Sustentabilidade

Como evitar a poluição automotiva mudando minha forma de dirigir?

Mesmo sem abrir mão do carro, você pode fazer muito para evitar a poluição automotiva. Quer saber mais? Leia aqui!

A poluição automotiva é a contaminação atmosférica provocada pela emissão de gases tóxicos, devido ao grande número de veículos automotores em circulação nos centros urbanos. Quando os motores queimam combustível, despejam na atmosfera gases nocivos à saúde e ao meio ambiente, como o monóxido de carbono, por exemplo.

Poluição automotiva é uma realidade na vida moderna e precisa ser encarada com responsabilidade pelos motoristas. Neste artigo, não vamos abordar os meios alternativos de deslocamento, como transporte público, carona solidária ou bicicleta, pois vamos falar com quem não pode abrir mão do carro no seu dia a dia.

Então, se você precisa usar o carro com frequência, saiba que pode contribuir para evitar o problema mudando suas atitudes. Comece lendo nosso artigo, pois temos informações importantes sobre o assunto.

Como a poluição automotiva é causada?

Como você já sabe, um motor em funcionamento queima combustível e tal combustão emite gases tóxicos que são lançados na atmosfera. Além disso, partículas minúsculas geradas pelo desgaste dos freios e pneus permanecem em suspensão no ar, podendo se espalhar por quase meio quilômetro ao longo das rodovias.

Assim, a poluição automotiva não afeta apenas os habitantes de grandes centros urbanos. Quem vive próximo a estradas movimentadas também sofre as consequências dela.

Quer saber quais são os gases tóxicos que estão afetando nossa saúde e contaminando o meio ambiente? Veja os principais abaixo.

Monóxido de Carbono (CO)

É um gás asfixiante que prejudica a oxigenação no sangue, afetando o sistema nervoso. Pode causar distúrbios respiratórios e cardíacos e até mesmo a morte. A emissão de monóxido de carbono acontece, em maior quantidade, pela combustão da gasolina. Nos motores a álcool, a emissão é bem menor.

Óxido de nitrogênio (NOx)

Expelido, principalmente, por motores a diesel, causa irritação no aparelho respiratório, afeta o sistema imunológico e pode provocar alterações celulares. As pessoas mais prejudicadas por ele são as que sofrem de bronquite, asma e alergias respiratórias.

Hidrocarbonetos (HC)

São substâncias altamente irritantes, além de serem cancerígenas, afetam a pele, os olhos, o nariz e o aparelho respiratório como um todo. No caso dos hidrocarbonetos, a gasolina também é a maior vilã, por gerar emissões maiores desse tipo de poluente.

Aldeídos (CHO)

Outro gás irritante e também cancerígeno. O índice de emissão de aldeídos pelos veículos automotores é um pouco menor do que o dos outros gases tóxicos, mas é igualmente preocupante. Tanto os motores a gasolina quanto aqueles a álcool emitem aldeídos.

Material Particulado (MP)

São micropartículas expelidas pela fumaça, principalmente dos motores a diesel. Além de penetrarem nos pulmões, causando doenças respiratórias, também contribuem para o efeito estufa, que leva ao aquecimento global.

Dióxido de Carbono (CO2)

Esse é um gás mais prejudicial à natureza do que à saúde, mas à medida que causa danos à natureza, atinge também os seres humanos. O aumento de dióxido de carbono na atmosfera é um dos fatores responsáveis pelo efeito estufa.

Metano (CH4)

Da mesma forma, o metano não provoca grandes danos à saúde, e sim à natureza, por ser outro gás de efeito estufa, assim como o CO2. É apontado como um dos causadores do aquecimento global.

Com o passar do tempo, os fabricantes de veículos e os órgãos reguladores governamentais vêm se empenhando em reduzir os níveis de emissão de gases nocivos pelos motores, como forma de evitar a poluição.

O que fazer para evitar a poluição automotiva?

Como já dissemos, o objetivo do nosso artigo não é convencer você a deixar de usar seu carro. O que queremos é mostrar que algumas mudanças de atitude contribuem, e muito, para evitar a poluição tão prejudicial à saúde e ao ambiente. Veja exemplos do que pode ser feito:

Escolha um carro amigo do meio ambiente

Um bom começo é escolher um veículo que apresente um número baixo de emissão de gases. Os modelos híbridos, como o Toyota Prius e o Ford Fusion, os elétricos e os movidos a biocombustível são bons exemplos de veículos menos poluentes.

O Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (INMETRO) disponibiliza uma tabela de consumo e eficiência energética para veículos leves que pode ser consultada antes da compra do seu carro.

Cuide da manutenção do seu veículo

Obedeça às recomendações de fábrica e faça as revisões periódicas de seu carro. Com o desgaste das peças pelo tempo de uso, o consumo aumenta e, por consequência, a emissão de gases poluentes também. Não descuide da troca de filtros, velas e de fluidos, escolhendo produtos de boa qualidade.

Balanceamento e alinhamento a cada 10 mil quilômetros rodados e calibragem semanal dos pneus são medidas fundamentais. Pneus murchos e rodas desalinhadas forçam o motor a queimar mais combustível, o que eleva a emissão de poluentes.

Escolha locais confiáveis para abastecer

Infelizmente, casos de postos de abastecimento vendendo combustível adulterado ainda são comuns no Brasil. Além de causar danos ao motor, esse tipo de produto é altamente poluente. Então, abasteça sempre em postos de bandeira confiável e fuja dos estabelecimentos suspeitos.

Também é bom lembrar: se seu carro é Flex, prefira abastecer com etanol, que é um combustível ecológico.

Mude seu comportamento ao volante

Algumas atitudes ao dirigir ajudam a gastar menos combustível, o que é bom para o seu bolso, para a saúde de todos e também para o meio ambiente. Lembre-se: quanto menor for a queima de combustíveis, menos poluentes vão parar na atmosfera.

Veja exemplos de comportamentos recomendáveis para dirigir seu carro com economia e evitar a poluição automotiva:

- trafegue em velocidade moderada e evite freadas bruscas;
- respeite as leis de trânsito e a sinalização;
- use a marcha adequada ao momento;
- não descanse o pé no pedal da embreagem;
- evite trafegar em ponto morto, ou na “banguela”;
- se estiver parado à espera de alguém, desligue o motor;
- evite pesos desnecessários no carro, como bagageiros e suporte de bicicletas;
- prefira abrir as janelas em vez de ligar o ar-condicionado.

Então, como você pôde concluir, ninguém precisa abrir mão do conforto proporcionado pelo carro, mas os cuidados para evitar a poluição automotiva são uma responsabilidade de todos os motoristas. Escolher o modelo adequado, cuidar da manutenção, abastecer em postos confiáveis e mudar seu comportamento ao volante, certamente, fará uma grande diferença. Faça a sua parte!

Agora que você se conscientizou sobre o problema da poluição automotiva, não interrompa a leitura aqui. Leia mais este artigo sobre direção econômica e aprenda 7 dicas práticas para que seu carro gaste menos. Você vai gostar de saber!

As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.