Tudo Sobre Consórcio

Saiba mais sobre como funciona um consórcio!

Você quer fazer um consórcio? Tire aqui todas as dúvidas sobre essa modalidade de aquisição de bens!

Realizar sonhos e conquistar o seu patrimônio por meio do consórcio, sem dúvida, é um dos caminhos mais seguros, simples e acessíveis que se tem à disposição no mercado atualmente. Por isso, saber como funciona um consórcio é o primeiro passo para aproveitar as vantagens e possibilidades que essa modalidade de aquisição de bens e serviços é capaz de oferecer.

Pensando nisso, preparamos um material completo para esclarecer os principais pontos sobre esse assunto, mostrando como é o funcionamento de um consórcio, suas regras, formas de contemplação, vantagens e muito mais.

Então, seu objetivo é comprar um imóvel, adquirir um carro novo ou fazer aquela viagem inesquecível? Saiba que o consórcio pode ser um ótimo caminho para a concretização desses sonhos. Conheça mais sobre essa modalidade de aquisição a seguir!

O que é um consórcio?

De maneira resumida, o consórcio nada mais é do que uma modalidade de aquisição de bens e serviços que se baseia na associação de pessoas físicas ou jurídicas que compartilham o mesmo desejo, como comprar um imóvel ou um automóvel, por exemplo.

Assim, o que o consórcio faz é reunir grupos de pessoas interessadas na compra de um determinado bem, seja ele móvel, seja imóvel, e até mesmo um serviço. A ideia é formar uma espécie de poupança conjunta, gerenciada por uma administradora, que será utilizada para contemplar os membros do grupo mês a mês, conforme as regras estabelecidas.

Como funciona essa modalidade de aquisição?

O funcionamento de um consórcio é algo relativamente simples. Como dito, essa modalidade de aquisição se baseia na união de esforços de diferentes pessoas para a realização de sonhos em comum.

Dessa forma, ao ingressar em um grupo de consórcio, cada participante paga mensalmente um determinado valor. Essa quantia varia de acordo com o plano contratado pelo consorciado.

Assim sendo, a administradora do consórcio reúne as parcelas pagas pelos consorciados e forma um fundo comum, que é utilizado para realizar as contemplações dos integrantes ao longo do prazo de duração do consórcio.

Por exemplo, se o grupo tem duração de cinco anos, até o final desse prazo, todas os participantes serão contemplados e terão acesso à carta de crédito para a aquisição do bem inicialmente desejado. Essas contemplações são realizadas por meio de sorteio ou lance.

O grupo é uma espécie de autofinanciamento realizado por meio das parcelas pagas pelos integrantes, por isso nessa modalidade de aquisição não há a cobrança de juros. O que existe é a taxa de administração, que tem um valor bastante acessível se comparada à outras formas de aquisição parcelada.

É preciso escolher a categoria do bem que se deseja adquirir antes de entrar no negócio, pois quem opta por um consórcio de automóveis não pode adquirir um imóvel com a carta de crédito recebida, por exemplo.

Quais bens podem ser adquiridos com o consórcio?

Atualmente, o mercado de consórcios é extremamente amplo, contando com muitas empresas operando nesse segmento e oferecendo todo tipo de produto e serviço por meio dessa modalidade de aquisição.

É possível comprar carros, motos, casas, terrenos, contratar serviços, pagar um curso de graduação, uma viagem e, até mesmo, uma festa de formatura, por exemplo.

No entanto, existem alguns tipos de consórcios que são mais procurados pelas pessoas. A seguir, explicaremos melhor cada um deles para facilitar a sua escolha. Confira!

Consórcio de automóveis

Para quem deseja obter um veículo, o consórcio de automóveis é uma excelente alternativa, pois existe a flexibilidade de determinar o plano que melhor se adeque à sua realdade financeira, bem como seus objetivos de aquisição.

Com a carta de crédito, é possível a adquirir qualquer bem dentro da categoria contratada. No caso de veículos, é possível adquirir uma moto, um carro, um caminhão, entre outros dessa categoria. A vantagem do consórcio é que o cliente, ao ser contemplado, tem acesso ao valor integral da carta de crédito contratada. Dessa forma, consegue adquirir o bem à vista, tendo um maior poder de negociação e barganha.

Além disso, o consórcio de automóveis traz a vantagem de não ser necessário nenhum tipo de entrada. Ou seja, o cliente compromete sua renda apenas com o valor das parcelas, se programando melhor para esse compromisso.

