Vale a pena fazer um investimento de alto risco? Entenda o assunto

Quer investir melhor o seu dinheiro? Então veja se vale a pena fazer um investimento de alto risco!
  • Atualizado em September 2, 2021
  • Publicado em September 2, 2021
  • Planejamento Financeiro

Quem está procurando novas formas de investir seu dinheiro frequentemente se depara com oportunidades, que em um primeiro momento, se mostram tentadoras. Contudo, muitas vezes, essas possibilidades de ganhos elevados estão baseadas em um investimento de alto risco.

Nessas horas, o que logo vem à mente é o questionamento sobre se correr tais riscos diante da chance de obter um bom rendimento realmente vale a pena. Por isso, neste conteúdo vamos explorar o que é um investimento de alto risco, como identificá-lo e o que pode ser feito para investir de forma menos arriscada.

Com isso, você poderá entender melhor tudo o que é preciso para fazer as melhores escolhas. Boa leitura!

Quais são as características de um investimento de alto risco?

Antes de entender quais são as características de um investimento de alto risco é essencial compreender, afinal de contas, o que são os riscos em uma aplicação financeira — independentemente de qual seja ela.

Dessa forma, quando falamos em risco estamos nos referindo à possibilidade de que o rendimento esperado não se torne realidade ou ainda que haja perda de dinheiro com uma aplicação.

O risco está presente em todos os investimentos, mesmo aqueles considerados mais seguros. Um banco pode emitir um título e, um tempo depois, perder a capacidade de honrá-lo por problemas financeiros, prejudicando todos os investidores que acreditaram nele. Além disso, muitos investimentos dependem das condições do mercado e oscilam de acordo com mudanças na política e na economia.

Dessa forma, não é possível fugir totalmente dos riscos, mas é possível gerenciá-los. Com isso, é normal que os investidores sejam divididos entre perfis daqueles que toleram mais os riscos (e são considerados arrojados) e os menos confortáveis com a ideia de arriscar o seu dinheiro (e que, por isso, recebem o rótulo de conservador). No meio do caminho temos os investidores moderados, que tentam combinar exposição ao risco com chances de ganhos melhores.

Vale também destacar que os riscos em uma aplicação financeira têm uma relação direta com o retorno obtido (ou seja, com o "lucro"). De forma geral, quanto mais arriscado um investimento, maior será a margem de ganho que pode ser atingido. Em outras palavras, é como se o investidor abrisse mão de uma segurança maior em troca de ganhos melhores.

Com tudo isso em mente, quais são as principais características de um investimento de alto risco? Para facilitar essa identificação, podemos listar alguns aspectos essenciais que costumam estar presentes.

  • imprevisibilidade quanto à rentabilidade;
  • possibilidade de grande desvalorização em um curto espaço de tempo;
  • ausência de cobertura do Fundo Garantidor de Crédito (FGC) ou de outros mecanismos de proteção ao investidor.

Embora pareçam atrativos, os investimentos de alto risco exigem não apenas sangue-frio do investidor. Para evitar problemas, quem quer considerar essa forma de aplicação precisa ter experiência no mercado e se planejar para que eventuais perdas não comprometam seu patrimônio.

Quais são os investimentos de alto risco mais conhecidos?

Melhor que explicar o conceito de um investimento de alto risco é apresentar os mais comuns e entender por que eles recebem essa classificação. Logo, nos tópicos a seguir, traremos alguns exemplos práticos, que certamente facilitarão sua compreensão.

Ações

As ações são investimentos geralmente realizados em uma empresa. Ao investir nelas, espera-se que a companhia se valorize, o que aumenta o preço das ações. No entanto, caso haja algum problema, elas perdem valor, gerando prejuízo ao investidor.

Mercado futuro

O mercado futuro estabelece a negociação de contratos que serão vendidos e comprados em uma data posterior por um preço pré-determinado. Por isso, para ganhar com esse investimento é preciso "apostar" na valorização ou desvalorização de determinado ativo, como ações, moedas estrangeiras ou commodities.

Câmbio

Investir em câmbio permite obter ganhos a partir da compra e venda de moedas estrangeiras ou mesmo títulos atrelados a elas. Contudo, as oscilações nesse mercado são uma constante e qualquer ruído político ou econômico pode gerar prejuízos.

Certificados de Operações Estruturadas (COE)

Os COE são títulos atrelados a um ativo ou indexador (como os juros, por exemplo), que combinam características de investimentos de renda fixa e renda variável. Ainda que exista um limite para perdas, os valores investidos não são protegidos pelo FGC e qualquer problema com a instituição financeira pode comprometer o investidor.

Como investir sem correr tantos riscos?

Ainda que a diversificação possa mitigar parte do risco alto de algumas aplicações financeiras, alguns investidores preferem as opções mais seguras, que ofereçam garantias melhores de retorno e que não resultem em perda — isso é natural. Portanto, vale sempre a pena conhecer também formas de investir sem correr tanto risco.

Tesouro Direto

Cada vez mais popular, o Tesouro Direto é uma plataforma que permite que qualquer investidor compra e venda títulos públicos emitidos pelo governo. Quem compra um desses títulos empresta dinheiro ao Estado e recebe no futuro o dinheiro investido, com o acréscimo de juros.

Os títulos do Tesouro Direto podem ter sua rentabilidade atrelada à inflação, aos juros ou a uma taxa prefixada. De qualquer forma, a fórmula de cálculo do retorno sempre será conhecida no momento da aplicação.

CDB

Os Certificados de Depósito Bancário funcionam de forma similar aos títulos do Tesouro Direto. A principal diferença é que eles são emitidos por bancos e não pelo Tesouro Nacional.

Eles são cobertos pelo FGC, mas, para ampliar a segurança e reduzir ainda mais o risco, a recomendação é procurar sempre pelas aplicações emitidas por instituições financeiras sólidas.

Consórcio

Os consórcios também são uma forma de investimento segura, que garantem constância e tranquilidade para quem faz essa escolha. Eles permitem a compra programada de bens como imóveis e veículos, entre outras opções, sem que, para isso, seja necessário um conhecimento aprofundado sobre o mercado financeiro e, sobretudo, sem correr riscos.

Eles também são aliados importantes para quem tem dificuldades em poupar dinheiro de forma constante ou ainda para quem quer formas mais eficientes de ampliar seu patrimônio, o que é sempre importante dentro de um planejamento financeiro que trabalhe a seu favor.

Mesmo que sejam uma alternativa disponível no mercado, um investimento de alto risco não é indicado para todo mundo. De qualquer forma, quem prefere se arriscar menos consegue encontrar opções interessantes, que ofereçam um bom retorno e que sejam compatíveis com seus objetivos.

Confira neste artigo, 5 tipos de investimentos mais seguros para você apostar!
As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.
Mostrar comentários
Leia também
attach_money
Planejamento Financeiro

Despesas fixas: o que são, quais os tipos e como reduzir?

attach_money
Planejamento Financeiro

Quais são as 4 principais vantagens de abrir conta digital?

attach_money
Planejamento Financeiro

Quer saber como negociar as suas dívidas? Veja nossas dicas!