Tudo Sobre Consórcio

Você sabe como funciona a carta de crédito em um consórcio?

Acesse nosso artigo e entenda, sem complicações, o que é e como funciona a carta de crédito no consórcio.

consórcio é a união de pessoas físicas e/ou jurídicas em grupo, com o objetivo de adquirir bens ou serviços. Contribuindo mensalmente, cada um dos consorciados será contemplado e, quando chegar o momento (por lance ou sorteio), receberão sua carta de crédito.

Essa é uma maneira de conseguir juntar dinheiro e se organizar financeiramente para adquirir um bem. E, ao contrário dos financiamentos, os consórcios não cobram taxas de juros.

A carta de crédito é um documento disponibilizado pela administradora do consórcio ao participante contemplado. Mas você sabe exatamente o que é esse documento e como ele funciona no consórcio? Se você quer saber tudo sobre a carta de crédito e tirar todas as suas dúvidas, leia nosso artigo até o final.

Quais as vantagens do consórcio?

A grande vantagem do consórcio é que os participantes não pagam as altas taxas de juros normalmente cobradas nos financiamentos. Por meio dessa modalidade de aquisição é possível parcelar, sem juros, 100% de um bem e o crédito pode ser usado de diversas maneiras.

Os valores pagos são gerenciados por uma administradora que deve ser autorizada pelo Banco Central e, mensalmente, são realizadas assembleias. Durante as assembleias, um ou mais participantes são contemplados e recebem suas cartas de crédito.

O que é a carta de crédito?

A carta de crédito é o documento, fruto do consórcio, repassado ao consorciado quando ocorre sua contemplação. Por meio da carta, o consorciado receberá o valor integral para a aquisição do bem ou serviço que deseja adquirir.

Em outras palavras, a carta é como um vale-compra repassado ao contemplado pela administradora. Com esse vale, a pessoa pode decidir qual bem deseja adquirir e o dinheiro será repassado a quem fez a venda. Se optar por não comprar nada, o consorciado ainda pode receber o valor em dinheiro, respeitando as regras estabelecidas em contrato.

Um exemplo: em um consórcio de um imóvel no valor de R$ 200.000,00, com duração de 10 anos (120 meses), o consorciado é sorteado no oitavo mês de existência do grupo. Ele efetuou o pagamento em dia das 8 mensalidades e, assim, poderá receber a carta de crédito no valor de R$ 200.000,00 para adquirir o imóvel.

A administradora repassará o dinheiro ao atual dono do imóvel e ele fará a transferência da propriedade para o consorciado. Apesar da contemplação, ele continuará pagando o consórcio até completar as 120 parcelas.

Quando recebo minha carta?

Como já foi falado, a carta de crédito é repassada ao consorciado contemplado para efetuar a compra do bem ou do serviço, após análise e aprovação das garantias exigidas.

E como funciona a contemplação? Ela acontece mensalmente, durante as assembleias ordinárias. O consorciado pode ser contemplado a qualquer tempo durante o prazo total do grupo, na primeira parcela ou na última, uma vez que não existe um momento predeterminado para a contemplação.

Ela pode ocorrer de duas formas: sorteio ou lance.

Sorteio

Algumas administradoras recorrem aos resultados da Loteria Federal para definir os números sorteados, enquanto outras preferem fazer os sorteios das assembleias presenciais ou virtuais.

Os sorteados recebem a carta de crédito no valor do plano ao qual aderiu, independentemente do número de prestações pagas. O sorteio é, assim, apenas o definidor da ordem de recebimento do crédito, uma vez que todos serão contemplados até o prazo final de duração do grupo — no sorteio todos os consorciados concorrem em igualdade de condições.

Lance

lance, por sua vez, se assemelha a um leilão, podendo ser feito pela internet ou presencialmente. Ele será efetuado horas antes da assembleia, quando o consorciado oferta lances (como se fosse a antecipação de pagamento), podendo até mesmo utilizar o saldo do FGTS para isso, quando for um consórcio de imóveis.

Existem vários tipos de lance, como o livre, o fixo e o embutido. Ao ofertar um lance, o participante do consórcio tem a chance de antecipar a sua contemplação, não dependendo assim apenas da sorte.

O que acontece se eu atrasar as parcelas?

Antes de mais nada é preciso dizer que o ponto principal do consórcio é poupar em conjunto. Por isso, é importante escolher uma prestação que cabe no bolso e fazer um planejamento para cumprir com as obrigações.

