Planejamento Financeiro

Faça o dinheiro render! Saiba aqui como escolher um investimento

Quer começar a investir, mas não sabe como? Veja o que você deve levar em consideração ao escolher um investimento.

Uma pesquisa recente indicou que 38% dos brasileiros estão dispostos a poupar para o futuro ou têm recursos para fazer uma reserva que complemente a renda na aposentadoria. Isso significa um aumento expressivo de cerca de 14% referente ao ano de 2017.

As preocupações com o futuro, a qualidade de vida na melhor idade e a possibilidade de construir um patrimônio seguro ficaram ainda maiores após o período político e econômico turbulento que o país vem enfrentando. Porém, ainda há muitas dúvidas sobre como escolher um investimento que seja seguro e ofereça rentabilidade ao mesmo tempo.

Por isso, no post de hoje vamos tirar algumas dúvidas sobre como fazer o dinheiro render e alcançar a segurança financeira. Acompanhe!

Quais são os investimentos disponíveis no mercado?

Atualmente, há diversos investimentos disponíveis, desde os mais conservadores até os que demandam maior conhecimento do mercado financeiro. Detalhamos os principais nos tópicos abaixo.

Caderneta de poupança

A caderneta de poupança é um investimento de baixo risco e com rentabilidade em torno de 0,5% + Taxa Referencial. No entanto, mesmo com uma remuneração baixa, 85% dos investidores brasileiros optam por essa modalidade. Podemos elencar os seguintes motivos para tal escolha:

· não há cobrança de impostos;
· a burocracia para abrir uma conta poupança é muito menor;
· oferece alta liquidez;
· não é necessário aplicar um valor mínimo para investir.

Para obter um retorno significativo, é importante não mexer muito no dinheiro. Quanto mais tempo ele ficar guardado, maior será o rendimento.

Os depósitos que completam 30 dias na caderneta de poupança fazem aniversário, ou seja, um dia útil após essa data o banco calcula automaticamente os rendimentos do montante aplicado.

Certificado de Depósito Bancário

Conhecido popularmente como CDB, o Certificado de Depósito Bancário também é considerado um investimento de baixo risco. Trata-se de um título de renda fixa do tipo crédito privado oferecido por bancos.

Nessa modalidade, o investidor empresta dinheiro para a instituição financeira, que o remunera com juros definidos no momento da compra. Eles podem ser:

· prefixados: as taxas de remuneração são informadas no momento da contratação e não variam, independentemente das condições do mercado;
· pós-fixado: a remuneração pode sofrer alterações de acordo com o indexador contratado. O valor aplicado em seu investimento só será informado no vencimento da aplicação.

Se você não tiver certeza sobre qual modalidade escolher, fique atento à Taxa Selic. Se o cenário apontar uma queda, o ideal é escolher os certificados prefixados. No entanto, se as expectativas forem de alta da inflação e, consequentemente, da Taxa Selic, o pós-fixado é a opção ideal.

Caso ainda tenha dúvidas, contrate uma assessoria financeira pessoal que possa apontar os melhores caminhos.

Títulos Públicos

Aqui o investidor empresta dinheiro para o Governo Federal para o financiamento das atividades públicas em troca de uma determinada rentabilidade, que também pode ocorrer na modalidade prefixada ou pós-fixada.

Entre as opções de títulos disponíveis no mercado, a mais popular é o Tesouro Direto, criado em 2002. As principais características desse investimento são:

· baixo valor inicial para aplicação, sendo possível adquirir títulos a partir de R$ 30,00;
· segurança no investimento, uma vez que o próprio Governo garante a remuneração.

Atualmente, é possível comprar os títulos facilmente por meio de corretoras e bancos.

Consórcio

O consórcio é uma maneira de realizar a compra parcelada e programada de um bem, com a vantagem de não precisar arcar com as taxas de juros dos financiamentos — vale ressaltar que é necessário pagar uma taxa de administração, inferior aos juros bancários.

Essa é uma ótima alternativa para quem pretende aumentar o seu patrimônio ou melhorar o que já tem sem precisar dispor de uma grande quantia de dinheiro de uma única vez.

Ou seja, o consórcio — um investimento de baixo risco —, pode ser combinado facilmente com outras modalidades, de acordo com o perfil do investidor.

Os principais tipos de consórcio são:

· consórcio de imóveis;
· consórcio de veículos;
· consórcio de serviços.

Para realizar a contratação desse serviço, encontre uma administradora confiável, sólida no mercado, e certifique-se de que ela é autorizada pelo Banco Central a comercializar esse tipo de investimento.

Como escolher um investimento ideal para você?

Nós citamos apenas alguns tipos de investimento, porém, ainda existem vários outros disponíveis no mercado. Com tanta diversidade, é compreensível que você fique em dúvida na hora de tomar uma decisão. Abaixo, selecionamos algumas dicas para levar em consideração e facilitar a sua escolha.

Defina o seu objetivo

Para identificar qual o melhor investimento para você, é preciso definir o seu objetivo. A lista de coisas pretendidas pode ser enorme, algumas ideias são:

· comprar o primeiro imóvel ou trocar de casa;
· comprar o primeiro automóvel ou trocar de carro;
· aumentar o patrimônio;
· criar uma reserva para imprevistos;
· fazer a viagem dos sonhos;
· guardar dinheiro para a aposentadoria;
· garantir o futuro dos filhos;
· realizar uma festa importante, como casamento, formatura, entre outros.

Inclua nessa lista diversos outros motivos, mas lembre-se de definir se o objetivo é de curto, médio ou longo prazo. Além disso, determine o valor que você pretende pagar e quanto você tem disponível para começar.

Defina o tipo de risco

Esse é um ponto essencial para analisar antes de fazer qualquer escolha. Não invista em ações se você não quer correr grandes riscos. Ou, não guarde os seus recursos na poupança se a sua intenção for uma rentabilidade maior.

Para escolher um investimento, é fundamental saber as regras da modalidade escolhida para não ser pego de surpresa.

Saiba a liquidez

Liquidez é a facilidade que você tem de reaver o seu dinheiro caso seja necessário. A poupança, por exemplo, tem uma ótima liquidez, uma vez que em uma emergência basta sacar os seus recursos, sem qualquer burocracia. Por outro lado, o CDB não apresenta uma grande liquidez, tendo em vista que é necessário aguardar o final do prazo contratado para ter acesso ao montante.

Para avaliar a liquidez necessária para o seu caso, saiba qual será o seu objetivo e quanto tempo você precisará para alcançá-lo. Nada de traçar uma meta de compra de um imóvel daqui a um ano e se comprometer com algum investimento por dois anos, por exemplo.

Fique atento a tributação

Na hora de escolher o investimento, muitas pessoas esquecem da tributação — ou não entendem muito bem esse conceito. O imposto de renda é cobrado na maioria dos investimentos, e é importante saber se o rendimento dele compensa o desconto que será feito pela Receita Federal.

O importante é que você saiba que não é necessário dispor de uma grande quantia de dinheiro para começar a planejar o seu futuro. O mercado apresenta diversas opções, e com certeza uma delas vai se encaixar em sua realidade.

Agora que você já sabe como escolher um investimento, conheça 5 formas de juntar dinheiro para criar um patrimônio pessoal!

5 Formas De Juntar Dinheiro Para Criar Um Patrimônio Pessoal 

As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.