Quando é hora de trocar o disco de freio? Fique atento a 5 sinais!

Quer saber quando é hora de trocar o disco de freio do seu veículo? Fique atento a esses 5 sinais!
  • Atualizado em July 5, 2021
  • Publicado em July 5, 2021
  • Seu carro

O disco de freio é um dos componentes mais importantes do sistema de frenagem mais usado nos automóveis hoje em dia. Trata-se de um disco feito de material sólido que é acoplado ao cubo da roda de um veículo que tem o sistema de freio a disco. Esse componente age em conjunto com as pastilhas, e sua função é diminuir a rotação da roda do carro, até freá-lo.

Apesar de o disco de freio ser produzido para suportar diversas frenagens, não se pode evitar que eles apresentem os grandes efeitos do desgaste após algum tempo. Então, é importante conhecer os sinais que mostram que esse componente precisa de uma atenção. Afinal de contas, se os problemas relacionados a esse item não forem identificados no momento certo, a segurança do automóvel pode ser comprometida.

Quando esse tipo de peça é desgastado, o desempenho do sistema de frenagem fica prejudicado, podendo expor motorista, a família e outras pessoas a muitos riscos no trânsito. Então, saiba quais são os 5 principais sinais apresentados quando o disco de freio está com problemas ou deve ser trocado para impedir acidentes! Boa leitura!

1. Vibração com o acionamento dos freios

Com o passar do tempo, é normal acontecer deformação no corpo do disco de freio do veículo, afinal, o uso constante desgasta a peça. O motivo para isso ocorrer é que o intenso contato com as pastilhas acaba consumindo o material, o que pode ser feito irregularmente, dependendo das condições de rodagem.

Qual é a consequência disso? A formação de ondulações na superfície. Isso, obviamente, causa alguns tremores que incomodam assim que o motorista aciona o freio. Caso esses tremores sejam acompanhados de ruídos metálicos, saiba que é um bom indicador de que as pastilhas também se encontram danificadas, precisando de troca.

Vale lembrar que, além da vibração, as frenagens passam a ficar mais instáveis, o que dificulta o total controle do carro em um momento muito necessário. Então, o melhor a ser feito, ao se deparar com esse sinal, é buscar um mecânico de confiança para substituir o disco ou as pastilhas.

2. 40 mil quilômetros rodados

A cada 40 mil quilômetros rodados com o veículo, o ideal é fazer uma avaliação detalhada do sistema de freio a fim de verificar a necessidade de substituição dos componentes. Normalmente, os discos já estarão no limite de uso que o fabricante recomenda.

3. Barulhos na hora de frear

Um sintoma muito comum de que os discos e pastilhas estão desgastados de forma excessiva é a emissão de barulho no momento de acionar o freio. Além de mostrar que é preciso trocar os componentes, esse sinal também pode indicar que as pastilhas são de qualidade inferior, sobretudo quando a necessidade de troca aparece precocemente.

Vale lembrar que em situações menos comuns, tais barulhos também podem ser facilmente causados pelo acúmulo de sujeiras entre o disco e a pastilha. Portanto, o ideal é levar o veículo à oficina para que seja verificado o problema.

Contudo, não importa o caso, é preciso ter em mente que os ruídos são sinais de que os componentes não estão funcionando adequadamente, podendo afetar a vida útil do sistema.

4. Alterações no pedal

O desgaste irregular do disco de freio ou o acúmulo de resíduos pode prejudicar o contato das pastilhas com a superfície e, consequentemente, a frenagem do veículo.

Muitas vezes acontece de faixas porosas ou rebaixadas acabarem se formando com o passar do tempo. Elas impedem que a pastilha tenha contato com o disco de freio. Isso acaba levando a frenagem a levar mais tempo para ocorrer.

Geralmente, o motorista tende a sentir que isso está acontecendo ao pisar no pedal, que pode ficar duro demais e fazer com que o condutor tenha que pisar com maior força. Esse é um sinal de alerta muito sério e você precisa ficar bastante atento. Isso porque, quando o pedal fica duro demais, é bem provável que o desgaste já se encontre em um estágio bem avançado — prejudicando outros componentes do sistema de freio.

É importante saber que o desempenho comprometido pode ser, sim, por causa do desgaste do disco de freio, mas outra razão possível para essa rigidez é a falha no mecanismo de assistência. Por isso, é importante ter a avaliação de quem entende do assunto para fazer a correção certa.

E, claro, não podemos descartar que o problema dessa rigidez no pedal possa ter origem na qualidade do material usado para produzir o disco. Por esse motivo, o ideal é sempre optar por produtos de marcas confiáveis na hora de fazer a substituição dos componentes do seu carro.

5. Luz de freio acesa no painel

As luzes do painel acabam passando muitas informações essenciais para os motoristas a respeito das condições de funcionamento do automóvel. A luz de freio é uma delas, que é sempre representada por um ponto de exclamação entre parênteses, na maioria das vezes, em vermelho.

Lembrando que esse aviso é o mesmo quando o freio de mão é deixado engatado. Porém, caso verifique que esse não é o caso, certamente o problema está em outros componentes, como no disco, no nível baixo do fluido de freio ou nas pastilhas.

Como você pode ver, os freios são indispensáveis para garantir que você dirija o veículo com segurança. Então, para evitar acidentes, o sistema de frenagem precisa estar em excelente estado. Lembre-se de que uma resposta imediata ou lenta dos freios pode ser a diferença entre um susto ou uma perigosa colisão.

Se você se preocupava com os discos de freio, mas não sabia ao certo a hora exata de trocá-los, esse problema foi resolvido após conhecer esses sinais. Uma dica valiosa é saber que não é recomendado optar pela retífica do disco de freio, pois isso pode comprometer a sua estrutura e eficiência.

Prefira sempre a troca quando chegar a hora de lidar com esse procedimento, certo? E, claro, dê preferência para mecânicos especializados e credenciados que possam garantir um serviço de qualidade.

Por fim, como a melhor maneira de cuidar do seu automóvel é sempre a prevenção, o ideal é fazer uma revisão a cada 40 mil quilômetros rodados. Além disso, não deixe de fazer as checagens periódicas que acontecem junto dos demais componentes do veículo que têm períodos de manutenção menores que o disco de freio.

Fazendo essas vistorias e entendendo quais sinais você deve observar, suas chances de ter problemas com o carro são drasticamente reduzidas e, consequentemente, a segurança de todos que utilizam o veículo aumenta bastante.

Gostou do texto e quer continuar aprendendo em nosso blog? Então, aproveite que está por aqui e conheça 8 dicas para comprar carro seminovo e não errar na escolha!
As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.
Mostrar comentários
Leia também
drive_eta
Seu carro

Carros para jovens: os 5 veículos mais procurados!

drive_eta
Seu carro

Motos para cidade: as 7 melhores opções para facilitar seu dia a dia

drive_eta
Seu carro

Como fazer para lavar meu carro de forma correta?