Planejamento Financeiro

Não consigo economizar! O que pode estar me atrapalhando?

Saiba por que é necessário começar a pensar em planejamento e organização financeira o quanto antes!

"Não consigo economizar!”: essa talvez seja a dificuldade mais comum dos brasileiros. Já teve a sensação de trabalhar duro e sentir, todos os meses, que não sobrou nada para guardar? Ou até que seu dinheiro “evaporou”? Calma, pois você não está sozinho nessa!

De acordo com a pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), em maio de 2017, 76% dos brasileiros consideraram impossível poupar qualquer parcela de seus rendimentos. O estudo também demonstrou que 64% dos entrevistados não possuíam nenhuma reserva financeira.

Embora as estatísticas acima sejam preocupantes e demonstrem que o brasileiro, em geral, não emprega seus recursos de forma consciente, a boa notícia é que nunca é tarde demais para organizar o seu orçamento pessoal!

Pensando nisso, preparamos este com 7 erros que prejudicam a sua estabilidade financeira, além de dicas valiosas para contornar essa situação. Acompanhe!

Por que não consigo economizar?

Imprevistos na família, orçamento apertado, gastos com aluguel: os motivos que impedem as pessoas de poupar parte da renda variam muito. No entanto, há um padrão de erros que se repete com quase todo mundo. Confira abaixo, o porquê de você não está conseguindo guardar dinheiro!

1. Não ter objetivos traçados

Um dos principais equívocos no acúmulo de patrimônio é a falta de foco das pessoas para lutar pelo que desejam. Em outras palavras, se você não souber, claramente, o que quer conquistar, ficará quase impossível definir estratégias para poupar — afinal, você se perguntará: “poupar para quê?”.

Assim, o primeiro passo para um planejamento financeiro bem-sucedido deve ser o de traçar metas e objetivos de curto, médio e longo prazo:

- deseja comprar seu primeiro carro daqui a um ano?
adquirir um imóvel em 5 anos?
- ou, quem sabe, fazer um curso no exterior nas próximas férias?

Coloque todos os seus sonhos no papel e defina períodos de tempo para realizá-los. A dica é deixar essa planilha em um local de fácil visualização, para que você sempre relembre o quão importante são esses objetivos na sua vida — e evite tentações que farão com que a realização de seus propósitos fique mais distante.

2. Não entender a diferença entre gasto e investimento

De modo geral, quando as pessoas pensam em orçamento, elas tendem a considerar entradas e saídas da sua própria renda. Desse modo, as despesas são contabilizadas como gastos e, quase sempre, vistas como algo negativo.

No entanto, muitas vezes, esse pensamento pode ser prejudicial, já que alguns gastos são verdadeiros investimentos, isto é, poderão trazer benefícios e, até mesmo, lucro ao consumidor.

Pense, por exemplo, na compra de um computador, que é algo indispensável para o seu trabalho. Caso não tenha essa ferramenta, perderá muito tempo com deslocamentos para usar outras máquinas e deixará passar boas oportunidades de melhorar a sua carreira. Assim, adquirir essa ferramenta seria um investimento e não apenas mais um gasto.

Com isso mente, na hora de reduzir despesas, faça uma reflexão cuidadosa se o gasto é realmente algo supérfluo e que pode ser cortado de seu dia a dia ou se poderá, de alguma forma, aumentar a sua renda no futuro.

3. Ignorar os pequenos gastos

Já parou para pensar no quanto você gasta em serviços extras nos planos de Internet, TV a cabo e telefonia? Sabe aquela taxa escondida na conta que ninguém repara? Ela pode fazer toda a diferença no seu orçamento mensal!

Ignorar pequenos gastos como esses ou aquela cerveja que você toma sempre que encontra com os seus amigos é um dos grandes motivos pelos quais não sobra dinheiro para poupar.

Por isso, por mais insignificantes que sejam, anote e controle as suas despesas rigorosamente. Atualmente, há inúmeros aplicativos para smartphone que ajudarão você nessa tarefa e farão com que saiba em quais pontos é possível economizar.

4. Não se organizar

Comentamos acima que traçar metas e focar em sonhos maiores é essencial para quem deseja vencer na missão de poupar. No entanto, de nada adiantará estipular objetivos se você não se planejar para alcançá-los.

Por isso, uma gestão financeira eficiente depende de organização — é preciso que você monte um plano e o detalhe o máximo possível. Assim, terá como contornar os problemas que possam surgir.

Para um planejamento bem estruturado, recomendamos que você siga essas 6 etapas:

1. defina metas e objetivos;
2. determine prazos para cumpri-los;
3. anote despesas e corte gastos desnecessários;
4. busque formas de aumentar seu orçamento;
5. analise os resultados do seu esforço em poupar;
6. faça alterações naquilo que não está funcionando.

5. Não buscar informação

O comodismo e a falta de conhecimento sobre o universo das finanças são grandes vilões para quem quer acumular patrimônio.

Isso acontece porque uma pessoa que mal sabe interpretar as informações de seu extrato bancário, ou não conhece as taxas que paga ao banco, tende a ter dificuldades na hora de fazer o seu dinheiro render em aplicações financeiras.

Em uma época na qual as demandas pessoais e crises econômicas são cada vez mais impactantes, é preciso know-how para traçar um planejamento financeiro adequado e superar os desafios impostos pela vida moderna.

Portanto, não hesite em fortalecer sua base teórica sobre finanças pessoais. Para tanto, acompanhe os noticiários sobre economia, revistas e informativos da área e leia livros sobre educação financeira.

6. Não ter disciplina

A falta de dedicação é um dos grandes motivos pelos quais as pessoas não conseguem construir uma reserva financeira. Se, por exemplo, você planejou guardar R$ 100 por mês, deve ser rígido consigo e estabelecer prioridades.

Surgiu um imprevisto? Então, analise de forma realista se é algo realmente inadiável e que justifique prejudicar a sua poupança.

Um sinal de que você não está agindo de maneira disciplinada é o fato de sempre deixar para guardar no próximo mês ou pensar que, se nesse mês você não poupou, mês que vem guardará o dobro — isso não funciona e você acabará por não conseguir poupar nunca.

7. Guardar dinheiro só no fim do mês

Salário caiu na conta e o primeiro pensamento que vem na sua cabeça é “gastar”. Acertamos? Então, você deve mudar esse comportamento imediatamente se quiser começar a poupar!

Com mais dinheiro no bolso, a tendência natural que as pessoas têm é de satisfazer desejos e necessidades momentâneas e esquecer de suas metas mais relevantes. Ou seja, gastam tudo no início do mês e no final já não têm mais nada para economizar.

Por isso, assim que tiver em posse de seus rendimentos, transfira para a poupança ou aplicações financeiras a parcela que você planejou guardar. A dica de ouro é conversar com o gerente do banco para que essas transferências sejam feitas automaticamente em um dia certo do mês.

Decidir acumular patrimônio é o ponto crucial de uma vida financeira estável e tranquila. Afinal, não adianta ganhar um excelente salário e ter um currículo extraordinário se, depois de muito trabalho suado, não sobrar capital para você realizar seus sonhos.

Então, que tal parar de repetir a frase “não consigo economizar” e acabar, de vez, com as desculpas? Confira o nosso vídeo “Por que algumas pessoas conseguem economizar tanto?” — e acompanhe mais dicas para a tão sonhada independência financeira!