No mais, no consórcio de automóveis não há a incidência de juros, o que o torna uma alternativa muito interessante para quem quer conquistar um veículo de forma programa, econômica e totalmente segura.

Consórcio de imóveis

Quem pode se planejar para comprar a casa ou apartamento próprio, tem no consórcio imobiliário uma ótima oportunidade para pôr esse planejamento em prática.

Diferentemente do que ocorre em outras formas de aquisição parcelada, no consórcio de imóveis é possível ter acesso a bens de alto valor sem a necessidade de dar um valor de entrada, visto que o valor da carta de crédito é parcelado integralmente.

Os consórcios de imóveis costumam ter uma média de duração de 180 meses, dando mais flexibilidade para quem não tem pressa e quer realizar uma compra de forma planejada.

Por meio desse tipo de consórcio, é possível a aquisição de casas e apartamentos, novos ou não, usados ou na planta, e de terrenos. É possível também usar o valor da carta de crédito para construção ou reforma. Ou seja, é uma modalidade extremamente flexível e que atende os mais diferentes perfis de clientes.

Além disso, o consórcio imobiliário dá autonomia ao consorciado, pois permite que ele decida o valor do crédito desejado e, ao ser contemplado, tem liberdade para escolher o que fazer com a carta de crédito, dentro da categoria definida. Ou seja, é possível definir, por exemplo, sobre a localização, o padrão e outras características do imóvel, de acordo com o seu perfil.

Outra característica do consórcio de imóveis é a possibilidade de utilizar o FGTS para ofertar lances, quitar parcelas ou para complementar o valor da carta de crédito recebida. No entanto, vale deixar claro que para usar os recursos do FGTS é necessário atender aos requisitos determinados pelo Conselho Curador do FGTS.

Quais são as vantagens do consórcio?

Como visto até aqui, o consórcio é uma ótima opção para quem pode se planejar e é uma boa alternativa para quem deseja fugir das taxas e dos juros praticadas por outras formas de aquisição parcelada porque não possui dinheiro para pagar o bem à vista.

Agora, conheça melhor algumas das principais vantagens do consórcio!

Não há cobranças de juros

No consórcio as contemplações são viabilizadas com o dinheiro do próprio grupo, por isso, não há cobrança de juros. O que existe é a taxa de administração, que tem um valor bastante acessível se comparada à outras formas de aquisição parcelada. Ela é um percentual prefixado da carta de crédito eé diluída nas parcelas ao longo de todo o prazo de pagamento. No exemplo de um consórcio de imóveis de 180 meses, em que a taxa de administração é 22%, a taxa mensal será de 0,1222% ao mês.

Não precisa dar entrada

O valor do bem que se pretende adquirir é totalmente parcelado, ou seja, não é preciso dar entrada. O dinheiro que poderia seria destinado à entrada, pode ser utilizado para acelerar a contemplação, por meio da oferta lances, por exemplo.

Essa é uma grande vantagem em relação a outros modelos de aquisição, por exemplo, que geralmente dependem de uma porcentagem do valor do bem como entrada, para que o interessado tenha acesso ao crédito.

É um meio de poupar dinheiro

O consórcio pode ser comparado a uma poupança, uma vez que é preciso ter disciplina para que o autofinanciamento funcione. Ao economizar, cria-se o hábito de poupar para conquistar outros objetivos, o que é um grande benefício para a saúde da vida financeira.

É mais flexível

Outra vantagem do consórcio é a sua flexibilidade. Essa modalidade de aquisição permite ao interessado encontrar planos com diferentes valores de carta de crédito, quantidade de parcelas e valor mensal a ser pago.

Por essa razão, hoje o consórcio é uma das alternativas mais buscadas para a compra de veículos e imóveis, se adaptando bem ao perfil financeiro de diversos perfis.

Dá a possibilidade de usar o FGTS em consórcios imobiliários

Como já mencionado, quem opta pelo consórcio de imóveis, pode usar o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para dar como lance, quitar algumas parcelas ou complementar o valor da carta de crédito recebida para adquirir o seu bem.

Mantém o poder de compra

Como o consórcio é uma forma de aquisição de longo prazo, o valor da carta de crédito é atualizada periodicamente buscando manter o poder de compra do consorciado ao longo da vigência do plano.

Vale destacar que o índice de reajuste deve estar previsto no contrato de adesão.

O valor do crédito é reajustado

Uma grande vantagem do consórcio é a manutenção do poder de compra do consorciado ao longo de todo o prazo de duração do seu plano. Esse ponto é importante porque, com o passar dos anos, o bem desejado pode sofrer alterações de preço. Além disso, fatores como a inflação podem reduzir a capacidade de compra do dinheiro, impedindo que o participante tenha acesso ao bem inicialmente desejado.

