Planejamento Financeiro

Como funciona um investimento de longo prazo e como começar?

Está pensando em fazer o seu dinheiro render? Então, entenda como funciona o investimento de longo prazo!

Está começando a planejar o seu futuro e não sabe muito bem por onde começar para aplicar o seu dinheiro com segurança e garantir mais tranquilidade e qualidade de vida? Se esse é o seu objetivo, certamente estamos falando de um investimento de longo prazo. É ele que vai conferir a você mais estabilidade, podendo planejar a sua vida daqui a 5, 10 ou 20 anos com metas mais claras.

Mas você sabe exatamente o que é o investimento de longo prazo, o que o diferencia das aplicações de curto prazo e por que ele é tão importante? É o que vamos mostrar neste artigo. Ao final, também daremos algumas sugestões para que você aplique bem o seu dinheiro. Confira!

Quais são as diferenças entre investimento de longo e curto prazo?

O investimento de longo prazo, como o próprio nome já indica, visa a obtenção de ganhos no futuro. Ou seja, os seus recursos terão ao menos cinco anos de aplicação, e essa opção está diretamente ligada à realização de um objetivo, que pode ser a compra de um bem ou a garantia de uma aposentadoria mais tranquila, por exemplo.

Períodos menores do que esse já podem ser considerados de médio ou de curto prazo, e cada um deles deve ter espaço no seu planejamento financeiro, de acordo com os seus objetivos. O importante, para isso, é que você tenha uma boa organização orçamentária e que escolha bem os seus investimentos, adequando cada um deles às suas metas.

Como se preparar para fazer um investimento de longo prazo?

O investimento de longo prazo é, portanto, indicado às pessoas que desejam organizar o seu planejamento financeiro, ter um banco de reservas para casos de emergência, realizar um sonho, como a compra de um imóvel, ou ter uma renda complementar na aposentadoria. Para alcançar esse objetivo com eficiência, é preciso seguir alguns passos. Veja quais são eles.

Conheça o mercado

Você não precisa se tornar um especialista em economia para fazer um bom investimento de longo prazo. Mas também não pode apenas seguir os conselhos de outras pessoas sem, ao menos, estudar algumas das possibilidades oferecidas pelo mercado financeiro. Tente ler o máximo possível de informações sobre o assunto para entender quais são as opções e escolher aquela que melhor atenda aos seus objetivos pessoais.

Defina as suas metas

Por falar em objetivos, antes de tomar qualquer decisão, é importante que você tenha clareza de por que está realizando esse investimento de longo prazo. Assim, ao avaliar as possibilidades, poderá escolher com mais objetividade o caminho a seguir. Um bom exercício é fazer a famosa pergunta: “onde quero estar daqui a X anos?”.

Descubra qual é o seu perfil de investidor

Até aqui, você já sabe que deseja fazer um investimento visando o futuro, ou seja, com ganhos que serão aproveitados em um prazo acima de cinco anos. Agora, é importante que você entenda que tipo de aplicação combina mais com o seu perfil e com o seu planejamento financeiro.

É hora de descobrir se você é do tipo que o mercado chama de conservador (aquele que não gosta de correr riscos) ou arrojado (que prefere ter mais retorno, mesmo que isso signifique uma chance de ter prejuízo).

Prepare-se financeiramente

Por fim, é necessário que você faça um bom planejamento financeiro para começar a investir em longo prazo. Para isso, é preciso organizar o seu orçamento para que haja dinheiro suficiente para a rotina e o conforto do dia a dia e fazer uma reserva específica para a aplicação.

O próximo passo é conhecer as opções profundamente para avaliar quais delas são mais adequadas ao seu perfil e às suas condições financeiras. Você também não deve deixar de reservar parte desse valor para casos de emergência. Assim, poderá fazer o seu investimento de longo prazo com mais segurança.

Quais são as opções de investimento de longo prazo?

Com tudo isso em mente, é hora de conhecer as possibilidades de investimento de longo prazo oferecidas pelo mercado e descobrir qual delas combina mais com você. Então, é só começar a investir.

Bolsa de valores

O investimento em ações é um dos mais conhecidos. Trata-se de títulos de patrimônio que são emitidos por empresas chamadas de sociedades anônimas. É um investimento de longo prazo porque depende das oscilações que ocorrem na cotação das ações, que têm a ver com a situação política e econômica do país e do mundo.

LCA e LCI

As Letras de Crédito do Agronegócio (LCA) e as Letras de Crédito Imobiliário (LCI) têm a vantagem de não serem descontadas do Imposto de Renda. Você pode investir no modelo pré-fixado, quando os juros aplicados já são conhecidos, ou no pós-fixado, quando você só saberá o rendimento na hora do resgate, pois ele está relacionado ao Certificado de Depósito Interbancário (CDI).

CDB

O Certificado de Depósito Bancário (CDB) é considerado um investimento de renda física e apresenta baixo risco, mas o melhor é que a escolha seja feita com a ajuda de analistas. Os títulos podem ser pré ou pós-fixados, assim como as Letras de Crédito, também atrelados ao rendimento do CDI.

No CDB, as instituições financeiras emitem títulos para que consigam financiar suas atividades que envolvem crédito. Nesse caso, é como se o investidor fizesse um empréstimo ao banco, e não o contrário. Por meio dele, os juros favorecem as suas finanças.

Tesouro Direto

Nesse programa, títulos públicos são negociados com os cidadãos, contendo papéis com vencimento para daqui a mais de 20 anos. As aplicações são feitas pela internet e podem ter os seus rendimentos pré ou pós-fixados.

Previdência privada

Trata-se de uma aplicação que tem o objetivo de aumentar a sua renda durante a aposentadoria. Nesse caso, o ideal é que o dinheiro não seja retirado antes do prazo estipulado em contrato para que não haja perda financeira.

Consórcio

O consórcio pode servir muito bem ao objetivo de investir o seu dinheiro visando ter mais tranquilidade no futuro. É uma forma de economizar todos os meses e garantir o poder de compra do valor aplicado no momento em que for contemplado, pois o valor da carta de crédito é reajustado periodicamente, de acordo com o índice definido em contrato.

Com ele, você pode comprar um bem no valor da carta de crédito. No caso de imóveis, por exemplo, ele pode servir para que você tenha tranquilidade ao morar em uma casa própria ou como uma forma de obter renda, ao colocar para locação. Para entrar em um grupo de consórcio, não é exigido valor de entrada e as parcelas são definidas de acordo com suas possibilidades financeiras. Além disso não existe a cobrança de juros, e sim uma taxa administrativa que tem um valor bem mais acessível se comparado à outras formas de compra parcelada.

A escolha pelo consórcio é ideal para quem quer educar-se financeiramente e realizar o que deseja para o futuro. É como se você estivesse fazendo uma poupança programada, mas com a garantia e a segurança de poder adquirir o bem desejado, aumentando o seu patrimônio com disciplina e confiabilidade.

Ao fazer um investimento de longo prazo, além de seguir as nossas dicas, é importante que você procure uma empresa de confiança para o processo. Não deixe de pesquisar bem sobre o assunto para encontrar a opção ideal para o seu perfil.

Este artigo ajudou você a pensar melhor no seu planejamento financeiro? Continue aprendendo e leia, também, o nosso post que ensina a calcular a rentabilidade de um investimento.

As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.