que você quer comprar aparenta ter rodado mais do que consta no painel? Cheque se ele não foi adulterado!

Comprar um automóvel seminovo tem muitas vantagens. Conseguir preços atrativos é uma delas. No entanto, quando os devidos cuidados não são adotados, esse tipo de aquisição pode esconder algumas armadilhas. Nesse ponto, consultar a quilometragem do veículo é imprescindível para garantir que o bem tem boa procedência, apresenta boas condições de uso e não esconde nenhum problema.

Por se tratar da aquisição de um bem durável, que vai ficar com você por alguns anos, é recomendável avaliar o custo-benefício do modelo desejado. Além disso, ter o auxílio de um mecânico ou de uma empresa especializada para emitir um laudo técnico antes de fechar negócio é bastante aconselhável.

Para alterar a quilometragem, os golpistas usam vários artifícios para tentar enganar o futuro comprador. O segredo, então, é se precaver e tomar os devidos cuidados antes de fechar qualquer negócio.

Para isso, apresentamos, a seguir, diferentes sugestões de como você mesmo pode checar se o veículo pretendido tem ou não quilometragem adulterada. Confira nossas dicas e aprenda a fazer uma compra segura!

Qual é a importância da análise da quilometragem na hora da compra?

A quilometragem de um veículo é praticamente o seu histórico de utilização. Apesar de ser apenas um número, na prática, ele quer dizer muita coisa a respeito da situação do automóvel. Por isso, é fundamental estar atento a esse indicador.

Inicialmente, se você pensa em comprar um carro seminovo, precisa considerar a sua necessidade de uso, qual perfil de automóvel busca e como utilizará esse bem após a compra.

Por exemplo, se necessita de um carro para uso diário, sem grandes deslocamentos e uso intenso, a quilometragem do seminovo pode até ser um pouco mais elevada. Por outro lado, se busca um carro para fazer viagens constantes e andar muito, é fundamental escolher um automóvel menos rodado, o qual poderá ficar mais tempo nas suas mãos sem necessitar de reparos e manutenções.

A lógica é bastante simples: se você já compra um veículo com alta quilometragem, rapidamente terá que gastar com manutenções e substituições de peças — o que pode não ser tão vantajoso. 

Veículos flex e diesel

Outro ponto importante a ser considerado em relação à quilometragem é quanto ao tipo de automóvel que você tem interesse. No geral, veículos comuns, de passeio, têm motores flex, que apresentam uma durabilidade menor quando comparados a motores diesel — o que não significa que não sejam confiáveis e duráveis. Assim, quando a necessidade de compra é a de uma caminhonete diesel, por exemplo, a quilometragem deve ser pesada de uma forma diferente na decisão de compra.

Em regra, motores diesel são mais robustos e desenvolvidos para um uso mais intenso. Por essa razão, mesmo com uma quilometragem mais elevada ainda podem estar em boas condições, sem qualquer falha. Porém, a necessidade de se consultar quilometragem de veículos diesel é igualmente importante, já que essa é a única forma de garantir que as informações repassadas na negociação coincidem com as características reais do carro.

Quilometragem e durabilidade do veículo

A quilometragem está diretamente associada à durabilidade de um automóvel. Por se tratar de uma máquina, o funcionamento de um veículo depende do movimento constante de peças e componentes, os quais se desgastam com o simples fato de estarem em uso.

Nesse sentido, a lógica é quanto maior for a quilometragem indicada no hodômetro de um carro, maior será o desgaste apresentado pelas peças — especialmente os componentes mecânicos — e mais rapidamente deverão ser feitas as substituições.

Assim, fica claro que adulterações nesse indicador podem esconder uma realidade bastante diferente dos componentes do veículo. Por exemplo, peças, como pastilhas de freio, velas, filtros de ar e de óleo, amortecedores, entre outras, necessitam ser substituídas quando se atinge uma certa quilometragem.

