Meu Primeiro Imóvel

Problemas no imóvel: os 5 mais frequentes e como preveni-los

Quer cuidar bem da sua casa ou apartamento? Veja os problemas mais frequentes em um imóvel e saiba como preveni-los.

Alugar ou comprar uma residência para começar a vida de forma mais independente é o sonho de muitas pessoas. Mas ele pode se tornar um pesadelo quando você se depara com problemas no imóvel tão desejado.

Tanto a casa quanto o apartamento estão sujeitos a apresentar várias dificuldades estruturais. Algumas podem ser geradas desde o momento da construção, já outras aparecem devido à falta de manutenção ao longo dos anos.

Você conhece as adversidades mais comuns em um imóvel? Que tal saber como identificar e, o melhor, prevenir ou resolver todas elas? Acompanhe as informações especiais deste post e entenda o que fazer!

1. Entupimento de cano

Esse é um contratempo que acontece frequentemente, mas que, em geral, é de fácil prevenção. Se você enfrentar dificuldades no encanamento do banheiro, por exemplo, provavelmente é por conta do acúmulo de resíduos nos canos — como cabelo, restos de sabonete ou papel higiênico.

De maneira semelhante, tecidos e fios de roupa podem entrar na tubulação da máquina de lavar e entupir o encanamento da lavanderia. Na cozinha, a causa mais comum é a quantidade de gordura ou restos de comida descartados diretamente no cano da pia.

Como você deve ter percebido, evitar essas dificuldades é muito simples: basta ter atenção na hora de descartar materiais na tubulação. Por isso, jogue pedaços de alimentos no lixo antes de lavar a louça e nunca se desfaça de objetos no vaso sanitário.

A prevenção é algo fácil, no entanto, nem sempre podemos dizer o mesmo da resolução do problema. Você pode tentar desentupir alguns canos por conta própria, mas outros vão apresentar maiores empecilhos. Nesses casos, o ideal é contratar profissionais experientes para fazer o serviço de forma mais rápida e segura.

2. Risco de curto-circuito

Complicações elétricas também estão entre os problemas mais comuns em imóveis. O curto-circuito é um contratempo bastante perigoso, que pode gerar, até mesmo, grandes incêndios. Ele acontece quando a corrente elétrica enfrenta uma resistência muito baixa e atinge uma intensidade maior, provocando superaquecimento.

Alguns erros muito comuns podem causar esse problema. Por exemplo, o hábito de sobrecarregar tomadas, ligando vários aparelhos em uma única rede, ou usar equipamentos eletrônicos perto da água. Além disso, a falta de manutenção elétrica em casas antigas é um dos principais fatores de risco.

Como prevenir essa perturbação? Primeiramente, contratando eletricistas competentes para avaliar a sua casa ou apartamento. Tentar mexer na fiação por contra própria sem ter formação na área não só representa risco para você, como também aumenta a probabilidade de acontecer um curto-circuito.

Por fim, fique atento à estrutura do seu imóvel. Não ter um número suficiente de tomadas para os aparelhos faz com que a família encha o local com adaptadores e extensões, ligando muitos equipamentos em uma mesma saída elétrica. Como vimos, esse é um fator de risco, por isso, deve ser evitado.

3. Possibilidade de choque elétrico

Além do perigo de curto-circuito, os moradores da sua casa também estão vulneráveis a outro problema comum: o choque elétrico. Eles são causados, principalmente, pelo descuido na hora de mexer com eletricidade. Assim, o principal fator de proteção é tomar os cuidados necessários.

A primeira dica já foi dada: se você não tem formação para trabalhar com rede elétrica, não tente resolver sozinho os problemas nessa área. Além disso, é importante nunca deixar os fios pelo chão, pois fica fácil tropeçar neles ou até mesmo molhá-los quando a casa estiver sendo limpa. Permitir que um fio fique próximo à pia também não é o ideal.

Se você estiver com a mão molhada, evite pegar em um cabo elétrico ou utilizar equipamentos ligados à energia. Quando for preciso trocar uma lâmpada, sempre desligue o disjuntor. E caso uma tomada ou um interruptor do imóvel esteja danificado, substitua-o por outro em perfeitas condições o mais rápido possível.

Uma atenção especial deve ser dada quando há água por perto. Tenha muito cuidado, por exemplo, ao trocar a temperatura do chuveiro elétrico — não faça isso com o corpo molhado. Também não carregue ou ligue aparelhos perto da pia. Se há crianças na casa, a cautela deve ser redobrada: não deixe que elas utilizem equipamentos elétricos sem a sua supervisão e coloque protetores nas tomadas.

4. Infiltrações

Esse é mais um grande problema em imóveis. A existência de infiltração é muito comum, principalmente em locais mais úmidos. As principais causas para essa dificuldade estão ligadas à falta de impermeabilização adequada durante a obra ou à presença de vazamentos em algum cano da casa.

Geralmente, esse obstáculo começa pequeno e superficial, prejudicando a pintura da residência. Mas, com o tempo, a água pode danificar também o concreto e chegar ao ponto de criar agentes capazes de corroer as amarras de aço da estrutura. A dificuldade é ainda maior para quem mora em apartamento, porque os prejuízos podem chegar a outros pontos do prédio.

Para resolver uma infiltração, é preciso identificar a fonte do problema e chamar uma equipe especializada no assunto. Procure um profissional sempre que perceber excesso de umidade nas paredes ou teto, manchas escuras ou pintura descascando. Não adianta apenas repintar a parede, é preciso resolver a origem do transtorno.

Se você deseja se prevenir quando a isso, fique atento ao encanamento e realize manutenções corretamente. Tenha cuidado ao trocar torneiras ou outros materiais, pois um descuido pode iniciar um vazamento.

5. Rachaduras na parede

As paredes da sua casa ou apartamento podem apresentar sinais de deterioração na forma de fissuras, trincas ou rachaduras. Os problemas estão na ordem do mais simples ao mais complicado, mas todos são causados pela ruptura de algum componente ou material da estrutura do imóvel.

As fissuras atingem apenas a pintura, o revestimento ou a massa corrida. Elas costumam ser longas e estreitas, não ultrapassando 0,5mm de largura. Nessas situações, ainda não indicam defeitos estruturais. Entretanto, se não houver cuidado, o problema pode evoluir para casos mais sérios.

As trincas são mais profundas e podem chegar até a alvenaria, dividindo a parede em duas partes — o que pode comprometer a segurança do imóvel. Em último grau, temos as rachaduras, que são ainda mais acentuadas e permitem, inclusive, passagem de luz do sol, vento ou chuva. Nesse ponto, há muito comprometimento da estrutura.

Todos esses danos podem ser causados por infiltrações, vibrações externas e até por pequenos insetos, como formigas e cupins. No entanto, sempre que identificar alguma falha, procure resolvê-la imediatamente contratando pessoas qualificadas para o serviço.

Esses são os principais problemas no imóvel. Fique atento a todos eles e siga nossas dicas de prevenção. Para manter sua casa ou apartamento em bom estado e evitar situações ainda mais sérias, tome os cuidados essenciais e resolva qualquer obstáculo logo que ele surgir.

Você já está enfrentando muitas dessas questões? Leia nosso post e avalie se chegou a hora de trocar de casa!

As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.