Planejamento Financeiro

Fazer festa de casamento x comprar apartamento: o que é melhor?

Quem vai casar sempre fica em dúvida: fazer uma grande festa ou guardar para o apê? Veja como tomar a melhor decisão!

"Devemos comprar um apartamento ou fazer uma festa de casamento?". Essa é uma dúvida comum a vários casais que decidem oficializar a união. Apesar de ser o sonho da maioria das pessoas, uma festa normalmente envolve custos consideráveis que podem impactar diretamente o orçamento e impedir que os noivos iniciem a vida a dois com um imóvel próprio.

Mas como não existe uma resposta correta para todos os casais, o ideal é avaliar a situação de cada um antes de tomar uma decisão. Para ajudar os noivos a refletirem sobre essa dúvida, selecionamos alguns pontos importantes que devem ser levados em consideração. Confira!

A importância de considerar os gastos futuros

Vocês já pararam para pensar nos gastos que terão depois do casamento? Esse é o primeiro ponto a levar em consideração porque, provavelmente, o orçamento ficará mais apertado. Afinal de contas, serão duas pessoas morando juntas, consumindo mais energia, água, comida e tudo que faz parte de uma rotina normal.

Será que acrescentar uma parcela alta de um financiamento a tudo isso (ou até mesmo um aluguel) não fará com que o casal precise cortar gastos supérfluos que depois podem prejudicar o delicado início da vida a dois? Ou, pior ainda, que isso coloque ambos em uma situação bastante vulnerável diante de imprevistos?

Antes de decidir o que fazer, é importante pensar no quanto a escolha vai pesar sobre os ombros de vocês. A verdade é que os primeiros anos de um casamento são decisivos e delicados, pois são dois mundos que se tornam um. Isso exige paciência, resiliência, adaptação e desprendimento.

Finanças desequilibradas podem ser uma rachadura grave, capaz de causar desentendimentos e prejudicar a relação. Portanto, qualquer compromisso assumido para o futuro precisa ser muito bem pesado.

O retorno de cada investimento

Comemorações são uma parte importante da vida de todos. É muito bom reunir amigos e familiares em uma festa e receber toda aquela energia positiva. Além disso, as celebrações proporcionam momentos inesquecíveis ao lado das pessoas que amamos e fazem com que esqueçamos um pouco os problemas da vida.

Exatamente por isso, para muitas pessoas, a festa de casamento é um sonho a ser realizado. Há quem passe anos projetando como será o grande dia, quem será convidado e tudo o mais. Os noivos, padrinhos, pais e amigos chegados torcem para que tudo seja perfeito e inesquecível. Mas tudo isso tem um custo, geralmente alto.

Por isso, é muito importante pensar no retorno desse investimento em uma festa, comparado à compra de um imóvel. Pensando racionalmente, você vai sempre achar que o apartamento é um patrimônio, o qual é possível ver o dinheiro gasto se tornar algo sólido. Mas, por outro lado, a festa de casamento é um marco que, para diversas pessoas, não pode ser desprezado.

Dessa forma, dependendo das prioridades de cada um, essa comparação pode ser bastante subjetiva, mas, ainda assim, é um ponto a ser avaliado pelo casal. O desejo de um jamais deve se sobrepor ao do outro e exigir o sacrifício de um sonho. O ideal é chegar a um consenso, que agrade a ambos e não cause, já de início, frustração e mágoa.

As diferentes formas de comemoração

Agora, se vocês dois são flexíveis em relação à festa de casamento, há outras alternativas. Contratar um buffet, montar uma recepção e comemorar do jeito tradicional não é a única forma de celebrar uma união. Há várias maneiras de festejar, e por isso mesmo os noivos não precisam se limitar à clássica cerimônia realizada na igreja, seguida de uma festa de arromba.

O que parece atrativo para os noivos: uma viagem, uma confraternização entre amigos ou quem sabe outro tipo de comemoração? Vários casais têm optado, por exemplo, pelo chamado "elopement wedding" o casamento a dois que acontece sem a presença de amigos e até mesmo da família. Esse tipo de celebração é bastante econômica e prática, além de ser muito comum em diversos países.