Vale lembrar que, por exemplo, consórcios imobiliários podem ter duração de 10 a 15 anos. Ou seja, muita coisa pode acontecer nesse período, como oscilações na economia. Por isso, o consórcio passa por reajustes periódicos, com o objetivo de acompanhar essas alterações de preço e da economia, garantindo que todos os membros do grupo tenham acesso ao seu crédito de forma igualitária.

É uma opção segura

A segurança é outro ponto positivo do consórcio. Um dos pontos que reforça essa segurança é o chamado fundo de reserva que, de maneira bastante resumida, é um valor cobrado mensalmente, junto da parcela, e é destinado a compor uma reserva financeira para ser utilizada em situações de emergência.

Na prática, o fundo de reserva é uma garantia a mais de que o consórcio continuará seguindo normalmente, mesmo em caso de inadimplência de um ou mais participantes. Além disso, ele pode ser utilizado para cobrir despesas extras, como as originadas com o processo de cobrança de consorciados devedores.

Pode ser transferido

Sim, o consórcio pode ser transferido! Sem dúvida, essa é uma grande vantagem, especialmente quando o consorciado passa por alguma dificuldade financeira e não tem mais condições de seguir com o pagamento das parcelas.

Nessa, e em outras situações, pode haver a transferência da cota do consórcio, desde que seja feita a comunicação à administradora e se cumpra o procedimento de formalização da substituição do titular, conforme constar no contrato.

Quais são as diferenças entre o consórcio e o financiamento?

Essa certamente é uma das dúvidas mais comuns quando se fala em crédito e modalidades de aquisição de bens. O financiamento é, sem dúvida, uma opção bastante popular no mercado, especialmente quando o objetivo é adquirir bens como imóveis e veículos.

No entanto, o consórcio também se popularizou entre os consumidores, especialmente em razão das vantagens que essa modalidade traz, sobretudo no quesito custos e acessibilidade. Mas quais são as principais diferenças existentes entre eles?

Inicialmente, o financiamento se diferencia do consórcio pelo fato de garantir o acesso imediato ao bem desejado. Ou seja, não é necessário ser contemplado, como acontece nos consórcios — o que para alguns é uma vantagem.

Além disso, o financiamento oferece crédito ao consumidor para a compra de um bem específico, já determinado no momento da contratação. Por outro lado, o consórcio dá acesso ao cliente a uma carta de crédito, que pode ser utilizada, dentro da categoria, para a compra de qualquer bem que se enquadre nas regras do contrato.

Além disso, outra distinção entre essas modalidades de aquisição está nos custos. O financiamento tem a incidência de juros e outras taxas. Já no consórcio, como mencionado, o consorciado não paga juros, arcando apenas com a taxa de administração, o que reduz significativamente o valor pago ao final.

Embora existam muitas diferenças entre o consórcio e o financiamento, não se pode dizer que uma modalidade é melhor que a outra. Na verdade, elas têm propostas diferentes, servindo melhor a cada pessoa, de acordo com as suas necessidades e perfil.

Como adquirir um consórcio?

Para adquirir uma cota de um consórcio, é preciso procurar uma empresa, chamada de administradora de consórcios, que esteja devidamente credenciada junto ao Banco Central, e entrar em um grupo da categoria de bem que você deseja.

É possível entrar em um grupo em formação ou em um que já esteja em andamento, por meio de uma cota vaga disponível para comercialização pela administradora.

Escolha o valor do bem ou serviço pretendido e analise as opções de prazos e valores das parcelas, assim como as melhores condições para o seu perfil.

Qual é a importância de escolher uma boa administradora do consórcio?

Antes de assinar o contrato de adesão do consórcio, é muito importante que o interessado entenda o papel que uma administradora de consórcio tem para a segurança e regularidade do plano. Esse é um dos pontos de partida para a escolha de uma empresa séria e experiente nesse mercado.

Para fazer um boa escolha, o primeiro passo é descobrir se a administradora é credenciada junto ao Banco Central para operar com esse tipo de serviço financeiro. Uma das maneiras de se verificar essa informação é a partir da página do próprio Bacen, conferindo a lista das instituições autorizadas.

As instituições autorizadas pelo Banco Central precisam atender a uma série de normas e diretrizes para operar em conformidade. Por essa razão, buscar essas empresas é, também, uma forma de evitar transtornos e garantir a segurança na realização dos seus sonhos.