Do mesmo modo, o motor e a transmissão também precisam passar por reparos, principalmente quando o veículo apresenta uma quilometragem muito elevada.

Assim, se você não toma os devidos cuidados para consultar a quilometragem do carro, pode sofrer com a péssima durabilidade das peças, além de estar exposto a riscos, acreditando que está conduzindo um automóvel seminovo, quando na realidade está dirigindo um veículo já bastante usado.

O que deve ser verificado?

Feitas essas considerações a respeito da importância de se consultar quilometragem de veículos, podemos passar para a parte prática, mostrando os cuidados que você pode adotar antes da compra. Confira, a seguir!

Analise toda a documentação

Uma maneira de checar a procedência de um carro é conferir a situação nos órgãos oficiais, como o Departamento Estadual de Trânsito (Detran). Com o Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV) em mãos, é possível averiguar o ano de fabricação e do modelo do automóvel.

Nesse documento, de porte obrigatório pelo motorista, ainda deve constar a cor predominante do bem, o número da placa e do chassi, o tipo de combustível, além de informações ligadas às características do veículo, como quantidade de portas, potência, entre outros.

No CRLV ainda pode constar alguma observação relacionada à situação de pagamento do carro, como uma eventual alienação fiduciária, quando o bem financiado ainda não foi totalmente quitado.

Como pode existir a possibilidade de falsificação do documento, o ideal é utilizar o número da placa e o do Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam) para consultar a regularidade do carro no sistema do Detran. Dessa forma, será possível comprovar as informações do CRLV e checar se o automóvel tem infrações não pagas.

Vale lembrar que hoje em dia há aplicativos de celular que oferecem essa consulta, para que o usuário se sinta mais seguro na hora de adquirir um veículo seminovo ou usado. Outra opção é acessar o Google, digitar "detran" e o estado que consta na placa do veículo. Desse modo, é possível encontrar no site a opção de verificação por meio do número da placa.

Confira o manual do proprietário

Se o dono anterior tiver sido cuidadoso, é provável que o manual ainda exista. Ele é importante para verificar as revisões realizadas no automóvel. Caso tenha sido feita na concessionária, é batido um carimbo no manual constando a data da revisão e a quilometragem no momento. Se tiver sido efetuada em oficina, exija as notas fiscais do procedimento.

Vale lembrar que, hoje, as redes de concessionárias trabalham com sistemas informatizados e integrados. Dessa forma, é possível consultar o histórico dos serviços realizados nos veículos ao longo dos anos e saber qual quilometragem ele apresentava em cada um dos procedimentos, seja as revisões periódicas, seja serviços comuns.

Com essas informações, fica mais fácil comparar datas e quilometragem, acabando com qualquer dúvida que você tenha a esse respeito.

Consulte o histórico das trocas de óleo

Em alguns casos, no momento da troca de óleo é colado um adesivo em algum lugar no interior do carro informando a quilometragem. Alguns mal-intencionados fazem alteração no hodômetro e se esquecem desse detalhe comprometedor.

No porta-luvas é possível encontrar notas fiscais da troca de outros itens. Algumas peças, como correias, bateria, mangueiras e amortecedores não costumam ser substituídos em veículos seminovos. Portanto, fique atento!

Avalie o desgaste do carro para detectar uma quilometragem adulterada

Como é um bem que fica exposto às intempéries e às condições do próprio uso, o automóvel sofre com o desgaste dos componentes ao longo do tempo. Nesse aspecto, algumas partes do veículo tendem a demonstrar os efeitos da utilização prolongada.

Cheque cada item do interior

Soleiras das portas, marcas de desgaste nos pedais, nas maçanetas e na alavanca do câmbio e densidade da espuma do assento do motorista podem dar indícios do real tempo de uso do veículo. Por isso, antes de confirmar a compra, é importante analisar com cuidado esses detalhes.

É de se esperar que um carro abaixo dos 50.000 km rodados esteja com esses itens em excelente estado de conservação.

