Aprenda aqui como calcular o seu custo de vida

Você sabe qual é o seu custo de vida? Neste post, aprenda como fazer o cálculo de suas finanças!
  • Atualizado em May 14, 2021
  • Publicado em May 14, 2021
  • Planejamento Financeiro

Você sabe qual é o seu custo de vida? Ter noção do quanto você e sua família precisam para viver de forma confortável é importante para fazer um diagnóstico das finanças. Consequentemente, isso impulsiona o seu comportamento para buscar o equilíbrio financeiro.

O custo de vida varia de acordo com diversos fatores. Rotina, região onde vive e patrimônio acumulado são apenas alguns exemplos. Por isso, é importante se tornar mais consciente sobre as entradas e saídas do seu dinheiro para, assim, buscar mais organização financeira.

Neste post, fique por dentro de como deve ser feito o cálculo do custo de vida e aprenda a acompanhar de perto as suas finanças!

Como calcular o seu custo de vida?

Basicamente, o custo de vida é a soma de todos os gastos mensais. Trata-se do quanto custam os seus hábitos e necessidades básicas e do valor que sai do seu bolso periodicamente.

Para aprender a calcular o custo de vida, primeiramente, é importante entender dois componentes desse valor: os gastos fixos e os variáveis. São eles que indicam o quanto você precisa para viver.

Os gastos fixos são nada mais do que as contas essenciais para o seu dia a dia, cujos valores que não costumam se alterar a cada mês. Dentro dessa categoria, entram:

  • aluguel;
  • condomínio;
  • IPVA e IPTU;
  • internet e telefone;
  • plano de saúde;
  • mensalidade de academia;
  • serviços de streaming;
  • plano de celular.

Por outro lado, os gastos variáveis são aqueles que sofrem alterações de acordo com o consumo, como:

A seguir, entenda como identificar os gastos fixos e variáveis ajuda a calcular o custo de vida!

Utilize planilhas ou aplicativos

Usar a tecnologia ao seu favor é uma ótima estratégia para saber o seu custo de vida. Atualmente, existem diversos aplicativos e planilhas prontas para que você consiga calcular os seus custos fixos e variáveis.

Com isso, você tem acesso a uma média dos seus gastos variáveis e ao valor das despesas fixas. A partir disso, é possível mensurar se a sua renda é adequada para arcar com o custo de vida.

Anote cada gasto

Anotar cada gasto permite avaliar o quanto você consome mensalmente em cada categoria. Isso ajuda também a identificar o que está fazendo com que sobre menos dinheiro no fim do mês e os hábitos que precisam ser reavaliados.

Faça um planejamento financeiro

Para montar um planejamento das suas finanças, você vai precisar conhecer seu custo de vida, ou seja, todos os seus gastos fixos e variáveis. Dessa maneira, sempre que houver alterações, seja por conta da inflação, seja por mudanças de hábitos, é possível acompanhar de perto os novos gastos e se reorganizar.

O que pode causar o aumento dos gastos?

O seu estilo de vida tem uma forte influência nos gastos mensais, contudo, ele não é o único fator que interfere nesse cálculo. O custo de vida varia de acordo com diversas outras condições.

A região em que mora, por exemplo, é uma das mais relevantes. Alguns produtos e serviços podem ter preços reduzidos à metade dependendo da localização. Nesse contexto, vale ressaltar que cidades com muitas atrações turísticas e centros urbanos costumam ter um custo de vida maior do que municípios do interior.

A quantidade de pessoas na família também exerce influência no custo de vida total da casa. Afinal, quanto mais membros, maiores serão as necessidades essenciais, como alimentação, vestuário, educação, saúde e afins.

Além disso, a variação dos indicadores econômicos, como a taxa Selic, interfere na cobrança de juros de e pode ter impacto nas suas despesas mensais. Outro fator relevante é a situação econômica do país, que exerce efeito na dinâmica dos preços no mercado.

O que fazer para diminuir o custo de vida?

Se o seu custo de vida está alto para o orçamento disponível, é interessante conhecer algumas estratégias para fazer o dinheiro render mais e as despesas diminuírem. Como visto, o primeiro passo é fazer um bom planejamento e controle financeiro.

Saber o quanto gasta e para onde está indo o seu dinheiro ajuda a ter mais consciência financeira e, dessa maneira, identificar as alternativas para melhorar a situação das finanças da casa.

Tem dúvidas do que fazer para reduzir o custo de vida? Então, confira algumas dicas abaixo!

Considere a possibilidade de se mudar

Onde você mora tem um alto custo de vida? Caso os gastos estejam se tornando insustentáveis, vale a pena avaliar a possibilidade de se mudar para um bairro ou uma cidade em que as despesas do cotidiano são menores.

Fazer uma pesquisa nesse momento é fundamental, assim como analisar as expectativas e os planos de sua família. No entanto, lembre-se de que essa é uma decisão que precisa ser muito bem avaliada antes de ser tomada.

Pratique o consumo consciente

O consumo consciente nada mais é do que a atenção às suas práticas de compra. Avaliar se uma aquisição é realmente relevante, sempre que estiver pensando em gastar dinheiro, é uma estratégia para reduzir as despesas variáveis.

Além disso, o consumo consciente ajuda a reduzir o consumismo e o impacto ambiental provocado pelas compras. Isso envolve também prestar mais atenção no uso de água, luz, alimentação e combustível, evitando sempre o desperdício.

Use estratégias para economizar

O que você faz para economizar no dia a dia? Apostar em práticas que evitam que o seu dinheiro vá embora desnecessariamente é fundamental, como:

  • pedir descontos;
  • aproveitar promoções;
  • utilizar eletrodomésticos com selo de economia de energia;
  • planejar as compras;
  • reduzir a quantidade de almoços e jantares fora de casa;
  • usar lâmpadas fluorescentes ou LED e acendê-las apenas quando for necessário;
  • adotar meios de transporte mais sustentáveis e econômicos para se locomover.

Acompanhe os gastos do cartão de crédito

Além disso, é de extrema importância ter cuidado com a fatura do cartão de crédito. Utilizar essa forma de pagamento, muitas vezes, dá a impressão de que você não está gastando o seu próprio dinheiro, o que pode aumentar o consumo.

Desse modo, é fundamental ficar de olho para não passar do limite de compras que você consegue pagar. O atraso e o parcelamento da fatura de cartão podem ser muito prejudiciais, devido às altas taxas de juros do crédito rotativo.

Viu só como o cálculo do custo de vida é relevante para a sua saúde financeira? Portanto, não deixe de colocar em prática as dicas aprendidas neste post e faça ajustes na sua rotina para garantir mais economia.

Quer continuar aprendendo a cuidar bem das suas finanças? Então, saiba mais sobre como fazer um controle de gastos eficiente no dia a dia!
As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.
Mostrar comentários
Leia também
attach_money
Planejamento Financeiro

Quais são as 4 principais vantagens de abrir conta digital?

attach_money
Planejamento Financeiro

Quer saber como negociar as suas dívidas? Veja nossas dicas!

attach_money
Planejamento Financeiro

Entenda a importância da educação financeira infantil