Casa sustentável: saiba o que é preciso para construir uma

Já pensou em ter uma casa sustentável, mas não faz ideia de onde começar? Confira os principais aspectos a serem observados nesse tipo de residência!
  • Atualizado em December 16, 2020
  • Publicado em December 16, 2020
  • Seu imóvel

Em uma época cada vez mais tomada pela consideração da necessidade de se preservar o meio ambiente em que vivemos, a construção de uma casa sustentável se tornado prioridade para muita gente. Além de ser tendência forte, esse tipo de moradia está perfeitamente alinhado a um estilo de vida baseado no consumo consciente , outro aspecto que merece todo nosso cuidado.

Para o grupo de pessoas preocupado com a preservação do planeta, ter uma residência sintonizada com o futuro é uma prioridade. Se você se identifica com a causa, mas não faz ideia de como começar o planejamento da sua nova residência, fique tranquilo!

Confira, a seguir, os principais aspectos relacionados a edificação de uma casa sustentável!

A construção e a sustentabilidade

Felizmente, o ramo da construção civil evoluiu positivamente nos últimos anos. Por meio de valorização e multiplicação de projetos voltados à conservação ambiental, muitas produtoras de materiais de construção passaram a desenvolver novos produtos.

Na prática, isso significa que já é totalmente possível erguer uma casa com o uso de elementos que agridem pouco ou menos o meio ambiente. Isso se mostrou viável devido ao estudo da inovação de antigos processos de produção. Ao mesmo tempo, o investimento em soluções alternativas e atrativas esteticamente também aumentou.

Em resumo, o projeto de uma casa sustentável deixou de ser algo tão distante da realidade ou difícil de se tirar do papel. Com boas ideias e uma ótima orientação, você pode se surpreender com a variedade de opções para materializar o sonho de viver em uma residência moderna e ecológica. Soma-se a isso as vantagens, as quais comentaremos mais à frente, que ela proporciona.

Os 4 itens para construir uma casa sustentável

Com características bem peculiares, esse tipo de residência precisa ser concebido com base em um conjunto de critérios coerentes com o propósito da sustentabilidade. Para tanto, atenha-se aos elementos tratados a partir de agora!

1. Localização do terreno

Como em qualquer outro empreendimento imobiliário, as casas sustentáveis também exigem um cuidado prévio quanto à definição de sua localização. No caso dessa modalidade de edificação, a atenção é ainda maior, pois é imprescindível que ela não aconteça sobre uma área de preservação ambiental.

Ao contrário do que diz o senso comum, construções com viés ecológico não precisam necessariamente ser totalmente isoladas dos centros urbanos. O ideal é apenas evitar a construção em regiões que exercem qualquer espécie de impacto negativo sobre o meio ambiente.

Ainda com relação à localização do endereço, é interessante levar em consideração a infraestrutura comercial do entorno. Assim como a chamada casa verde, a ideia também é adotar hábitos realmente fundamentados em um estilo de vida sustentável.

Na prática, isso significa que o local deve favorecer o deslocamento por meio de bicicletas ou pelo uso de transporte público de alta qualidade. Para os trajetos mais longos, que exijam um veículo próprio, vale a pena ter em mente uma lista com os carros menos poluentes do mercado.

2. Adoção de sistemas elétrico e hidráulico voltados à sustentabilidade

Uma casa embasada em princípios ecológicos também deve estar amparada na adoção de sistemas elétrico e hidráulico igualmente sustentáveis. Sob essa ótica, o intuito consiste em colaborar para uso racional de bens tão essenciais à vida moderna, como a água e a energia elétrica.

A fim de sair do convencional e atingir tamanho objetivo, é necessário focar em soluções que dialoguem com o projeto. Em se tratando da energia elétrica, uma alternativa muito interessante e efetiva é a captação de energia solar. Observe que, mesmo nos casos em que os painéis solares não forneçam sozinhos todo o abastecimento elétrico da casa, contribuem de maneira significativa.

