Sustentabilidade

Economia compartilhada: como investir e se beneficiar?

Economia compartilhada é a grande tendência do momento! Saiba mais e descubra novas possibilidades de ganhar dinheiro.

Tanto as transformações ocasionadas pela revolução digital quanto as constantes oscilações na economia mundial têm feito as pessoas reverem os seus conceitos. A economia compartilhada tem sido uma consequência direta.

Cada vez mais o consumismo desenfreado vem sendo questionado para dar vazão a um estilo mais cooperativo de vida e isso também tem aberto novas possibilidades na forma de se ganhar dinheiro.

Se você ainda não sabe como a economia compartilhada funciona, nem como investir e se beneficiar dela, este post é para você! Continue lendo.

Para quê acumular?

Quando analisamos friamente o estilo de vida que temos levado, vemos que muitos dos objetos que temos em casa, sejam eles menores ou maiores, não são usados o tempo todo, nem mesmo a maior parte do tempo.

Isso se aplica às mais diversas questões. Desde um carro que fica parado na garagem quase a semana toda, ou mesmo uma bicicleta, a roupas que servem apenas para ocasiões específicas, como trajes de gala.

Na economia compartilhada, a ideia é que você pare de deixar todos esses itens parados e passe a gerar recursos com eles. Nos próximos tópicos vamos detalhar cada uma das principais possibilidades existentes hoje. Confira!

O que você tem e está parado que poderia ser alugado?

Demos o exemplo do carro e da bicicleta, não foi? Então, que tal ganhar uma renda extra alugando seu carro nos dias em que você não o usa, bem como sua bicicleta? Sites como PegCar podem ser de grande ajuda nessas horas.

Você tem roupas que só servem para ocasiões muito específicas e que custam caro para compra? Que tal anunciá-las para aluguel por meio da internet? Em tempos de orçamento baixo, muitas pessoas podem precisar do que você tem e estarem dispostas a pagar um valor mais em conta pelo aluguel do que por uma compra.

Amplie essas alternativas para outras possibilidades: equipamentos diversos, ferramentas, instrumentos musicais ou até mesmo caronas. Em alguns casos, mesmo que você não lucre, você pode dividir os custos e aliviar o seu bolso. Pense nisso!  

Já ouviu falar em cohousing ou casa compartilhada?

Em outros lugares do mundo, sobretudo na Europa, o compartilhamento de casas é uma prática muito comum entre jovens e adultos de 20 a 40 anos de idade. No Brasil, essa tendência também vem crescendo cada vez mais, seja pela falta de espaço ou de dinheiro para abrigar tanta gente a preços, às vezes, tão altos para grande parte da população.

Algumas das vantagens de uma casa compartilhada são:

- você pode morar melhor em uma região mais bem localizada com uma residência mais bem estruturada por um preço menor;
- sua rede de suporte e de contatos aumenta estando em contato diário com outras pessoas;
- se precisar ficar um tempo fora, é mais fácil negociar seu retorno à mesma residência do que morando sozinho;
- se os moradores forem pessoas de confiança, você pode ter com quem contar em situações de emergência. Quando estamos sozinhos às vezes isso não é tão fácil.

Os benefícios da casa compartilhada não param por aí. Vamos imaginar agora que você já tenha sua casa própria e esteja considerando alugá-la como moradia para outras pessoas. Do outro lado da moeda, as vantagens são as seguintes:

- você pode cobrar um preço maior no custo final, já que estará abrigando diferentes indivíduos em sua propriedade;
- os quartos, de acordo com o tamanho e acomodações, podem ter um custo diferenciado de um para outro;
- sua rede de contatos de inquilinos terá um fluxo constante, já que o número de indicações e de procura será igualmente maior;
- se tiver problemas com um inquilino, a situação é mais contornável do que quando apenas uma pessoa vive em sua residência e você depende dela para o pagamento do aluguel.

Todavia, vale lembrar que os custos de manutenção de uma casa com um número maior de pessoas costuma ser mais alto. Tudo depende de quem mora nela, do zelo que essas pessoas terão e de como as negociações são feitas. A melhor forma de realizar isso é por meio de um consórcio. Pesquise bem e se beneficie dessa possibilidade, que tem sido cada vez mais uma tendência aqui no Brasil.

Já pensou em viajar gastando menos ou mesmo ganhar para receber pessoas?

Tanto do ponto de vista de reduzir custos ao viajar quanto utilizar imóveis, quartos ou mesmo aquele sofá-cama na sala para receber pessoas, tudo isso pode lhe trazer vantagens por meio da economia compartilhada. Quer saber como? Continue lendo que elencamos as principais formas para você.

Se pensa em viajar gastando menos, considere as seguintes possibilidades:

- procure sites e plataformas que trabalham oferecendo alternativas como crowdsurfing (hospedagem solidária);
- considere a possibilidade de encontrar formas de hospedagem diversas por meio das plataformas AirBnb e Booking, por exemplo;
- avalie caronas ou mesmo aluguel compartilhado de carro para viagens mais curtas. Existem muitos sites especializados nisso também.

Do outro lado da questão, você também encontra amplas possibilidades. As principais delas são:

- se quiser ampliar sua rede de contatos e encontrar hospedagem gratuita quando viajar, faça parte de uma rede de crowdfunding;
- se o assunto for gerar renda, inscreva-se como um locador no AirBnb e plataformas similares que permitem cobrança pela hospedagem;
- se você tem carro e viaja com frequência, anuncie caronas e encontre pessoas para dividir os custos com você;
- considere também a possibilidade de trabalhar como guia em sua cidade. Quem sabe naquele fim de semana que ficaria em casa, não faz um tour recebendo uma grana extra por isso?

Como pôde ver, os benefícios da economia compartilhada não se resumem a sua residência e aos objetos que estão nela. Na verdade, as possibilidades são infinitas e cada vez mais as pessoas encontram novas formas de colaborar umas com as outras. Algumas, por exemplo, alugam ou cedem espaços de seu terreno para hortas comunitárias e outras iniciativas coletivas diversas.

Se gostou de saber como investir e se beneficiar com a economia compartilhada, não deixe de ler também 4 coisas importantes para levar em consideração antes de sair da casa dos pais. Temos sempre o melhor conteúdo para sua vida financeira e formas de conquistar aquilo que almeja. 

As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.