No entanto, imprevistos podem acontecer e, nesse caso, existem alternativas. Se for uma situação permanente, normalmente é possível negociar para sair do grupo ou o consorciado pode transferir sua cota de consórcio para outra pessoa.

No caso de uma situação passageira, as parcelas em atraso podem ser pagas com juros ou multa, dependendo do contrato. É preciso saber que o participante que estiver em atraso não pode ser contemplado, pois uma das premissas para participar das assembleias é estar com os pagamentos em dia.

De qualquer maneira, quem participa do consórcio não perde o valor pago. Se perceber qualquer problema que te impeça de arcar com as parcelas, o participante precisa procurar imediatamente a administradora para entrar em acordo.

Como usar a carta?

Apesar do consórcio ser feito para que a pessoa adquira um bem ou serviço desejado, ela não precisa se restringir a essa opção. Algumas situações ilustram bem as opções mais comuns de um consorciado contemplado com uma carta de crédito. São elas:

· comprar um imóvel: o consorciado utilizará sua carta de crédito para efetuar a compra do imóvel desejado, conforme descrito no contrato de adesão do consórcio. A administradora responsável pelo grupo paga diretamente ao proprietário e transfere o bem ao consorciado;
· adquirir um veículo: também é muito comum encontrar modalidades de consórcio para compra de motos e carros. Nesse caso, normalmente é possível comprar veículos novos e usados;
· contratação de serviços: permite a utilização da carta para pagamento de serviços como viagens, estudos, despesas médicas, entre outros;
· quitar um financiamento: imagine que o consorciado não queria esperar o momento de ser contemplado e iniciou o financiamento de um imóvel. Ele poderá utilizar o valor da carta de crédito para quitar o financiamento e continuar pagando o consórcio. A vantagem é que, no consórcio, não há juros;
· pegar o dinheiro: por algum motivo, o integrante do grupo não deseja mais realizar nenhuma compra. Ele poderá receber o valor do crédito em dinheiro, mediante quitação de suas obrigações para com o grupo, caso não tenha utilizado o crédito decorridos 180 dias da contemplação.

A administradora também comunica ao consorciado que não utilizou seu crédito, dentro de 60 dias após a última assembleia de contemplação, que os valores estão disponíveis para recebimento em espécie.

Uma dica importantíssima: as opções de utilização da carta de crédito variam conforme o contrato assinado com a administradora do consórcio. Por isso, leia-o bem antes de fechar negócio!

Como comprar uma carta de crédito contemplada?

Se você não faz parte de um consórcio e quer comprar um bem imediatamente, sem recorrer ao financiamento por causa dos juros, você tem uma opção: adquirir uma carta de crédito contemplada, mediante transferência do contrato de consórcio.

Porém, a transação requer alguns cuidados importantes:

1. Verifique se o contrato é administrado por uma empresa de consórcio autorizada a operar pelo Banco Central do Brasil.

2. Avalie se a aquisição será vantajosa, uma vez que precisará investir um valor à vista para adquirir a carta e assumirá a condição de consorciado, obrigando-se a pagar as parcelas futuras. Em geral, quanto menos parcelas pagas, menos você precisará investir para comprar a carta contemplada.

3. Solicite e leia os seguintes documentos:

· ata da reunião de contemplação que confirma o consorciado como contemplado;
· comprovantes de pagamento das prestações pagas;
· cópia do contrato do consórcio entre a administradora e o consorciado que deseja transferir sua cota;
· declaração da administradora que confirme que o contrato apresentado está vigente em suas cláusulas (prazo de duração do grupo, bem ou serviço que é objeto do contrato etc.);
· declaração da administradora confirmando a contemplação, o valor do crédito e os rendimentos financeiros até a data de transferência;
· a administradora deve aprovar a transferência do contrato e realizar o cadastro do novo consorciado.

Com esses cuidados é possível fazer um bom negócio ao adquirir uma carta de crédito contemplada.

Em resumo, o consórcio pode ser uma excelente opção para poupar dinheiro e parcelar um bem sem o pagamento de juros. A carta de crédito é concedida por meio de sorteio ou lance e pode ser usada de várias maneiras, para aquisição de bens, quitação de financiamento e até recebimento do valor em dinheiro.

Gostou de conhecer mais sobre a carta de crédito em um consórcio? Aproveite para baixar o nosso material gratuito e entenda a diferença entre financiamento e consórcio. 
Consórcio X Financiamento Entenda A Diferença E Qual É A Melhor Opção Para Você