Planejamento Financeiro

Estudar no exterior: como planejar um intercâmbio para os filhos?

Quer que seu filho estude no exterior? Veja no nosso artigo como se planejar financeiramente para pagar um intercâmbio.

A concorrência enfrentada em algumas áreas exige que os profissionais busquem uma formação além da faculdade. Estudar no exterior, por exemplo, pode ser um grande diferencial em um processo seletivo.

A vivência internacional tem sido bastante valorizada pelas empresas e, em muitos lugares, ela já se tornou pré-requisito no momento da contratação. Portanto, um intercâmbio não deve ser encarado como um gasto, mas sim como um investimento na educação — garantindo um bom futuro no mercado de trabalho.

Pensando nisso, neste post vamos falar sobre como se organizar financeiramente para que o seu filho possa estudar em outro país. Acompanhe!

Por que seu filho deve estudar no exterior?

Investir na educação dos filhos nunca é demais. Com a concorrência acirrada que temos nos dias atuais, a fórmula escola + faculdade + curso de inglês, que funcionou por algumas décadas, tem se tornado cada vez menos satisfatória para alcançar as grandes oportunidades do mercado de trabalho.

No entanto, um intercâmbio apresenta muitos outros benefícios que vão além de conseguir ou não um bom futuro profissional. Abaixo, nós listamos alguns motivos para que seu filho estude no exterior.

Criar independência

A gente sabe que o instinto dos pais é o de tentar manter os filhos por perto o máximo possível. No entanto, por mais difícil que seja, é importante lembrar que ninguém é eterno. Por isso, os seus herdeiros devem estar preparados para solucionar os percalços da vida, sejam eles pequenos ou grandes.

Uma ótima maneira para começar a fazer isso é estudando no exterior. Viajar para outro país, falar uma língua diferente da que está habituado e se distanciar fisicamente de pessoas com as quais já se está acostumado é uma excelente forma de aprender a se virar sozinho.

E, nesse processo, pequenas vitórias, como trocar uma lâmpada, tirar o próprio lixo, preparar a comida, fazer compras no supermercado e organizar as finanças, são essenciais para o crescimento pessoal de seu filho, bem como para a formação de um adulto responsável e consciente de suas obrigações.

Planejar o futuro

Não é raro vermos adolescentes se formando sem a menor noção de qual carreira desejam seguir. Muitos acabam optando por graduações tradicionais, como Direito e Administração, apenas por pressão familiar e, assim, desistem do curso antes da formatura.

Embora a idade não seja um fator determinante, a maturidade é essencial para realizar um bom planejamento do futuro. Se o seu filho está em dúvida, não o force. Lembre-se que a faculdade não é tudo em seu futuro profissional e que a vivência internacional também será bastante valorizada no currículo.

É importante deixar de encarar o intercâmbio como tempo perdido, mas sim como um investimento!

Como planejar um intercâmbio para os filhos?

O mercado apresenta diversas opções de intercâmbio, desde aulas de inglês, até cursos superiores e de pós-graduação.

Seja qual for a escolha do seu filho, é necessário se planejar. Além das despesas com o curso em si, você terá que se preparar para arcar com seguro viagem, hospedagem, alimentação, passagens aéreas, entre outros gastos.

Abaixo, nós elencamos algumas dicas de como se organizar financeiramente para proporcionar essa experiência para os seus filhos.

Pesquise as agências

No Brasil existem diversas agências de intercâmbio que fazem a intermediação entre o aluno e as escolas. Por meio delas, é possível contratar o curso, a hospedagem, o seguro viagem e até providenciar a compra das passagens aéreas.

No entanto, fique atento na hora da escolha e não se guie apenas pelo preço. Pesquise na internet sobre a reputação da empresa. Veja se alguém já teve algum problema no país de destino e como foi a resolução da questão com a agência. Enfim, investigue tudo! Nunca é demais ter prudência.

Escolha o destino

O destino escolhido para o intercâmbio não influenciará apenas nos valores dos orçamentos. Por isso, é essencial pesquisar sobre o país para o qual se pretende ir. Você deve avaliar o estilo do seu filho, o objetivo da viagem, o clima, a receptividade dos nativos com estrangeiros, a qualidade das escolas, o orçamento e a duração da viagem.

O Canadá, por exemplo, é um país conhecido por ser extremamente amigável e menos burocrático do que outros lugares. A Irlanda também é um destino muito querido pelos brasileiros, principalmente pela facilidade de conhecer outros países de maneira prática e barata.

Planeje-se financeiramente

A partir do momento em que você decidir o curso, a duração e o local, faça as contas do quanto será necessário para custear os gastos e manter o seu filho de forma confortável durante todo o período. É prudente colocar no planejamento uma verba destinada para possíveis imprevistos.

Com o valor definido, trace a sua meta de economia. Você pode criar uma poupança no nome do seu filho e depositar uma quantia mensal. Uma outra opção é investir em um consórcio de serviços para adquirir uma carta de crédito na quantia desejada. No entanto, vale ressaltar que essa alternativa não é indicada quando a intenção é fazer um intercâmbio imediatamente, pois não há como prever o momento da contemplação.

No consórcio você realiza os pagamentos mensais e terá acesso ao crédito ao ser contemplado. As contemplações ocorrem por sorteio ou lance, modalidade que permite ao cliente antecipar a contemplação.

Resolva as burocracias

Um bom planejamento deve levar em consideração as burocracias necessárias para poder estudar no exterior. Por exemplo, não esqueça de verificar o procedimento para tirar o visto. Nesse caso, é importante averiguar se há a necessidade de uma permissão específica ou se basta o visto de turista. Além disso, alguns lugares exigem vacinas e um valor mínimo de franquia no seguro viagem. Para evitar surpresas desagradáveis, tire todas as suas dúvidas com a agência contratada.

Encare o intercâmbio como um investimento no seu bem mais precioso e comece a se organizar antecipadamente. Um bom momento para fazer isso é no início da fase de ensino médio dos seus filhos. Assim, você terá tempo suficiente e não precisará fazer cortes no orçamento doméstico.

Se você gostou deste post e está cogitando a possibilidade de seu filho estudar no exterior, veja também 6 dicas práticas de como economizar para fazer um intercâmbio.

Racon Blog

Por Racon Blog

Data Publicado em 5 de Novembro de 2018

estudar no exterior estudar no exterior fazer um intercâmbio fazer um intercâmbio

As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.