Além disso, a administradora do consórcio tem outro papel importante nesse tipo de operação. Desde o momento da adesão ao grupo até a sua finalização, a administradora é quem representa os consorciados judicial e extrajudicialmente, defendendo os interesses coletivos dos membros.

A administradora ainda é a responsável por operacionalizar o consórcio, organizando as finanças do grupo e garantindo a sua regularidade, bem como realizando as assembleias regulares para contemplar os consorciados.

Dessa forma, também é dever da administradora garantir que todos façam os pagamentos em dia, mantendo as contemplações em ordem para que todos os participantes tenham acesso ao bem desejado, nos exatos termos do contrato.

Como ser contemplado?

Basicamente existem duas formas de ser contemplado em um consórcio. A primeira é por meio dos sorteios periódicos, que costumam ocorrer mensalmente entre todos os participantes do grupo que estejam em dia com as suas obrigações.

A outra forma de ser contemplado é por meio da oferta de lance que, nada mais é, do que um valor ofertado pelo participante como forma de antecipação de parcelas do consórcio.

Geralmente, quem oferta o maior lance sai vencedor e tem acesso à sua carta de crédito de forma antecipada.

No entanto, vale lembrar que existem diferentes tipos de lance no consórcio, sendo que os critérios para a sua oferta, bem como os procedimentos em caso de empate, são descritos no contrato de adesão assinado.

Lembre-se de que para concorrer em qualquer modalidade o consorciado deverá estar em dia com suas parcelas. Conheça, a seguir, os principais tipos de lance!

Lance livre

O lance livre é a modalidade mais comum. Nela, o consorciado comunica a administradora do seu interesse em fazer uma oferta, respeitando as características específicas de cada grupo.

Quanto ao valor do lance, a regra aqui é a de que ele corresponda a, no mínimo, 1% do valor da carta de crédito. No lance livre, o vencedor é aquele que oferece o valor mais alto, como acontece em um leilão.

Em caso de empate, a administradora define o vencedor seguindo as regras do contrato — geralmente, é realizado um sorteio entre os lances empatados.

Lance fixo

O lance fixo, como o nome já sugere, tem o percentual de oferta já determinado em contrato. Ou seja, o consorciado não tem a liberdade de oferecer o lance do valor que desejar. Nesse caso, precisa atender às regras estabelecidas pela administradora do consórcio.

O lance fixo pode ser estabelecido em qualquer percentual pela administradora. No entanto, ele costuma partir dos 25% do valor da carta de crédito, podendo ser de 30%, 40% ou até 50%.

Para definir o lance vencedor nessa modalidade, o mais comum é a realização de sorteios exclusivos, em que apenas aqueles participantes que ofertaram o lance fixo concorrem. Dessa forma, fica mais fácil sair vencedor, já que menos consorciados participam do sorteio.

Lance embutido

Tecnicamente, o lance embutido não é uma modalidade de lance. Na verdade, ele é uma forma de pagamento. De todo modo, é importante que você também o conheça.

O lance embutido, de forma simples, é a prática que consiste em utilizar uma parte do valor do crédito buscado como lance. Assim, o participante faz o seu lance não com recursos próprios, mas com uma parcela do crédito que ainda receberá, caso seja contemplado.

O lance embutido é uma alternativa muito utilizada por aquelas pessoas que não têm nenhuma economia guardada para dar como lance, mas querem buscar uma forma de antecipar a contemplação.

Essa prática, assim como as demais, tem as suas vantagens e desvantagens. Por isso, é importante conhecê-la melhor antes de tomar qualquer decisão.

O que acontece depois da contemplação?

Após ser contemplado, o consorciado tem acesso à carta de crédito, que pode ser utilizada para adquirir qualquer produto da classe do bem escolhido para ser consorciado ou quitar um financiamento da mesma categoria. É importante estar atento às regras da administradora para ter certeza de que é possível a aquisição do bem desejado.

Como visto, fazer um consórcio é uma maneira simples e segura para a formação do seu patrimônio. Se der uma folga no orçamento, há a possibilidade de antecipar parcelas ou liquidar o saldo devedor a qualquer momento.

Agora que você já sabe como funciona um consórcio, conhece as vantagens e as possibilidades dessa modalidade de aquisição de bens e realização de sonhos, não pare por aqui. Baixe o nosso guia completo sobre grupos de consórcio e fique ainda mais informado sobre o assunto!
Guia Completo Sobre Grupos De Consorcio Banner Artigo Blog

As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.