Em geral, todas as partes do carro que sofreram com o atrito, seja entre si, com os passageiros ou alguma carga, transparecem o desgaste. Nesse caso, o estado de conservação dos bancos e dos carpetes pode indicar, por exemplo, se o carro é seminovo ou usado. A propósito, você sabe a diferença entre essas duas fases de um veículo?

Via de regra, o automóvel seminovo é aquele que teve somente um proprietário, tem até três anos de uso e cerca de 20 mil quilômetros rodados. Ao superar esses limites, diz-se que o automóvel é usado.

Fique atento aos detalhes exteriores

Riscos na lataria, arranhões nos para-choques e nos espelhos retrovisores laterais, pontos com ferrugem (principalmente sob o assoalho) e manchas causadas pelo sol também são excelentes indicativos do quanto o carro sofreu com o uso e com o tempo.

Nesse quesito, é muito importante estar atento aos detalhes da pintura. Existem danos que levam bastante tempo para que ocorram, como o desbotamento da pintura. Do mesmo modo, analise as peças plásticas externas, pois geralmente elas ficam mais esbranquiçadas com o passar dos anos, o que pode ser um indicativo do tempo e da maneira com o veículo foi usado.

Confira o cofre do motor

Ainda ao analisar o veículo, busque ver como está a situação visual do motor. Se externamente o automóvel demonstra sinais de uso, mas o propulsor estiver bem limpo, é sinal de que ele foi lavado, talvez para tentar esconder possíveis defeitos ou vazamentos.

Por isso, alguns compradores até preferem encontrar um pouco de sujeira sob o capô, para assegurar que não houve modificação no motor. Por sinal, se houver parafusos novos em peças desgastadas ou marcas de aperto, é indício de que o propulsor pode ter recebido algum reparo.

Avalie as condições e características dos pneus

Fique atento à situação dos pneus: um conjunto dura entre 40.000 km e 60.000 km. Ou seja, se o carro que você está de olho tem menos que isso, é de se esperar que ele esteja com os pneus originais. Como descobrir?

É possível descobrir se o pneu é o mesmo que saiu da fábrica ao conferir a data. Na parte externa, há a sigla DOT (Departamento de Transporte) e, após ela, você encontrará quatro números. Os dois primeiros indicam em qual semana do ano o pneu foi produzido e os dois últimos informam qual foi o ano. O ano de fabricação do carro deve coincidir com o do pneu.

Tenha referências e questione o vendedor

Uma pessoa leiga com relação ao mercado automotivo pode realmente sentir dificuldade para identificar se um carro tem ou não quilometragem adulterada.

Ainda assim, para não cair em armadilhas, é recomendável que você veja atentamente os veículos de amigos e parentes que tenham tempo de uso e quilômetros rodados distintos para ter referenciais comparativos na hora de analisar o automóvel que pretende adquirir.

Ao entrar em contato com o vendedor, questione-o sobre o uso do carro, se particular ou empresarial, se para viagens longas ou para uso urbano, e qualquer outra pergunta que você julgar pertinente. Note que, em média, um carro utilizado na cidade roda aproximadamente 15 mil quilômetros por ano.

Com os dados do hodômetro (medidor de distâncias percorridas), do ano de fabricação do automóvel e com esse fator comparativo, você terá uma noção de quanto o veículo deveria ter rodado.

Mesmo assim, é importante checar com o vendedor quem utilizou o carro e como ele foi utilizado. Afinal, se o bem pertencia a uma pessoa idosa, que pouco saía de casa, por exemplo, é provável que tenha uma quilometragem reduzida.

Como a ajuda profissional pode otimizar o processo?

Pode até parecer difícil prestar atenção a todos esses aspectos na hora da compra. Ser um pouco mais observador que o normal já é suficiente para perceber os problemas mais evidentes. Mas ir em busca de profissionais vai dar a você mais convicção de estar escolhendo o modelo certo.