Além de mecanismos que captem a luz solar para convertê-la em eletricidade, o melhor aproveitamento da luminosidade natural é igualmente indispensável. Nesse sentido, dê preferência à instalação de janelas grandes. Trata-se, inclusive, de uma saída relativamente simples e que, acima de tudo, favorece a ventilação dos ambientes.

No caso da água, uma ótima solução são as cisternas. Elas cumprem a função de armazenar a água da chuva, que posteriormente pode ser usada para fins variados, como a lavagem do quintal ou do carro. Como existem cisternas com os mais diferentes formatos e dimensões, fica fácil encontrar uma que se encaixe no projeto da sua casa sustentável.

Por falar em chuva, outra medida oportuna são os ecotelhados. Versáteis, eles revestem coberturas feitas a partir do concreto ou da madeira. Esse tipo de telhado é formado por uma sequência de camadas. Entre elas, destaque para as partes compostas de sistema de drenagem, tecido impermeável, terra e até vegetação.

3. Uso de matérias-primas sustentáveis

Como mencionamos, você também tem à disposição toda uma linha de materiais desenvolvidos exatamente para quem pretende construir casas com caráter plenamente ecológico. Você sabia, por exemplo, que existe concreto feito a partir de processos de reciclagem? Pedaços de telhas ou tijolos são dois itens comuns dessa variedade de produto.

Em uma obra tipicamente convencional, os itens que compõem o acabamento costumam ser derivados de elementos que apresentam elevado índice poluente e de toxicidade.

A boa notícia é que isso também vem mudando recentemente, algo bem ilustrado pela chegada das tintas biodegradáveis. Além de serem livres de pigmentos tonalizantes oriundos de metais, elas tendem a não conter compostos orgânicos que destroem a camada de ozônio.

Soma-se a lista as lâmpadas de LED, que mesclam eficiência à qualidade e durabilidade. Como exibem vida útil mais longa, elas aumentam o tempo necessário para reposição. Logo, ao menos em certa medida, o consumo tende a ser reduzido, o que é extremamente válido, se pensarmos no ritmo de produção industrial.

4. Investimento em paisagismo

O projeto paisagístico é tão relevante quanto os demais pontos elencados aqui. Afinal, basta lembrar que uma casa criada com o fim de ser ecológica necessita ser envolvida por árvores, flores e plantas, indispensáveis para limpar e umidificar o ar.

As vantagens de uma casa sustentável

Além da evidente questão ambiental, essas moradias costumam ser extremamente confortáveis em mais de um sentido. Isso porque elas são agradáveis ao olhar e ao olfato, o que produz uma sensação de bem-estar muito acima de uma edificação comum. O efeito, inclusive, é perceptível tanto na ala externa quanto interna da residência. Soma-se a esses detalhes a economia com as contas de água e luz.

Sem exagero, pode-se dizer que não há lar como uma casa sustentável. Razões para se chegar a essa conclusão não faltam, como o salto da qualidade de vida. Ao mesmo tempo, há uma indescritível sensação de satisfação consigo mesmo, motivada pelo fato de fazer o que estiver ao alcance para ajudar o planeta e a sociedade a terem um futuro mais verde.

Para encerrar, seria bom se você ganhou um passo a passo detalhado para construir o lar dos seus sonhos, não? Então, aproveite a deixa e baixe nosso guia completo para a construção da sua casa própria!
cta-guia-da-construcao-da-casa-propria-crie-um-imovel-que-atenda-sua-demanda
As informações que constam nesse artigo podem sofrer atualizações sem aviso prévio.
Mostrar comentários
Leia também
home
Seu imóvel

Existe diferença entre reformar e restaurar? Venha descobrir!

home
Seu imóvel

O que é e como posso calcular a variação do INCC?

home
Seu imóvel

9 cuidados para quem tem animais de estimação em apartamento