Os desafios de planejar uma festa de casamento

O quanto os noivos estão dispostos a se dedicar ao planejamento da festa? Esse é um evento de grande porte. Planejá-lo pode ser bastante cansativo e desgastante para o casal.

Além de todos os detalhes que precisam ser pensados como a decoração, o cardápio do buffet, as lembrancinhas, a lista de convidados, os convites, entre outros é necessário também ficar atento à parte burocrática e financeira, para não estourar o orçamento e entrar em dívidas. Se o casal não tem tempo e nem paciência para tudo isso, a coisa piora.

E essa não é uma atividade que toma dias ou semanas. Na verdade, o planejamento de um casamento dura longos meses (e até mais de um ano, às vezes). Como o setor é bem movimentado, dias disponíveis em igrejas, salões e buffets são muito disputados. É preciso fazer reserva com meses de antecedência e organizar as finanças para pagar os fornecedores no devido tempo. E isso se estende aos diversos aspectos da festa, como:

- contratação de banda e DJ;
- fotografia e filmagem;
- iluminação;
- decoração dos diferentes ambientes (igreja, recepção etc.);
- pratos quentes, mesas de doces, bem-casados, salgados;
- lembrancinhas, guardanapos e convites — tudo personalizado;
- flores, buquê, arranjos da igreja;
- bolo de casamento;
- roupas para os noivos;
- maquiagem, dia da noiva etc.

Não se planeja uma festa de casamento da noite para o dia, e todo o processo de solicitar orçamentos, escolher fornecedores, fazer degustações e provar vestimentas pode tomar um tempo que, às vezes, os noivos não têm.

A escolha mais acertada entre a festa e o apartamento

Como é possível perceber, ao fazer a comparação do que pode ser mais vantajoso, é preciso admitir que comprar um imóvel é a alternativa mais segura para os casais que querem iniciar a vida matrimonial com um orçamento controlado, sem dívidas pendentes e com melhores perspectivas de investimentos e tranquilidade.

Claro que, ainda assim, muitos casais preferem priorizar a festa de casamento para realizar um sonho. E não há problema nenhum nisso, justamente porque é perfeitamente possível fazer as duas coisas ao mesmo tempo! O segredo é ter um bom planejamento e saber tomar as melhores decisões.

Antes de dar início a todos os preparativos da festa, os noivos devem entender que ela não precisa ser necessariamente dispendiosa. Cabe lembrar que os casamentos mais marcantes não são os mais chiques e caros, mas sim aqueles que conseguem transparecer a personalidade e a alegria dos noivos. A ideia é compartilhar o momento tão especial com quem realmente faz parte dele e torce pela felicidade do casal e pelo sucesso da relação.

Tendo isso em mente, fica mais fácil controlar o orçamento. Conseguindo deixá-lo mais folgado, o casal consegue fazer reservas financeiras separadas, tanto para a festa quanto para o seu apartamento, de uma forma bem tranquila e sem grandes sacrifícios.

E, sabe o que é melhor? O consórcio abre espaço para que você faça as duas coisas, de maneira organizada, investindo pouco por mês.

A possibilidade de comprar um imóvel usando o consórcio

O consórcio é extremamente vantajoso para aquisição da casa própria, principalmente se você pretende fazer isso enquanto prepara uma festa de casamento. Os custos da taxa de administração são mais baixos do que os juros cobrados pelos financiamentos imobiliários. Assim, é possível comprar um bem usando o consórcio e ter um custo final menor, de maneira programada e econômica.

Além disso, ao aderir a um consórcio, você não precisa pagar entrada e nem comprovar renda. Isso será solicitado somente na contemplação.

Outra vantagem é poder utilizar o FGTS de diversas formas, inclusive para:

- liquidar ou amortizar o saldo devedor;
- ofertar lances;
- pagar as parcelas;
- complementar o valor de imóveis mais caros do que o consórcio contratado (observadas as características do imóvel e demais requisitos, de acordo com as normas do Conselho Curador).