Procure um mecânico de confiança

Se você não tiver condições de verificar sozinho os diferentes itens do carro, ou quer ter uma opinião especializada sobre o veículo, ir em busca de um mecânico de confiança é uma ação bastante recomendada.

Como se trata de um profissional especializado e que certamente já deve ter se deparado com diferentes situações e avarias em veículos, é mais fácil para ele analisar a situação do carro, especialmente a parte mecânica, como o motor, a transmissão e outras.

No mais, pelo simples ronco do motor, o mecânico é capaz de constatar eventuais desajustes e problemas nesse importante componente. Vale lembrar que existem situações que poderão ser constatadas somente por alguém com mais experiência e um olhar crítico — o mecânico certamente pode ser essa pessoa.

Leve o carro em empresas de vistoria

As fraudes na compra de veículos seminovos não são um problema incomum nesse mercado. Esquemas de adulteração de hodômetros, por exemplo, já foram identificados por órgãos públicos e mostram como empresas e pessoas mal-intencionadas agem para enganar o consumidor.

Em razão dessa realidade, surgiram também uma série de empresas e profissionais especializados na avaliação técnica e profunda de veículos. Esses agentes, geralmente conhecedores de todo tipo de automóvel e marca, não só vão consultar a quilometragem do veículo, mas avaliar uma ampla lista de itens para emitir um laudo confiável sobre a procedência e as suas reais condições.

Dessa forma, ir em busca desse tipo de serviço, especialmente se você não estiver completamente seguro sobre a compra, é um cuidado bastante indicado. Isso porque, com o relatório técnico do carro, é muito mais fácil fazer uma aquisição segura, solicitar um desconto para o vendedor ou, até mesmo, desistir da compra em razão de adulterações constatadas.

Passe um scanner de diagnóstico

O módulo central do carro não vai mentir: ele mostrará a quilometragem real percorrida pelo veículo. Para fazer a leitura dos dados, é usado o scanner de diagnóstico.

E lembre-se: se o vendedor ou proprietário demonstrar alguma resistência para que o automóvel seja analisado por um profissional, você terá ainda mais motivos para desconfiar da procedência e veracidade das informações repassadas na hora da negociação.

O scanner, assim como outros equipamentos de diagnóstico eletrônicos, é essencial para a identificação de alterações no hodômetro do automóvel. Hoje, a maior parte dos veículos têm hodômetro digital, o qual se comunica com a central, registrando todo o seu histórico. Apesar de tonar a tarefa mais difícil, esse equipamento não está imune a fraudes.

No passado, os hodômetros eram analógicos, baseados em cabos e mostradores circulares, facilmente adulteráveis — bastava dar marcha ré no carro para que o mostrador reduzisse o valor.

No entanto, é importante mencionar que, hoje, devido à sofisticação da atuação dos golpistas — que muitas vezes conta com apoio de equipamentos avançados e profissionais de oficinas —, é possível fazer alterações nos registros da central do veículo e apagar relatórios de falhas.

Por isso, embora seja muito importante conferir o hodômetro e utilizar o scanner de diagnóstico, é indispensável se basear em outras informações para consultar a quilometragem de veículos e seu histórico.

Por fim, ao conhecer todas essas dicas, você agora já pode fazer uma verificação visual de um automóvel e, dessa forma, ter uma noção mais precisa do seu estado de conservação, comparando com os dados do hodômetro. Assim, fica mais fácil detectar se a quilometragem foi adulterada.

Além disso, embora seja de extrema importância consultar quilometragem de veículos, um cuidado ainda mais fundamental é negociar sempre com parceiros de confiança na hora de comprar um seminovo. Empresas qualificadas e reconhecidas no mercado oferecem garantia na compra, além de presarem pela veracidade das informações prestadas na compra, evitando problemas para o futuro comprador.

Então, gostou deste artigo? Quer seguir se informando mais? Se você está sonhando em ter seu primeiro carro e tem receio do impacto financeiro que isso pode causar, leia também este artigo e saiba escolher o carro ideal para a sua situação financeira!

As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.