Planejamento Financeiro

8 dicas de economia para ter mais dinheiro no fim do mês

Está difícil fazer sobrar dinheiro no fim do mês? Então, veja as dicas deste post para aprender a economizar!

Está “sobrando mês no fim do seu salário”? Se você se identifica com essa situação, talvez seja a hora de reavaliar o seu orçamento e criar um planejamento financeiro. Afinal, não há nada pior do que chegar ao fim do mês zerado.

A boa notícia é que com as dicas de economia corretas é possível mudar essa situação e ainda realizar os seus sonhos. Mas, como não existe uma fórmula mágica para poupar, isso vai depender do quão organizado você consegue se tornar, além de uma boa dose de força de vontade.

Quer saber mais? Continue lendo e confira as nossas dicas de economia!

1. Acompanhe como você gasta o seu salário

É normal gastar com uma coisa aqui e outra ali. Aliás, é comum não ter em mente o quanto do salário é desembolsado em coisas relativamente baratas, como aquele cafezinho ou doces e salgadinhos diários.

Se você já chegou ao fim do mês e tentou descobrir para onde foi o seu dinheiro, provavelmente não está administrando as suas finanças como deveria. Por isso, a partir de agora, marque tudo o que gastar.

Existem diversas formas de fazer esse controle, como planilhas financeiras digitais e aplicativos próprios — alguns, inclusive, integram com o app do banco e já registram todas as entradas e saídas da sua conta.

Ao catalogar tudo, você descobre para onde foi o seu dinheiro e com o que costuma gastar mais. Assim, é possível avaliar o que pode ser eliminado ou reduzido. Ter o controle efetivo dos seus gastos na palma da mão é o primeiro passo para o sucesso da sua vida financeira.

2. Seja um consumidor consciente

Ter cautela durante as compras é crucial para economizar. Você costuma ir a algum comércio e sair de lá levando mais coisas do que pretendia? Essa é uma situação comum, porque, geralmente, os estabelecimentos nos estimulam a gastar dinheiro, seja pelo ambiente atrativo, seja por ofertas que mexem com o inconsciente do consumidor.

Sendo assim, ao sair às compras, crie uma lista do que é necessário adquirir e siga tudo à risca. É óbvio que nem sempre será possível conter o entusiasmo de levar algo que você considere interessante ou acredite que seja indispensável.

Portanto, antes de concluir as suas compras, pense em algumas questões.

- Você realmente precisa do item?
- Ele ajudará você de alguma forma?
- O valor gasto valerá a pena?

Também considere sobre o que poderia fazer com o valor gasto antes de “bater o martelo”. Ou seja, reflita bem antes de fazer qualquer compra.

3. Tenha cautela ao utilizar o cartão de crédito

Por ser muito prático, o cartão de crédito se tornou bastante popular. Afinal de contas, a tecnologia chegou para facilitar as compras, e algumas aquisições podem até ser mais vantajosas se feitas por meio desse método de pagamento.

Só que existe um risco nisso, pois o dinheiro físico não está em mãos e não vemos as notas desaparecerem da carteira. Portanto, seja prudente na hora de usar os seus cartões. Além disso, acompanhe sempre as suas faturas para evitar surpresas desagradáveis.

Uma boa dica de economia é usá-lo apenas quando for extremamente necessário e para produtos que demandem quantias maiores. Para as compras diárias, de coisas pequenas, tente pagar à vista. Transformar a fatura do cartão em um monstro é muito fácil. Por isso, tenha atenção para ficar livre das dívidas.

4. Pague as suas contas sempre em dia

Pagar as contas em dia evita que os juros comam o seu orçamento. Esse valor pode fazer uma diferença e tanto no fim do mês —e ainda poderia ser usado para outras finalidades, como investimentos.

Mais uma vez, vamos utilizar o exemplo do cartão de crédito. Quando o assunto é pagamento atrasado, os juros cobrados pelos cartões de crédito são um dos maiores do mercado, pois incidem sobre qualquer valor. É uma grana que sai do seu bolso para nunca mais retornar.

Sem falar que quitar as contas na data correta aumenta a sua credibilidade perante as instituições. Portanto, não atrasar os seus pagamentos é um ponto importante para ter uma vida financeira saudável.

5. Vá ao supermercado com uma lista

Como falado, anotar os itens da compra é fundamental. Assim, ir ao mercado com uma lista em mãos funciona muito bem quando o objetivo é adquirir estritamente o necessário.

Outra recomendação importante é não fazer compras com fome. Isso é um perigo, pois o apetite pode estimular a compra de mercadorias que não são necessárias. Logo, faça uma boa refeição antes de ir ao mercado para evitar cair na tentação de gastar mais do que deveria.

6. Peça descontos

Essa é uma das dicas de economia que deve virar um hábito. Afinal, nem sempre o preço estipulado é o valor final que a loja está disposta a receber pela mercadoria. Às vezes, os produtos são precificados já pensando nessa ''gordura'' para desconto — e isso, nem sempre, fica exposto para os consumidores.

Mas como conseguir descontos no ato da compra? Simples: pedindo. Pechinchar é a melhor forma de conseguir preços mais acessíveis e economizar.

7. Defina um valor para poupar

Um dos maiores equívocos de quem pensa em guardar dinheiro é considerar a “sobra” do salário. Isso porque, como visto, é muito difícil restar uma quantia significativa no fim do mês sem planejamento. Nesse caso, a melhor saída para poupar é definir um valor a ser reservado mensalmente.

Para isso, separe uma fração do seu salário logo que ele cair na sua conta. Comece de forma gradual, a partir de 1% do holerite. Portanto, assim que receber, já separe o dinheiro na poupança.

Aos poucos, você conseguirá aumentar a porcentagem a ser poupada. Dessa forma, com o passar do tempo, você terá uma boa quantia armazenada, o que o motivará a permanecer guardando. Essa verba pode ser usada para comprar algum bem de valor elevado no futuro ou cobrir alguma emergência.

8. Aprenda a investir

Organizar o seu orçamento e começar a poupar já é o primeiro passo para ter uma vida financeira saudável. Mas você não deve parar por aí!

Onde você pretende aplicar as suas economias? Deixar o capital parado não é nada bom, pois você perde dinheiro quando faz isso. Afinal, a inflação está sempre subindo, mas os seus ganhos permanecerão estagnados.

Nesse caso, investir é a melhor saída. Ainda que você escolha uma modalidade mais segura (CDB, LCI, LCA, Tesouro Direto ou consórcio), o importante é fazer o seu dinheiro circular.

E então, o que achou das dicas de economia abordadas acima? Se você colocá-las em prática, certamente terá uma boa quantia no fim do mês. Portanto, não perca tempo e comece já a transformar essas instruções em hábito para colher bons resultados.

Quer mais uma ajudinha? Aproveite e baixe o nosso guia financeiro para ter ainda mais sucesso!
Guia do planejamento financeiro para ter sucesso

As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.