O consórcio de serviços para a festa de casamento

Ainda existe outra vantagem a acrescentar: existem diferentes tipos de consórcios, e você pode contratar um voltado para serviços e se preparar para a festa de casamento. Ou seja, nada de pedir dinheiro emprestado no banco para pagar os fornecedores, pois os juros de um crédito pessoal são bem altos.

Então, com uma organização financeira adequada, os noivos podem planejar tanto a festa quanto a compra do apartamento, dedicando parte do orçamento mensal para a realização dos seus sonhos, sem abrir mão da celebração e sem comprometer as finanças do casal.

Os detalhes sobre o consórcio de imóveis

Ao contratar um consórcio, você ingressa em um grupo formado pela administradora empresa responsável pela organização do consórcio e assina um contrato que estabelece as condições válidas, incluindo:

- formas e valores dos pagamentos;
- obrigações e direitos do consorciado e da administradora;
- formas de contemplação;
- prazos de pagamento.

Depois de assinar o contrato, o consorciado terá a sua cota e pagará um valor mensal de parcela. As assembleias acontecem mensalmente e nelas um ou mais participantes são contemplados por meio de sorteio ou lance, dependendo do que foi estabelecido no contrato, e tem o direito de utilizar a sua carta de crédito. Com ela, já é possível partir para a compra do apartamento.

Mesmo depois de contemplado, o participante continua pagando todas as parcelas até o prazo final estabelecido pelo contrato, para que os outros consorciados também adquiram seus imóveis.

Ou seja, pode demorar algum tempo até você ser contemplado, portanto, é bom começar cedo e fazer tudo de forma planejada. Mas quem tem mais urgência e quer ampliar suas chances de contemplação pode ofertar lances para acelerar o recebimento da carta de crédito.

As vantagens de fazer um consórcio

1. Dispensa pagamento de entrada

Em boa parte dos financiamentos imobiliários é exigido o pagamento de um percentual de entrada. Ou seja, dificilmente os bancos financiam 100% do valor do imóvel. No consórcio, isso não acontece. Se o valor da carta for suficiente para comprar o apartamento, você não precisa dar nada a título de entrada. Além disso, se o preço do imóvel for inferior ao valor da carta de crédito, o consorciado pode utilizar a quantia remanescente para pagar outras despesas, conforme previsto em contrato.

2. Não tem juros ou tarifas bancárias

Bancos cobram juros de financiamento e incluem taxas de abertura de cadastro e outras despesas bancárias. No consórcio, você não precisa ter esse gasto. Os custos, que incluem o pagamento da taxa de administração, do fundo de reserva e do seguro, são diluídos nas parcelas.

3. É mais barato que o SFH e o SFI

Mesmo com a taxa de administração e os outros custos do consórcio, ele ainda é um investimento positivo, mais barato que contratos feitos pelo Sistema Financeiro de Habitação (SFH) e Sistema Financeiro Imobiliário (SFI), entidades que mantêm os principais financiamentos imobiliários no país.

4. Cabe no orçamento mensal

Por ser mais econômico, o consórcio gera parcelas mais flexíveis. Se os noivos sentam juntos e planejam quanto podem gastar, certamente vão encontrar opções de consórcio que caibam no orçamento mensal, sem grandes sacrifícios.

5. Oferece diversas possibilidades de prazos e mensalidades

Há uma boa variedade de valores de carta de crédito. Assim, você tem opções diferentes de prazos e mensalidades, além de poder escolher exatamente o que cabe no seu bolso.

Viu só? Optando por fazer uma festa de casamento ou não, é importante não deixar que o dinheiro se torne um problema na relação. Um consórcio pode ser a forma mais acertada de se planejar, sem abrir mão dos sonhos do casal.

Para ter uma vida a dois tranquila, é importante planejar a vida financeira do casal. Por isso preparamos um e-book com 4 passos fáceis de colocar em prática para conquistar a estabilidade. Baixe-o agora gratuitamente e tire suas dúvidas sobre o assunto!

Planejamento Financeiro Do Casal Passos Para Conquistar A Estabilidade

As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.